Paim: censurar livros é sinal de estupidez e totalitarismo

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, determinou que ficais recolhessem um livro, à venda na Bienal do Livro do Rio, que tinha impressa a imagem de um beijo entre dois jovens do mesmo sexo

seg, 09/09/2019 - 16:41
Antonio Cruz/Agência Brasil Antonio Cruz/Agência Brasil

O senador Paulo Paim (PT-RS) elogiou nesta segunda-feira (9), em Plenário, a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, de impedir ato de censura contra uma obra literária à venda na Bienal do Livro do Rio de Janeiro.

A medida foi necessária após o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, determinar que ficais recolhessem um livro que tinha impressa, em suas páginas, a imagem de um beijo entre dois jovens do mesmo sexo.

Na opinião de Paulo Paim, qualquer tentativa de censura de ideias e pensamentos de um povo é sinal de estupidez humana e delírio totalitário.

“Sabemos muito bem como isso tudo inicia, mas não sabemos como termina. O resto está nos próprios livros de história. É preciso ficar de olhos bem abertos. Vigiar a liberdade e a democracia é um dever de todos nós”, disse.

*Da Agência Senado

COMENTÁRIOS dos leitores