Nem com Grafite. Santa perde mais uma e segue no Z4

O atacante até fez um gol, mas o Santa não conseguiu segurar o melhor futebol do time alagoano e levou a virada

por Pedro Oliveira sab, 26/08/2017 - 18:30
MARLON COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Mais organizado, o CRB teve calma para aproveitar as falhas do bagunçado time coral e virou o jogo MARLON COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O começo do jogo parecia que seria inesquecível novamente para Grafite em sua reestreia no Arruda. Mesmo não jogando bem, uma jogada individual de Nininho acabou resultando no gol de abertura do placar, justamento do camisa 23 coral. Mas não foi do jeito que o atacante e nem o torcedor esperava. Mais organizado, o CRB teve calma para aproveitar as falhas do bagunçado time coral e virou o jogo, decretando a sexta derrota consecutiva do Santa, que fica na zona do rebaixamento.

A partida

O jogo começou corrido, com muita disposição de ambas as equipes, mas apesar da disputa acirrada, poucos foram os lances bem trabalhados. Os goleiros só trabalhavam em bolas alçadas na área com pouco perigo.

Com mais posse de bola, o Santa não conseguia acertar os passes mais próximos da área. Bruno Paulo e André Luis, apesar de grande correria, pouco criaram nas alas do ataque coral e Grafite acabou ficando isolado em boa parte do primeiro tempo.

Com o coletivo funcionando pouco dos dois lados, a individualidade acabou decidindo. Primeiro Grafite acertou belo passe para Bruno Paulo, já dentro da área. Ele avançou e bateu com perigo, mas a zaga conseguiu afastar.

Depois foi Nininho, cria da base coral, que apareceu bem. O lateral deixou 2 jogadores para trás na velocidade e ganhou uma travada no bico da grande área, de onde cruzou com perfeição na cabeça de Grafite. Em posição duvidosa, o camisa 23 testou para o fundo das redes, fazendo explodir a massa coral.

No segundo tempo, o Santa começou com tudo em busca do segundo gol. Em duas oportunidades Bruno Paulo foi lançado em velocidade e levou perigo à defesa do CRB. Na primeira ele bateu fraco para defesa de Edson Koln. Na segunda ele bateu para o meio buscando Grafite, mas a zaga conseguiu cortar o perigo que já rondava a pequena área.

Mesmo com a melhora na troca de passes em relação primeiro tempo, o Santa não conseguiu ampliar o placar e acabou castigado com um golaço do CRB. Sem ser incomodado pela marcação, Tony avançou pela intermediária coral e acertou um petardo com efeito no ângulo, sem nenhuma chance para Julio Cesar.

Depois do gol, a torcida do Santa não desistiu e deu força para o Santa ir ao ataque. Mas o tricolor não soube aproveitar os espaços dados pela equipe do CRB e pelo gramado escorregadio. Na principal delas, o zagueiro Adalberto escorregou na frente de Ricardo Bueno, que ficou sozinho com Edson Koln.

O CRB quase virou quando Neto Baiano teve a chance em uma cobrança de falta. Ele soltou um torpedo da linha da grande área e explodiu no travessão de Julio Cesar. O detalhe é que o goleiro coral reclamou que os zagueiros saíram da frente da cobrança.

Givanildo tentou colocar seu time mais para frente e resolveu tirar João Paulo, um dos mais lúcidos em campo, para colocar Julio Sheik. Nesse momento, alguns torcedores entoaram o coro de "burro" para o treinador coral.

A tática não deu certo e nem cobrança de escanteio o Santa estava acertando. O pior veio no final do jogo, quando Sandro escorregou e perdeu a bola para Neto Baiano. O ex-atacante do Sport deu belo cruzamento para Marion. Ele deu passe também de cabeça para o meio da área e Chico, sozinho, tentou sem goleiro, virando o jogo.

FICHA DO JOGO - SÉRIE B - 22ª RODADA

SANTA CRUZ: Júlio César, Nininho, Sandro, Anderson Salles e Yuri; Derley, João Ananias e João Paulo (Julio Sheik); Bruno Paulo (Ricardo Bueno), André Luis (Leo Lima) e Grafite. Técnico: Givanildo Oliveira

CRB: Edson Kolln, Eduardo (Tony), Flavio Boaventura, Adalberto e Diego; Rodrigo Souza, Edson Ratinho, Jorginho (Marion) e Chico; Elvis (Yuri) e Neto Baiano. Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Alinor Silva da Paixao (MT)

Assistentes: Marcelo Grando e Renan Antonio Angelim Rodrigues (Ambos do MT)

Cartões: Eduardo, Jorginho, Adalberto, Flávio Boaventura, Tony e Neto Baiano (CRB); Bruno Paulo, Grafite, Yuri e Derley (SC)

Público: 8.110

Renda: R$ 59.990

COMENTÁRIOS dos leitores