Paulo defende Jarbas e Henry: essa luta não encerrou

Em nota o governador, que agora passa a ter o MDB oficialmente na oposição, dissolver o diretório é uma violência política

por Giselly Santos ter, 20/03/2018 - 20:09
Divulgação/SEI Divulgação/SEI

O governador Paulo Câmara (PSB) emitiu uma nota, na noite desta terça-feira (20), comentando a decisão da Executiva Nacional do MDB de dissolver o diretório do partido em Pernambuco e, com isso, tirar o comando da sigla do vice-governador Raul Henry (MDB). A medida transformou o diretório Pernambuco em comissão provisória e quem foi nomeado para liderar o grupo foi o senador Fernando Bezerra Coelho, pré-candidato a governador e que anunciou como uma das primeiras medidas a passagem do MDB para o campo de oposição ao PSB. 

Para Paulo, que agora passa a ter o MDB até então aliado de primeira hora na oposição, dissolver o diretório é uma violência política. "Jarbas Vasconcelos, Raul Henry e os demais integrantes do PMDB de Pernambuco honram qualquer partido político do Brasil. O que estão tentando fazer contra eles é uma das maiores violências da história política nacional. Mas essa luta não se encerrou. Ainda acredito que a Justiça há de prevalecer", destacou no texto. 

O governador também disse que Jarbas e Raul têm seu "apoio e solidariedade". A dissolução do diretório foi aprovada por 17 votos favoráveis e 6 contrários, durante uma reunião que contou com a condução do presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá. O dirigente é favorável a dissolução e vem encabeçando a briga com Bezerra Coelho desde setembro.

COMENTÁRIOS dos leitores