Secretário critica Embratur por defender hub para Natal

Secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, critica declaração do presidente da Embratur

por Nathália Guimarães sab, 05/09/2015 - 18:18
Lívio Angelim/LeiaJáImagens/Arquivo Felipe Carreras (foto) pediu bom senso ao presidente da Embratur, Vinicíus Lummertz Lívio Angelim/LeiaJáImagens/Arquivo

O secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, endereçou ofício ao presidente da Embratur, Vinicíus Lummertz, mostrando o seu descontentamento por ele ter defendido a cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, como a sua preferida para receber o Hub da Latam. Recife e Fortaleza também estão na disputa. A capital pernambucana, inclusive, foi eleita por uma pesquisa do Ibope como a mais preparada para receber o centro de conexões.

>> Ibope aponta Recife como preferida para receber Hub da TAM

Segundo Felipe Carreras, o comentário do presidente da Embratur teria sido externado durante o IV Encontro Latino Americano da ICCA e o 9º Client/ Supplier Business Workshop, que aconteceu em Natal neste semana.

“Pelo cargo público que ocupa, o senhor deveria torcer pelo Nordeste, pelo desenvolvimento turístico e econômico da região. Ainda foi além no pronunciamento ao informar que o ministro do Turismo, o senhor Henrique Eduardo Alves, também está na torcida pela capital potiguar”, disse Felipe Carreras, na carta endereçada à Vinicíus Lummertz.

“Contamos com o seu bom senso em fazer uma retratação pública, afinal, o seu pronunciamento vai na contramão do que está sendo feito em prol da união dos Estados nordestinos”, complementou o secretário estadual.

Entenda o hub

De acordo com representantes da TAM, o hub ampliará a atuação das empresas do Grupo Lan e TAM em voos entre a América do Sul e a Europa, considerando a posição geográfica estratégica da região Nordeste. O projeto traz oportunidades de novos voos, destinos, rotas e conexões para toda a área ao norte do Distrito Federal, especialmente as Regiões Norte e Nordeste. 

Além disso, a obra orçada em R$ 4 bilhões irá acelerar a economia da capital escolhida, gerando aproximadamente 10 mil empregos, de acordo com a Secretaria de Aviação Civil.

COMENTÁRIOS dos leitores