Hospital veterinário de Belém ainda está no papel

Projeto foi aprovado pela Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito Zenaldo Coutinho. Defensores dos animais cobram planejamento para dar início às obras.

seg, 25/03/2019 - 10:59

Quem possui um animal de estimação em casa e não pode pagar por exames e tratamentos em clínicas particulares deve ganhar uma grande ajuda. Projeto de lei apresentado na Câmara Municipal de Belém, aprovado e sancionado, cria o Hospital Público Veterinário da capital paraense. O atendimento será para todos.

Como defensor dos animais, o vereador Dr. Chiquinho, do PSOL, criou o projeto de lei para a construção do hospital veterinário. “O primeiro ponto é sobre a questão social e proliferação de doenças. A lei foi sancionada pelo prefeito e agora falta executar", disse. Não há previsão para o início das obras.

“Em outros Estados já existem hospitais veterinários públicos para quem não pode pagar, incluindo serviços de ambulância para socorrer esses animais em situação de emergência onde quer que estejam”, reiterou o vereador Dr. Chiquinho, que elaborou o projeto com foco nos animais que vivem na rua.

Defensores da lei solicitara uma reunião com a prefeitura para a definição de um planejamento financeiro que ajudará a angariar fundos para a construção do hospital. 

 A estudante de Enfermagem Josinete Barros considera importante a criação de um hospital público veterinário que possa ajudar os animais de rua e quem não pode pagar. “O hospital público para atender os animais é benefício para a cidade, porque animais abandonados têm doenças, e muitas vezes não tem uma prevenção por conta dos donos não possuírem recursos financeiros para levar em clínicas particulares. Os procedimentos são caros. O hospital público traria um ótimo benefício para a cidade”, disse a acadêmica Josinete, da UNAMA - Universidade da Amazônia.

Para Jurupytan Viana, professor do curso de Medicina Veterinária da UNAMA, com a construção desse espaço haverá redução de animais transmissores de doenças. “O controle populacional passa por um acompanhamento médico veterinário, podendo ser feitas, inclusive, cirurgias de castração, tanto no macho quanto na fêmea. Com isso, teremos redução no número de animais na rua que transmitem doenças, como a raiva. Campanhas de vacinação na capital serão feitas ao longo do ano”, declarou.

Samara Castilho, estudante de Enfermagem da UNAMA, ressaltou que a cidade terá uma oportunidade para ajudar animais que vivem nas ruas e também vivem doentes. “Seria importante a criação de um hospital veterinário público, pois vai dar a oportunidade das pessoas levarem os seus animais para consultas caras. Seria também muito importante poder acolher esses animais que encontramos nas ruas e ter um lugar para levar e ter uma melhor assistência”, conclui.

Por Natália Lavoura. (Com apoio de Thalia Araújo).

 

COMENTÁRIOS dos leitores