Veja as regras para levar seu pet na viagem de férias

Dono deve ficar atento à segurança e bem-estar dos animais de estimação no transporte de carro, de ônibus ou avião

por Nataly Simões sex, 28/06/2019 - 15:09
Pixabay Assim como é proibido colocar o braço para fora do carro, o mesmo vale para o anima Pixabay

As férias de julho estão chegando e quem planeja levar o animal de estimação na viagem deve ficar atento à segurança e bem-estar deles. O LeiaJá separou algumas recomendações, com base nas leis vigentes, para você transportar seu pet sem preocupação.

No carro

A recomendação do Governo do Estado de São Paulo é que os animais sejam transportados no banco de trás, com uma cadeirinha específica, para os de pequeno porte, e um cinto, para os maiores. Esses itens de segurança podem ser encontrados em lojas de acessórios para pets em geral.

A legislação proíbe o transporte de animais à esquerda ou no colo do motorista. Assim como é proibido colocar o braço para fora do carro, o mesmo vale para o animal, que também pode sofrer acidentes.

No ônibus

É necessário apresentar atestado que comprove as boas condições de saúde do animal, que não pode ficar solto e deverá estar dentro de uma gaiola ou caixa apropriada. O dono deve pagar uma passagem extra para acomodá-lo ao seu lado. Para usuários de cão-guia, no entanto, não é preciso pagar pelo transporte. Também é importante consultar a empresa de ônibus para saber o regulamento próprio para o transporte de animais.

No avião

Em viagens aéreas, o transporte de animais é cobrado à parte e o dono tem que reservar a passagem com antecedência, pois muitos voos limitam o número de animais a serem transportados. Além disso, é obrigatória a apresentação do atestado de saúde e comprovante de vacinação do animal. Ele deve ser transportado em compartimento fechado e revestido com material que contenha e absorva urina e fezes, evitando vazamento durante o voo.

As companhias aéreas também possuem regulamento próprio para o transporte. É recomendado consultá-lo antes de comprar as passagens. Já em viagens internacionais, o animal deve passar por uma consulta com um veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O dono também precisa obter informações sobre as regras federais do país de destino para evitar problemas na hora do desembarque.

COMENTÁRIOS dos leitores