Especialista afirma que Apple é atrasada em segurança

Eugene Kaspersky, fundador e diretor da empresa de antivírus que leva seu nome, disse que a Apple está dez anos atrás da Microsoft em termos de segurança

por Carlos S Silvio sex, 27/04/2012 - 20:48
Flickr (cc) imaffo Macs se tornam cada vez mais alvo de hackers Flickr (cc) imaffo

Durante a conferência Infosecurity Europe, realizada no Reino Unido, Eugene Kaspersky afirmou à publicação britânica Computer Business Review que, em relação à Microsoft, a Apple está dez anos atrasada no quesito segurança.

Segundo o especialista, mesmo que o número de infecções em Macs seja pequeno se comparado a PCs, esses números estão crescendo em ritmo acelerado e de maneira inédita. “Eles estão com o mesmo problema que a Microsoft enfrentou dez anos atrás, quando worms infectavam milhões de computadores em questão de horas. A Apple terá que aumentar o ritmo de atualizações dos sistemas”, disse. A ideia é tentar chegar nas vulnerabilidades antes que os hackers o façam.

Recentemente, a Apple vem sendo alvo de críticas envolvendo segurança, desde que o malware (software destinado a se infiltrar em um sistema de computador alheio de forma ilícita) Flashback/Flashfake contaminou centenas de milhares de computadores Mac. Esse foi o caso mais grave envolvendo a Apple e, segundo estimativas da Sophos (outra empresa de segurança),, 600 mil Macs chegaram a ser atingidos por ela. A Apple corrigiu a falha de segurança que permitia a contaminação e liberou uma ferramenta para remover o malware do Mac - só que de maneira lenta, já que outras empresas liberaram uma solução antes dela.

Uma consequência disso é que a Apple será obrigada a mudar sua abordagem em relação à segurança, como fez a Microsoft no passado. A empresa da maçã terá de fazer atualizações mais frequentes do Mac OS X e adotar outras medidas de proteção.

Uma dessas medidas já foi anunciada e deverá estar na próxima versão do sistema operacional do Mac, o OS X Mountain Lion. Trata-se do Gatekeeper, um recurso que impede a instalação de programas que não tenham sido criados por um desenvolvedor autorizado pela Apple. O objetivo, é claro, é dificultar a entrada de malwares no Mac.

COMENTÁRIOS dos leitores