Casa em bairro de classe média desviou R$ 30 mil de água

Caso foi flagrado em Petrolina, Sertão de Pernambuco

qua, 27/06/2018 - 16:11
Divulgação/Compesa A ação de combate à ligação clandestina identifica cerca de dez irregularidades por dia em Petrolina Divulgação/Compesa

Nos últimos seis meses, mais de 400 ligações de águas clandestinas foram identificadas e desativadas em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Uma das irregularidades que mais chamou a atenção da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) foi encontrada numa residência em Areia Branca, bairro de classe média no centro da cidade. 

A equipe da companhia chegou ao endereço após um estudo do consumo de vários imóveis da cidade. “Levantamos que, após dezembro de 2014, o consumo médio desse imóvel caiu de 45 metros cúbicos de água para 16 metros cúbicos de água, por isso resolvemos ir até o local para investigar”, informou o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, João Raphael de Queiroz.

A Compesa calcula que, durante três anos e meio de fraude, o prejuízo financeiro apenas com a ligação clandestina do imóvel de R$ 30 mil. “Fizemos a estimativa de uma perda de 1.220 metros cúbicos de água, volume que daria para abastecer, por exemplo, cerca de 120 casas, em um mês”, acrescenta o gerente.

Segundo a Compesa, a ligação clandestina foi encontrada na calçada da residência, aproximadamente 600 metros quadrados de área construída, onde existia o desvio de água por uma tubulação que não passava pelo hidrômetro. A proprietária do imóvel foi comunicada da fiscalização e da irregularidade. 

Foi registrado um Boletim de Ocorrência na delegacia do município e será aplicada uma multa ao proprietário sobre o consumo não contabilizado. O caso será encaminhado à Justiça. A ação de combate à ligação clandestina identifica cerca de dez irregularidades por dia em Petrolina.

 

COMENTÁRIOS dos leitores