window._taboola = window._taboola || []; _taboola.push({article: 'auto'}); !function (e, f, u, i) { if (!document.getElementById(i)) { e.async = 1; e.src = u; e.id = i; f.parentNode.insertBefore(e, f); } }(document.createElement('script'), document.getElementsByTagName('script')[0], '//cdn.taboola.com/libtrc/leiaja/loader.js', 'tb_loader_script');
Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

O papel de Temer na Transposição

Magno Martins sex, 10/03/2017 - 05:00

O presidente Michel Temer (PMDB) começa sua agenda no Nordeste, hoje, às 11 horas, por Campina Grande, onde desembarca e segue direto para o complexo habitacional Aluízio Campos – quatro mil casas do programa Minha Casa, Minha vida. No local, assina a ordem de serviço da triplicação da BR-230, no trecho que começa em Cabedelo e segue até km 28, nas imediações do viaduto Ivan Bichara, também conhecido como viaduto do Oitizeiro, em João Pessoa.

Também assina a ordem de serviço da duplicação da BR-230 entre Campina Grande e a Comunidade Farinha, a Praça do Meio do Mundo. De Campina Grande, o presidente segue para Sertânia, onde faz a inauguração das duas estações de bombeamento do Eixo Leste, que já fizeram as águas do Velho Chico transbordar nos canais do projeto no território do município.

A agenda de Temer acaba em Monteiro, na Paraíba, cidade separada de Sertânia, em Pernambuco, por apenas 27 km. Lá, as águas do Velho Chico começaram a chegar aos canais do município na madrugada de ontem. Na visita, o presidente aciona, simbolicamente, o sistema de bombeamento dos canais. Iniciadas em 2007, as obras de transposição do São Francisco devem ficar prontas em 2015. Já foram investidos R$ 4,5 bilhões dos R$ 8,2 bilhões previstos.

O projeto é formado por dois canais que percorrem 477 km lineares. A Integração do Rio São Francisco também envolve a construção de 14 aquedutos, nove estações de bombeamento, 27 reservatórios e quatro túneis para transporte de água. O projeto vai garantir a segurança hídrica de mais de 12 milhões de pessoas em 390 cidades de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A obra tem o carimbo do ex-presidente Lula, mas Temer passará também à história como o presidente que destravou o projeto e deu celeridade as obras, que estavam em ritmo bem lento no Governo Dilma. Não fosse a prioridade dada por Temer, a Transposição acabaria virando um verdadeiro elefante branco. Ele quer, aliás, concluir e entregar todo o sistema São Francisco até o final da sua gestão.

SEM PEDIDOS– A chegada de Temer em Sertânia está prevista para as 13h30, onde será recebido pelo governador Paulo Câmara e o prefeito Ângelo Ferreira (PSB). Ferreira vai aproveitar a oportunidade para fazer alguns pleitos, como uma maior agilidade nas obras do Ramal do Agreste e a construção de uma pista de pouso. “A que nós tínhamos foi inviabilizada devido às obras da transposição”, diz ele. Ainda assim, o socialista diz ter mais gratidão do que pedidos. “Eu não vou pedir muito não, vou mais agradecer. Deixa os pedidos pra depois”.

Também é padrinho– Convidado para integrar a comitiva presidencial na visita de Temer ao município de Sertânia, o deputado Kaio Maniçoba (PMDB) aproveita as duas horas e meia de voo de Brasília até Campina Grande, a primeira etapa, para sugerir ao presidente que assuma um discurso mais contundente em relação ao papel que o seu Governo vem cumprindo na conclusão da Transposição. “Todos nós sabemos que a iniciativa e o projeto vêm da era Lula, mas se não fossem o empenho e a dedicação de Temer não estava sendo concluído”, afirmou.

Palanque de Ciro– Presidente estadual do PDT, o deputado Wolney Queiroz disse, ontem, que o start nas conversas com o presidente estadual do PTdoB, Silvio Costa, com vistas às eleições de 2018, se dá no sentido de abrir um palanque no Estado para o candidato pedetista ao Planalto, Ciro Gomes. “Estamos dialogando com as forças com as quais temos mais identidade nacional. Estamos começando pelas legendas que se contrapõem às reformas previdenciárias e trabalhistas”, afirmou.

Ducha fria– O relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou, ontem, que a reforma da Previdência não vai passar da forma como está e que alterações terão que ser feitas, entre elas nas regras de transição. "As regras de transição terão que ser alteradas, está muito mal formulada", disse o deputado, durante debate sobre a reforma no Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília.

Maciel homenageado– Autor do requerimento da sessão da Câmara dos Deputados em homenagem a Marco Maciel, na próxima quarta-feira, pela passagem dos 50 anos de vida pública do ex-senador, o deputado Augusto Coutinho (SD) certamente terá dificuldades de selecionar o número de oradores, porque tem muita gente querendo prestar-lhe homenagens. "Marco Maciel é uma das maiores figuras públicas do Brasil, referência ética e moral. Merece o reconhecimento por todos os serviços que prestou ao Brasil em 50 anos de vida pública. A Câmara fará uma justa homenagem a um político ficha limpa, exímio articulador e gestor público, que participou de importantes momentos da vida pública brasileira", diz ele.

CURTAS

CAPOEIRAS– Hoje, a juíza Priscila Brandão, da comarca de Capoeiras, começa a ouvir as testemunhas indicadas pelo DEM para apurar se houve ou não abuso de poder político e econômico na última eleição realizada no município. Segundo o blog do companheiro Roberto Almeida, seis testemunhas serão ouvidas pela magistrada, a partir das 8h30.

DOAÇÃO – O secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, conseguiu a doação de um terreno, com 31 mil metros quadrados, para construção do Hospital Geral do Sertão, em Serra Talhada. A doação, segundo ele, foi feita pelo empresário Germano Duarte, da GD Construções. Em laudo avaliado pela CEF, o terreno está avaliado em R$ 6,5 milhões.

Perguntar não ofende: Diante das manifestações contrárias das principais lideranças na Câmara, Temer vai conseguir aprovar a reforma da Previdência da forma como deseja? 


O start para o casamento gay

Magno Martinsqui, 09/03/2017 - 11:35

Em 2015, os Estados Unidos se tornaram na sexta o 22º País a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo seu território. No mesmo ano, a Irlanda entrou para a lista ao se tornar o primeiro País do mundo a aprovar o casamento gay através de um referendo. Também em 2015, foi assinada na Finlândia uma lei que legaliza as uniões homossexuais.

O chamado casamento gay já está formalizado também na Argentina, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Escócia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Islândia, Luxemburgo, México, Noruega, Nova Zelândia, País de Gales, Portugal, Suécia, Uruguai e África do Sul. Se depender da vontade do Congresso, o Brasil pode ser o próximo.

Ontem, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o projeto de lei que altera o Código Civil para reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo e possibilitar a conversão dessa união em casamento. A votação foi terminativa e o projeto poderá seguir para análise da Câmara dos Deputados se não houver recurso para votação em plenário.

É bom lembrar que o Código Civil reconhece como entidade familiar “a união estável entre o homem e a mulher, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família”. O Projeto de Lei do Senado (PLS) 612/2011 estabelece que a lei seja alterada para estabelecer como família “a união estável entre duas pessoas”, mantendo o restante do texto do artigo.

A proposta ainda levará mais algum tempo para se tornar lei. Sendo votada em segundo turno na CCJ na próxima semana. E ao que parece, não enfrentará resistência na Casa, uma vez que todos estão favoráveis ao projeto. Em 2011, o Supremo Tribunal Federal reconheceu, por unanimidade, a união estável entre casais do mesmo sexo como entidade familiar.

Na prática, a decisão significou que as regras que valem para relações estáveis entre homens e mulheres serão aplicadas aos casais gays. Em 2013, o Conselho Nacional de Justiça aprovou resolução que obriga os cartórios de todo o País a celebrar o casamento civil e converter a união estável homoafetiva em casamento em função de divergências de interpretação sobre o tema.

SAI PRESIDENTE OU VICE?– Na entrevista que concedeu, ontem, ao meu blog e ao Frente a Frente, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que hoje estará no Recife para uma palestra na Fundação Joaquim Nabuco e o lançamento do seu livro na livraria Saraiva do Shopping Recife, afirmou que seu desejo de disputar a Presidência da República não depende dele, mas principalmente do PPS. O problema é que o presidente nacional da legenda, o ministro Roberto Freire, é adepto da tese de uma aliança com o PSDB. Se isso ocorrer, Cristovam pode até ser convencido a ser o vice de um postulante tucano.

Com pinta trabalhista– Soube, ontem, nos corredores do Congresso, que o pré-candidato ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, hoje filiado ao PSC, teria iniciado negociações para ingressar no PTB, a legenda do símbolo do trabalhismo de Getúlio Vargas. O que a família Vargas e os herdeiros das bandeiras trabalhistas acham da adoção de um político que tem posturas ortodoxas contra a homossexualidade e o racismo, defendendo, arduamente, as ditaduras no Brasil e em países de América Latina?

Dezesseis pernambucanos– A tão esperada lista dois de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, revelando políticos envolvidos na operação Lava Jato, deve trazer uma penca de políticos pernambucanos. O que ouvi, ontem, nos corredores do Congresso, é que na relação iriam aparecer 16 nomes do Estado, entre políticos do PSB, PSDB e PP. A famigerada lista, que tem tirado o sono de muitos políticos em Brasília, está sendo esperada para hoje ou amanhã. Mas há quem diga que Janot só fará a liberação dos nomes no início da próxima semana.

Protesto em Petrolina– Manifestações contra a reforma da Previdência foram promovidas, ontem, em no centro de Petrolina, partindo da Praça do Bambuzinho até à agência do INSS. A passeata contou com a participação das mulheres do Sindicato dos Agricultores Familiares do município e de várias outras instituições ligadas a movimentos sociais. Exibindo cartazes e entoando palavras de ordens, as agricultoras exigiram que as autoridades iniciassem diálogo com o Governo para buscar uma alternativa viável às necessidades das mulheres e do Brasil.

Ditadura em Macaparana– Em Macaparana, o prefeito Maviael Cavalcanti (DEM) está, aos poucos, implantando uma ditadura no município. Uma das medidas mais claras nesse sentido foi à aprovação, pela Câmara de Vereadores, de alterar o orçamento anual do município sem a prévia autorização do Legislativo. “Em tempos de orçamento participativo e da lei da transparência, o que está ocorrendo em Macaparana se assemelha ao AI-5”, ironiza o vereador Tony Moura, líder da oposição na Câmara.

CURTAS

CONVERSA– O senador Armando Monteiro Neto e o deputado Jarbas Vasconcelos voltaram a se encontrar em Portugal durante o Carnaval. Hospedados no mesmo hotel, acabaram tendo uma longa conversa sobre o quadro nacional e a sucessão estadual em 2018. Em tempo: Armando é pré-candidato a governador e Jarbas pode ser senador na chapa de reeleição do governador Paulo Câmara.

VAIADO – O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi vaiado durante visita à Universidade Presbiteriana Mackenzie, no Centro de São Paulo, ontem, Dia Internacional da Mulher. Um grupo de estudantes gritou palavras de ordem contra ele. O ato foi filmado e o vídeo divulgado nas redes sociais.

Perguntar não ofende: Para o cenário de 2018 em Pernambuco, qual será a primeira traição política?


Três anos da morte de Guerra

Magno Martinster, 07/03/2017 - 09:38

O tempo voa. Pouca gente lembrou, ontem, entre eles o deputado Claudiano Martins, da passagem do terceiro ano da morte do ex-senador Sérgio Guerra. Independente do que a operação Lava Jato tenha revelado, Guerra era um político extremamente talentoso. Poucas pessoas tinham a capacidade de analise política dele, indissociável da sua intervenção. Era um homem de análise e ação.

 

Foi, na verdade, um dos mais influentes líderes do PSDB nos últimos anos, principalmente no momento de escolha do candidato a presidente - tanto de José Serra, em 2010 quanto do Aécio Neves, em 2014. Sérgio Guerra tinha características muito raras: culto, idealista e destemido na defesa das suas posições.

Até chegar à presidência do partido tucano, o deputado passou pelo PDT e PSB, legenda pela qual foi secretário estadual na gestão de Miguel Arraes. Deputado estadual por dois mandatos, entre 1982 e 1988, chegou ao Congresso Nacional em 1989 ocupando uma das cadeiras da bancada pernambucana na Câmara. Em 2002, chegou ao Senado, mesmo ano em que o PT elegeu Luiz Inácio Lula da Silva.

Na Casa, assumiu a liderança do partido, revelando-se um dos principais críticos do governo do PT. Atuou em várias comissões parlamentares de inquérito (CPIs), entre elas, a dos Correios que investigou um esquema de compra de votos na base do governo. Na campanha de Geraldo Alckmin, em 2006, Guerra assumiu o comando do ninho tucano em um momento de dificuldades para a oposição.

Nesse cenário adverso, ele se destacou como o grande conciliador do PSDB. Naquela ocasião, Alckmin estava com dificuldades para enfrentar o favoritismo do então presidente Lula, que disputava a reeleição. Muitos tucanos abandonaram Alckmin pelo caminho. Sérgio Guerra se manteve ao lado de Alckmin em todos os momentos da disputa.

Em 2010 o cenário se repetiu. Havia disputas internas para indicar o candidato do partido. Durante a campanha, mais uma vez os tucanos enfrentaram dificuldades na disputa com a então candidata petista Dilma Rousseff. Apesar de ter sido abandonado por setores do partido, o candidato do PSDB, José Serra sempre pôde contar com a lealdade do então presidente Sérgio Guerra.

Sua capacidade de conciliação interna possibilitou uma transição sem traumas para consolidar em 2014 o nome do senador Aécio Neves para enfrentar Dilma Rousseff. Sérgio Guerra não era nem de Minas e nem de São Paulo. Como pernambucano, ele conseguiu a confiança e o respeito de todas as alas tucanas.

RUMO À PARAÍBA– O ministro da Integração, Helder Barbalho, anunciou, ontem, a chegada da água do rio São Francisco na Paraíba para o próximo sábado. O ministro e sua equipe técnica estiveram nos reservatórios Barreiro (PE), Campos (PE), na barragem Camalaú (PB) e no açude Poções (PB). “A nossa previsão é de que possamos no próximo sábado fazer a entrega da água na Paraíba e, assim, ver garantida a funcionalidade do Eixo Leste do Projeto de Integração do São Francisco”, afirmou Barbalho.

Caixa preta da Previdência– Deslocado da Secretaria de Planejamento estadual para o Congresso com a missão de bater de frente com o Governo Temer, o deputado Danilo Cabral, que já se antecipou pelo voto contrário à proposta da reforma da Previdência, reforçou, ontem, o movimento na Câmara pela instalação da uma CPI para investigar os desvios históricos no caixa do sistema previdenciário. “A Previdência no Brasil é uma verdadeira caixa preta e precisamos abrir o quanto mais rápido possível”, afirmou.

Oposição na UVP– Na eleição para renovação da diretoria da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), a oposição resolveu lançar uma chapa para enfrentar o presidente Josinaldo Barbosa (PTB), favorito na disputa. O pleito está marcado para o próximo dia 25, durante o Congresso Estadual de Vereadores em Bonito. Foi escolhido candidato a presidente o vereador André Valença (PSD), presidente da Câmara de São Bento do Una, com representantes de todas as regiões do Estado. “Vou atuar em defesa da nossa categoria e em mais capacitação, bem como disponibilizar os serviços essenciais que possam auxiliar os parlamentares no exercício do mandato”, disse Valença.

Faculdades ilegais – O Ministério da Educação confirmou, ontem, a existência de 16 instituições funcionando de forma irregular no Estado, conforme investigações do próprio MEC, que são: Fadire, Funeso, Faisa, Isel, Unig, Isef, Isep, Faec, Flatec, Flated, Flaterj, Ieduc, Cenpi, Iesa, Instituto Belchior e Faculdade Anchieta do Recife. "Dado o volume de diplomas registrados na Unig (83.733), estima-se que existam muito mais instituições envolvidas", conclui o relatório entregue, ontem, à Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa. A maioria dos alunos lesados era do curso de Pedagogia. A audiência foi solicitada pela deputada Teresa Leitão (PT), relatora da CPI das Faculdades Irregulares.

Pacto pela Vida na berlinda– O líder da oposição na Assembleia Legislativa, Silvio Costa Filho (PRB), propôs, ontem, ao presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, Edilson Silva (Psol), a realização de uma audiência pública para discutir o Pacto pela Vida. A ideia, segundo o parlamentar, é trazer para o debate alguns dos idealizadores do programa, que foi responsável pela redução da criminalidade até 2013. “Nos últimos três anos, foram mais de 40% de crescimento na violência e o Governo do Estado parece paralisado, sem poder de reação, enquanto o clima vivido nas ruas é de guerra civil”, alerta.

CURTAS

POLICIAIS– Nas conversas políticas em que participou durante o fim de semana com aliados, o presidente Michel Temer (PMDB) demonstrou resistência em relação à proposta de manter uma aposentadoria especial para policiais. Essa proposta chegou a ser apresentada por deputados preocupados com a resistência desta categoria.

RECURSOS– O Ministério da Educação liberou R$ 51,6 milhões para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Do total, R$ 38,7 milhões serão destinados ao Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) para cobrir despesas de contratos e manutenção que os hospitais universitários federais tiveram com obras, reformas, aquisição de equipamentos, ampliações e compra de materiais em 2016.

Perguntar não ofende: Tem operação Lava Jato esta semana?


Frente a Frente com Moro

por sab, 04/03/2017 - 11:53

Finalmente, o ex-presidente Lula estará frente a frente com o seu algoz, o juiz federal Sérgio Moro. O primeiro interrogatório foi marcado para as 14h do dia 3 de maio. Refere-se ao processo em que o petista é acusado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O magistrado símbolo da Operação Lava Jato e Lula se encontrarão na sala de audiência do 2º andar do prédio da Justiça Federal, em Curitiba.

Em novembro do ano passado, Lula prestou depoimento como testemunha de defesa do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por meio de videoconferência, de São Bernardo do Campo (SP). O ‘encontro’ com Moro durou 9 minutos e 44 segundos. Não foi ao vivo, como está marcado para maio, porque o ex-presidente teve a opção online e assim optou. 

A denúncia do Ministério Público Federal sustenta que Lula recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira OAS por meio de um triplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, mantidos pela Granero de 2011 a 2016.

Em um acordo de delação premiada que acabou sendo arquivado pelo procurador geral da República, Rodrigo Janot, no ano passado, Léo Pinheiro contou em detalhes que o tríplex no Guarujá pertencia a Lula. O empreiteiro afirmou que ficou acertado com o então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que o apartamento de Lula seria “abatido dos créditos que o PT tinha a receber por conta de propinas em obras da OAS na Petrobras”. 

O ex-presidente da OAS relatou que, ao perguntar a Vaccari se Lula tinha conhecimento da negociata, o tesoureiro respondeu afirmativamente. Ele contou ainda que a reforma do tríplex não seria cobrada de Lula. Janot arquivou a delação de Léo Pinheiro porque trechos do acordo foram revelados pela revista Veja. 

Autointitulado “a viva alma mais honesta”, Lula sabe que não vai ser moleza enfrentar aquele que conhece todas as maracutaias patrocinadas pelo petista no maior escândalo da República dos últimos 30 anos. Além de dominar o processo, Moro tem em mãos as provas do crime. 

CRISE SE ALASTRA– A economia brasileira iniciou 2017 com fechamento de vagas com carteira assinada, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgadas ontem pelo Ministério do Trabalho. Em janeiro, as demissões superaram as contratações formais em 40.864 vagas. Esse foi o 22º mês seguido com fechamento de empregos com carteira assinada. O último mês em que houve mais contratações do que demissões foi em março de 2015, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.

Cadê a fiscalização?– As imagens que viralizam nas redes sociais mostrando os canais da Transposição usados como um piscinão por um grupo de foliões durante o Carnaval em Sertânia revelam, de forma incontestável, que o Governo não tem o menor controle do projeto nem tampouco um sistema eficiente de fiscalização. As águas transpostas do Velho Chico que começam a jorrar em áreas inóspitas são para matar a sede do povo e por isso mesmo não podem ser contaminadas por fezes e xixi humanos. 

Olho nas águas– O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), que recebe o presidente Temer na próxima segunda-feira em Monteiro, vistoriou, ontem, as obras que integram o projeto de Transposição das águas do Rio São Francisco. Ele esteve na Estação de Bombeamento (EBV-6), em Sertânia, que já recebe as águas do projeto e em seguida foi até Monteiro, passando pelo açude São José. Por fim, vistoriou a Barragem de Camalaú, onde um canal está sendo feito para facilitar a passagem das águas.  O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Gervásio Maia, auxiliares do Governo, deputados estaduais e lideranças da região também integraram a comitiva. 

Rompimento sob controle– O Ministério da Integração Nacional confirmou um vazamento na Barragem de Barreiro, em Sertânia, parte do projeto de transposição do Rio São Francisco. O rompimento aconteceu na manhã de ontem entre as estações de bombeamento 5 e 6 (EBV-5 e EBV-6) do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco. De acordo com o Governo Federal, técnicos das empresas responsáveis pelas obras do Projeto São Francisco foram acionados para fazer a contenção da água. Até o momento, não foi identificado nenhum risco estrutural ao reservatório. As comunidades do entorno estão sendo alertadas sobre medidas de segurança por técnicos da área ambiental e também de fiscalização.

PT em faixa própria– Em entrevista, ontem, à competente repórter Ana Rebeca Passos, da Rádio Cultura, o senador Humberto Costa disse que gostaria de manter em 2018 a aliança em torno do senador Armando Monteiro Neto (PTB), provável candidato a governador pelo bloco da oposição. “Seria um caminho natural”, afirmou. O petista, entretanto, reconheceu que Armando tem priorizado outros segmentos, citando João Lyra Neto, Mendonça Filho e Bruno Araújo. “Com estes, não iremos a lugar nenhum e nossa tendência é construir uma candidatura do próprio PT”, destacou. 

CURTAS 

NO CANADÁ– O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, participa em Toronto, no Canadá, da convenção do Prospectors & Developers Association of Canada (PDAC), importante evento mundial do setor de mineração. O evento reúne empresas e líderes políticos do setor de 125 países, e ocorre entre os dias 05 e 08 de março. Durante a convenção, o ministro irá participar de debates e exposições com diversos agentes do setor mineral. 

PREVIDÊNCIA– Emenda do deputado Danilo Cabral (PSB) propõe que a carreira docente continue contando com regras específicas, mantendo as condições atuais de aposentadoria. O projeto da Reforma da Previdência prevê a extinção das aposentadorias especiais, caso dos professores de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. A idade para educadores se aposentarem, caso o texto seja aprovado como foi enviado ao Congresso, poderá ser igualada em 65 anos, como as dos demais trabalhadores (com exceção dos militares).

Perguntar não ofende: Se o Governo não aprovar a reforma da Previdência, os programas sociais acabam?


Marcelo livra Temer de cassação

Magno Martinssex, 03/03/2017 - 08:41

Se depender do depoimento do empresário Marcelo Odebrecht, mandachuva do Grupo Odebrecht, o presidente Michel Temer (PMDB) não tem como ser incriminado e sofrer, consequentemente, um processo de impeachment decorrente das contas mal-assombradas na campanha de 2014, na qual foi eleito vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff, reeleita presidente da República.

Ao ministro Herman Benjamim, relator do processo no Tribunal Superior Eleitoral, Marcelo contou, anteontem, em Curitiba, que esteve de fato com Temer no Palácio do Jaburu em Brasília, para um jantar, mas em nenhum momento o então vice-presidente, na condição de presidente nacional do PMDB, pediu R$ 10 milhões para campanhas de aliados. Marcelo confirmou ter se encontrado com o presidente Michel Temer durante tratativas para a campanha eleitoral de 2014.

Mas negou ter acertado com o peemedebista um valor para a doação. Ele informou que não houve um pedido direto pelo então vice-presidente da República para a doação de R$ 10 milhões ao PMDB. Marcelo afirmou que o valor já estava acertado anteriormente e que o encontro foi apenas protocolar. De acordo com o empresário, as tratativas para a doação foram feitas entre o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o executivo Cláudio Melo Filho. Ele admitiu que parte dos pagamentos pode ter sido feita via caixa 2.

Em anexo de delação premiada que vazou em dezembro, Melo Filho, que é ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, mencionou o jantar no Palácio do Jaburu no qual, segundo ele, Temer teria pedido pessoalmente “auxílio financeiro” ao empreiteiro, que se comprometeu com R$ 10 milhões.  Ao depor na ação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marcelo disse que Temer não mencionou a doação de R$ 10 milhões.

Esta era a principal acusação que comprometia Temer. Se o próprio doador revela que não houve interferência direta do agora presidente da República, o relator fica sem provas testemunhais para qualquer incriminação em relação aos supostos R$ 10 milhões. Possa ser até que surjam outros embaraços, mas neste caso específico não há como se sustentar um processo de cassação do mandato do presidente.

MINISTRO DETERIORADO– Aliados de Temer acham que as declarações do empresário Marcelo Odebrecht na ação que pede a cassação da chapa Dilma e Temer complicam a vida do ministro licenciado da Casa Civil, Eliseu Padilha. A avaliação é que a situação de Padilha piora com a confirmação de que foi o ministro quem negociou com o ex-Odebrecht Claudio Melo diretamente R$ 10 milhões para o PMDB em 2014. Isso porque parte desse dinheiro - R$ 6 milhões – foi para a campanha de Paulo Skaf, candidato do PMDB ao Governo de São Paulo em 2014. E o pagamento, na versão da Odebrecht, foi autorizado por Padilha.

Governador ou senador?– Um dos ministros com melhor avaliação no Governo Temer, o pernambucano Mendonça Filho, da Educação, desembarca hoje cedo em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, para inaugurar uma escola em tempo integral na comunidade São João, na zona rural. Mendonça tem andado o Estado inteiro com uma frequência impressionante, daí a razão das especulações de que sairá candidato majoritário no Estado em 2108. Há quem diga que seu projeto é o Senado, mas não está descartada a sua candidatura a governador.

Rombo em Jaboatão– Há dois fundos previdenciários em Jaboatão: o Fundo Financeiro, que beneficia os servidores nomeados até 2006 e de onde saem às aposentadorias e pensões pagas atualmente; e o Fundo Capitalizado, que serve de poupança para os funcionários contratados a partir de 2006 e que servirá para o pagamento dos futuros aposentados e pensionistas. Ao invés do ex-prefeito Elias Gomes ter feito os aportes, optou por realizar saques, resultando num rombo de R$ 15,4 milhões. O déficit sobrou para o prefeito Anderson Ferreira (PR), para cobrir com recursos do Tesouro Municipal.

Olinda bombou– O carnaval de Olinda surpreendeu não superou a expectativa de rendimento turístico. Cerca de 2,3 milhões de foliões estiveram na Cidade Alta durante os cinco dias oficiais de festa para aproveitar os 242 shows e mais de mil blocos nas ladeiras. A rede hoteleira teve ocupação de 97% e mais de 60 mil empregos - diretos e indiretos - foram gerados. Segundo a Prefeitura de Olinda, foram injetados R$ 120 milhões na economia. No último ano, 2,8 milhões de foliões passaram pela Cidade Patrimônio e houve um incremento de R$ 190 milhões na economia.

Segurança funcionou– No balanço oficial do Carnaval divulgado, ontem, o governador Paulo Câmara (PSB) comemorou a não ocorrência de um só crime nos diversos polos da folia vigiados pelo forte esquema de segurança montado na Região Metropolitana. Em Vitória de Santo Antão e Água Preta, que não são polos oficiais, ocorreram três crimes, mas segundo o Estado sem relação direta com a festa. “Nosso esquema funcionou perfeitamente e tivemos um dos carnavais mais tranquilos nos últimos anos”, afirmou Câmara, destacando que o efetivo contou com a mobilização de mais de 31 mil policiais.

CURTAS

NO PAJEÚ– O Abatedouro Municipal de Itapetim, no Sertão do Pajeú, vai atender as cidades de Brejinho e Santa Terezinha, no Sertão do Pajeú, beneficiando 20 mil pessoas. A iniciativa foi anunciada pelo secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota, em reunião, ontem, com o prefeito de Itapetim, Adelmo Moura (PSB), e a presidente da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), Erivânia Camelo. 

FERIADÃO– Praticamente todos os deputados federais emendaram o feriado de Carnaval e a sessão de debates marcada para, ontem, no plenário da Câmara, foi cancelada por falta de quórum. Dos 513 parlamentares, somente cinco estavam presentes. O número mínimo para abrir uma sessão é de 51. A maior parte dos deputados já havia antecipado a saída para o feriado e deixado Brasília na quarta-feira da semana passada.

Perguntar não ofende: O que Marcelo Odebrecht quis dizer ao afirmar que era o verdadeiro bobo da corte?


Carnaval parece ter sido tranquilo

por qui, 02/03/2017 - 09:17

O Governo deixou para hoje o anúncio oficial dos números da violência no Carnaval em Pernambuco, mas a princípio, apesar do pandemônio criado na semana pré-carnavalesca por policiais em estado de “operação padrão”, uma greve branca da Polícia Militar e Bombeiros, parece que o esquema de segurança funcionou bem, mobilizando 31 mil homens nos principais focos da folia. 

Havia uma desconfiança da sociedade de que a festa, notadamente o desfile do Galo da Madrugada, seria uma tragédia anunciada, mas, felizmente, quem confiou no Governo e foi reviver as emoções do maior bloco de rua do mundo, pode se divertir sem colocar a vida em risco devido à presença da polícia de forma efetiva nas ruas. Montado pelo secretário de Defesa, Ângelo Gioia, com o auxílio dos comandantes da PM e da Polícia Civil, o esquema evitou a convocação de tropas federais, como pediu um grupo de deputados da oposição na Assembleia Legislativa.

“Se fosse preciso, o governador Paulo Câmara teria solicitado, como fez ano passado. A polícia de Pernambuco tem comando. Não existe nenhum lugar em Pernambuco onde a polícia não entre. Isso não resolve. De qualquer forma, é preciso colocar a polícia na rua para ir aos lugares, porque os homens da Força Nacional não conhecem o lugar", disse Gioia, dois dias antes de abertura oficial do reinado do momo. 

Ele estava certo. Pelo que li, ontem, duas pessoas foram mortas durante a festa no Polo de Carnaval instalado no bairro do Pina, na noite da segunda-feira e na madrugada da terça-feira. Em nota, a Polícia Militar informou que as vítimas são do sexo masculino e tinham 18 e 22 anos. No início da noite do domingo, uma mulher morreu e duas pessoas ficaram feridas durante uma festa de rua no bairro do Ipsep.  Segundo testemunhas, um carro teria chegado ao local e os ocupantes de veículo teriam disparado tiros contra a multidão, que acompanhava uma disputa de sons. O chamado "paredão" reunia cerca de 600 pessoas, quando aconteceu o crime. 

As ocorrências policiais foram acompanhadas em tempo real no Centro Integrado de Comando e Controle Regional – CICCR, no Bairro de São José, o chamado Centro de Operações do Carnaval. Lá, funcionaram, de forma integrada à Secretaria de Defesa, diversos órgãos, a exemplo das polícias Federal e Rodoviária Federal, DER, Prefeitura do Recife, Consórcio Grande Recife e Metrorec.  Os números do balanço oficial hoje podem apontar para um dos carnavais mais tranquilos dos últimos anos. Ninguém torce para o quanto pior, melhor. Se isso se confirmar, os foliões e a população em geral devem reconhecer o esforço do Governo e a competência da polícia. Afinal, o que se esperava era uma tragédia. 

INSEGURANÇA EM ÔNIBUS– Um prato cheio para a oposição no Estado: fevereiro, o mês da folia, da irreverência e da alegria carnavalesca, fechou com um total de 329 assaltos a ônibus. Só na terça-feira gorda da folia foram nove casos na Região Metropolitana. Em todo o mês, no ano passado, setenta e cinco coletivos foram assaltados, um crescimento de 438% deste tipo de ação criminosa. De 1º de janeiro a 27 de fevereiro deste ano foram 674 casos. Em todo o ano de 2016 foram 1.916 casos. Não tem quem não ande, literalmente, assustado num coletivo na RMR, seja para ir ao trabalho ou qualquer lugar. 

Crise não ofusca folia– O prefeito Geraldo Júlio (PSB) que fez questão de circular nos principais polos da cidade ao longo do reinado da folia. Segundo levantamento da Secretaria de Turismo, 1,3 milhões de foliões brincaram nos 47 polos. "As pessoas não deixaram de curtir nosso Carnaval. E foi um dos mais tranquilos", afirmou a secretária de Turismo, Esportes e Lazer do Recife, Ana Paula Vilaça. O investimento total foi de R$ 27 milhões, sendo R$ 7 milhões da iniciativa privada. A ocupação da rede hoteleira do Recife ficou em 97%. "Este ano estamos também comemorando porque mesmo nesse momento de crise o turista não deixou de vir para nossa cidade", disse o prefeito. 

Queda e comemoração– Apesar do Recife ter atraído 200 mil turistas a menos em relação ao ano passado durante o Carnaval, Geraldo Júlio diz que o alto percentual de turistas na cidade é fruto não só da tradição da festa recifense, mas também dos investimentos feitos para a realização do evento. "Ter 97% de ocupação na rede hoteleira não é pouco. Num momento como esse que o Brasil está passando, isso mostra o quanto é importante o investimento no Carnaval, não somente pela história e pela cultura, mas também pela economia", afirmou. 

Velho Chico na PB– Segundo levantamento do Ministério da Integração, faltam apenas 40,3 km para que as águas do Rio São Francisco cheguem ao açude Poções, em Monteiro (PB), estrutura final do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco - que vai beneficiar os estados de Pernambuco e da Paraíba. Após passar pela última Estação de Bombeamento (EBV-6) na noite de terça-feira passada, as águas estão enchendo o reservatório Campos, em Sertânia, desde a manhã de ontem, totalizando 176,7 km. O projeto irá beneficiar o município paraibano de Monteiro nos próximos dias. Em seguida, a água vai percorrer o rio Paraíba até o reservatório Boqueirão para reforçar o abastecimento em Campina Grande. 

Mudança de estratégia– O presidente Michel Temer mudou a estratégia de defesa na ação que corre no Tribunal Superior Eleitoral- e pode cassar o seu mandato. A mudança de rumo foi definida pelo Planalto na semana passada, após a convocação de Marcelo Odebrecht na ação, que prestou depoimento ontem. Um jantar em que Temer e Marcelo combinaram doações para o PMDB, em 2014, além de um caso envolvendo repasses em troca de apoio a partidos da coligação que elegeu Dilma e Temer em 2014 podem ter sido levantados por Marcelo durante seu testemunho, ontem, em Curitiba. 

CURTAS 

APROVADO– O prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), passou no teste de fogo: sob o seu comando, a cidade reviveu a tradição dos seus grandes carnavais. Embora seja evangélico e por isso mesmo avesso à folia, ele deu total prioridade à festa por entender que é uma das maiores fontes de renda e de geração de emprego informal ao longo de praticamente 30 dias. 

PETROLINA– Com público superior a 40 mil pessoas, o sucesso do Carnaval de Petrolina foi bastante comemorado pelo prefeito Miguel Coelho (PSB). O evento contou com 40 apresentações de bandas, orquestras e artistas durante os quatro dias. Para o próximo ano, o socialista já anunciou que seu projeto é restaurar o Baile Municipal. 

Perguntar não ofende: A reforma da Previdência já começa a ser discutida na próxima semana?


Insegurança é culpa de Câmara, diz Armando

Magno Martinsqui, 23/02/2017 - 08:58

Pré-candidato a governador, o senador Armando Monteiro (PTB) voltou a bater no gargalo do Governo Paulo Câmara: a segurança pública. Acusou o governador de terceirizar a culpa pelo assalto cinematográfico à empresa de transporte de valores Brinks. Ao mesmo tempo, propôs uma união suprapartidária para ajudar a superar a grave crise da segurança pública. Ele atribui o episódio à omissão do Governo na gestão da segurança, o que, segundo ele, incentiva ações criminosas, como o roubo espetacular na Zona Oeste do Recife.

Salientando não estar fazendo qualquer uso político do que classificou como dramática situação da segurança, Armando mencionou o professor pernambucano de Direito Penal Isaac Luna para destacar que a percepção da fragilidade das instituições de segurança em Pernambuco estimula o criminoso a ousar cada vez mais. Frisou que, “na ausência do Estado, o crime prospera”.

“Há uma sensação de descontrole ou de ausência de um comando central ao se alegar uma terceirização de responsabilidades, atribuindo-as à empresa de transporte de valores e à fiscalização da Polícia Federal e relativizando as responsabilidades do estado. Esse cenário somente contribui para o aumento da criminalidade e está deixando o cidadão pernambucano atemorizado e acuado”, sublinhou o senador.

Armando disse que o roubo da Brinks engrossa estatísticas de criminalidade e violência que crescem “de forma assustadora” em Pernambuco, fenômeno contra o qual “a reação do Governo estadual tem sido tímida e débil”. O senador lembrou que, somente em janeiro último, ocorreram 479 homicídios no Estado, uma média diária de quase 16 mortes, com um crescimento de 35% sobre o mesmo mês de 2016. Ele acrescentou terem sido registrados, também em janeiro, quase 200 assaltos a ônibus, o dobro de janeiro do ano passado.

De acordo com o senador, em termos absolutos os assassinatos em Pernambuco já superam os de São Paulo, que tem uma população cinco vezes maior. Declarou que, em termos relativos, Pernambuco registra uma taxa de homicídios quase 60% maior do que a média nacional.

“O que o Governo estadual não admite haver uma enorme disparidade das taxas de homicídios entre os estados e que a gestão direta dos governantes no encaminhamento das soluções pode produzir bons resultados, como está ocorrendo, por exemplo, em Alagoas, Mato Grosso e São Paulo, que têm obtido avanços na redução das taxas de criminalidade nos últimos anos”, enfatizou.

A HERANÇA DE TEORI– Aprovado, ontem, pelo plenário do Senado por 55 votos a 13 para substituir Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, vai herdar 7,5 mil ações que estavam sob relatoria do antecessor. Desde a morte de Teori Zavascki, em janeiro, as ações não tiveram movimentação – exceto aquelas relacionadas à Operação Lava Jato, repassadas ao ministro Edson Fachin, novo relator do caso.

Pleitos municipais– Um dia após ser reeleito presidente da Amupe, o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), coordenou uma reunião da nova diretoria com o governador Paulo Câmara. Na pauta, temas importantes para os municípios como a questão do abastecimento de água, ações de convivência com a estiagem e segurança pública. A reunião ocorreu no Palácio das Princesas. Patriota também cobrou urgência na liberação das parcelas do Fundo Estadual de apoio aos Municípios para os prefeitos que já prestaram contas dos recursos aplicados, muitos dos quais com as obras já concluídas ou em adiantado estágio de execução.

Suspense sobre ministro– O presidente Michel Temer discute com os seus principais auxiliares nomes para a vaga deixada por Alexandre de Moraes no Ministério da Justiça. O desejo do presidente é resolver o novo ministro até amanhã. Um dos principais conselheiros do presidente para o assunto é Antonio Claudio Mariz, advogado e amigo de Temer. Segundo auxiliares, a preferência de Temer é por um advogado, algum nome do meio jurídico "fora do circuito" dos cotados. Mas ainda não há definição, apenas sugestões de advogados de São Paulo do grupo próximo de Temer.

Limpeza do Pajeú– Da mesma forma que ocorre em Afogados da Ingazeira, por iniciativa do vereador Augusto Martins (PR), Serra Talhada também está promovendo mutirões de limpeza do rio Pajeú. Começou com a retirada das algarobas, espécie invasora que tem raízes profundas e consome muita água, prejudicando o lençol freático. As atividades foram intensificadas também nas áreas urbanas, com a retirada do lixo acumulado e um trabalho de conscientização para que a população não volte a jogar lixo no rio. “Nossa preocupação era com a chegada das chuvas, por isso intensificamos rotineiramente as ações desde dezembro e já estamos com mais de 60% da área urbana concluída, um trabalho difícil e gradativo, mas que surtirá grandes efeitos a longo prazo”, disse o secretário de Meio Ambiente, Ronaldo Melo Filho.

Murro na mesa e olheiro– Na reunião do secretariado, sábado passado, no Palácio das Princesas, o governador Paulo Câmara (PSB) deu, literalmente, um murro na mesa. Disse que não ia mais aturar secretários que não tratassem bem e priorizassem em suas agendas as demandas dos deputados da sua base na Assembleia Legislativa. “Nossa base tem sido muito fiel e merece tratamento digno”, avisou. Também chamou a atenção à presença do jornalista Evaldo Costa, que recentemente assumiu a Secretaria-Executiva de Comunicação Governamental no lugar do jornalista Evaristo Filho, na condição de olheiro. O antecessor nunca foi lembrado para encontros do primeiro escalão.

CURTAS

ELEIÇÃO– O Cartório Eleitoral da 16ª Zona Eleitoral, em Ipojuca, promoveu, no auditório do Fórum do Município de Ipojuca, encontro com a Polícia Militar, Polícia Civil, Representantes das Coligações e seus advogados, e representantes das rádios e empresas de comunicação locais para orientar os agentes envolvidos nas eleições suplementares para o cargo de prefeito do município e elaborar estratégias em conjunto, de modo a facilitar a organização do pleito.

PASSEATA– Esposas e maridos de policiais e bombeiros militares fizeram, ontem, um ato público, no centro da cidade, para reafirmar a disposição dos policiais de manter a chamada operação padrão no Carnaval. Aos gritos de "Fora Gioia", o secretário de Defesa Social de Pernambuco, a manifestação se concentrou no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, pedindo a revogação do pedido de prisão das lideranças. A passeata teve início por volta das 16 horas.

Perguntar não ofende: Quantos bandidos do assalto cinematográfico a uma empresa de valores do Recife já foram presos?


Perdido e sem comando

Magno Martinsqua, 22/02/2017 - 09:01

Num determinado momento da sua entrevista sobre o maior e mais ousado assalto da história do País a uma empresa de segurança de valores, ocorrido na madrugada de ontem na Zona Oeste do Recife, o secretário de Defesa, Ângelo Gioia, disse que seria inócuo trazer tropas federais para reforçar a segurança do Carnaval, porque eles (os agentes do Exército) não conhecem os locais onde impera o medo e a bandidagem na Região Metropolitana.

Vale perguntar ao secretário Gioia se ele também conhece esse submundo. Evidentemente, não. Exportado do Rio de Janeiro, o secretário não conhece nem os locais nem tampouco a realidade da segurança pública. Nada contra quem vem de fora ou carregue no sotaque carioca, mas a grande verdade é que o governador Paulo Câmara cometeu um grande equívoco na escolha. Num momento em que o Pacto pela Vida está ameaçado, tempo é ouro.

Gioia ainda vai gastar muito tempo para se adaptar aos costumes e a cultura de um Estado que luta há muito tempo para vencer a violência e a bandidagem. Quando se importa alguém para chefiar uma área tão sensível e complicada, a começar de casa, dos comandados, a hostilidade é exposta de forma numa e crua. Nem que fosse o cão chupando manga, ditado para carimbar um todo-poderoso adaptado à nossa cultura regional, o carioca superaria a montanha de dificuldades.

Os próprios escolhidos para auxiliar o secretário não têm interesse no seu sucesso e conspiram. Não há um mundo mais corporativista do que o policial. É cobra engolindo cobra! O governador, que já mudou os comandantes da Policia Militar e Polícia Civil, não pode continuar batendo cabeça. Gioia não deu certo nem dará. Quando algo nasce para dar certo, se percebe logo na largada. Não é o caso do secretário de Defesa, no cargo há quatro meses.

Tempo suficiente para ter mostrado que seu trabalho teria alguma chance de dar certo. Não deu. Com Gioia no comando da segurança pública no Estado, nos últimos 120 dias a violência tem crescido de forma assustadora, levando o Estado a liderar o ranking de homicídios e assaltos a bancos no País. O secretário é fraco. Diante do maior assalto a uma empresa segurança de valores, ele disse que a sua polícia respondeu à altura. Como, se até agora ninguém foi preso e nenhum centavo dos R$ 60 milhões roubados foi recuperado?

CONSTRANGIMENTO– Houve um movimento de alguns aliados do Governo para evitar que o senador Edison Lobão (PMDB-MA) presidisse a Comissão de Constituição e Justiça na sessão da sabatina de Alexandre de Moraes, indicado por Temer para vaga de ministro no STF. A avaliação desses aliados é que o fato de um dos filhos de Lobão, Márcio Lobão, ter sido alvo na semana passada de uma operação sobre desdobramentos da Lava Jato geraria desconforto ao próprio sabatinado. Mas Lobão teve o respaldo do líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros (AL), para comandar os trabalhos durante a sabatina.

Patrulha inflada– O líder da oposição na Assembleia, Silvio Costa Filho (PRB), que ontem protocolou, junto com a bancada oposicionista, no Palácio das Princesas, pedido para que o governador Paulo Câmara convoque reforço do Exército destinado a garantir a segurança no Carnaval, afirmou não acreditar nos números de policiais – 31 mil – que serão mobilizados. “São números inflados, não existem armas, munição nem coletes suficientes para atender esse contingente”, afirmou. 

Boa notícia– O Banco do Nordeste levará três empreendedores de startups da Região para intercâmbio de uma semana em Israel, país considerado polo mundial de inovação. Serão selecionados projetos que foquem uso eficiente e reuso de água, smart cities (cidades inteligentes) e uma terceira iniciativa de tema livre, definidos por chamada pública, com inscrições abertas. Os interessados podem se inscrever até o dia 3 de março pela internet na página do Hub Inovação Nordeste (Hubine), iniciativa do BNB para fomento à inovação: hubine.bnb.gov.br.

Tropas descartadas– O secretário de Defesa, Ângelo Gioia, disse, ontem, que não vê necessidade de convocação de tropas federais para reforçar a segurança no Carnaval, mas se fosse preciso, o governador Paulo Câmara já teria solicitado como fez no ano passado. "A Polícia de Pernambuco tem comando. Não existe nenhum lugar em Pernambuco onde a polícia não entre. Isso não resolve. De qualquer forma, é preciso colocar a polícia na rua para ir aos lugares, porque os homens da Força Nacional não conhecem o lugar", justificou.

O sorriso doloroso– Num belíssimo e emocionante artigo postado no meu blog, ontem, o marqueteiro José Nivaldo Júnior, integrante da Academia Pernambucana de Letras, lembrou a passagem 30º aniversário da morte do vereador e advogado Evandro Cavalcanti, de Surubim, terra natal de ambos. “Evandro era um amante da vida. Compartilhamos grandes e belos momentos. De lutas e risos. Tornou-se, pelo sacrifício, um símbolo que inspira as lutas populares do Brasil inteiro. Muitas vezes ele repetiu uma frase que, sinceramente, não lembro se era dele, minha, de Leonardo Cavalcanti ou de quem quer que seja. Sua voz inconfundível está nítida na minha memória: "Zé, o povo não tem direitos, tem conquistas”. Registrado, companheiro. O seu sorriso está presente”. 

CURTAS 

AMUPE– Pela segunda vez, José Patriota, prefeito de Afogados da Ingazeira pelo PSB, foi eleito, ontem, presidente da Amupe. Com ele, completa o time na executiva a vice, Ana Célia Farias, prefeita de Surubim; o tesoureiro João Batista Rodrigues, prefeito de Triunfo; e mais 37 componentes do Conselho Fiscal e Deliberativo, que serão coordenadores regionais.

AJUDA AOS ESTADOS– O presidente Michel Temer disse, ontem, que a União só poderá ajudar na recuperação fiscal dos Estados se houver contrapartidas por parte dos governos locais. Na última segunda-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, informou que o Governo enviará ao Congresso Nacional um novo projeto de recuperação fiscal para os Estados em dificuldades.

Perguntar não ofende: Quem vai brincar o Carnaval confiante na segurança montada sem a ajuda do Exército?


A pá de cal em Lula

Magno Martinsqui, 16/02/2017 - 07:31

As revelações da revista IstoÉ, ontem, antecipando, com exclusividade, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu R$ 8 milhões em dinheiro vivo da Odebrecht, podem sepultar de vez o projeto da volta do petista ao poder. Até então, aquele que se considera o homem mais honesto do mundo esbravejava que era inocente e que ninguém tinha provas do seu envolvimento na operação Lava Jato.

Está provado que o castelo de Lula não era de concreto, mas de areia. E desmoronou! Na sua defesa, dirá que a dinheirama tem relação direta com o pagamento de palestras. Segundo o que a revista apurou, a grana chegou às mãos de Lula quando ele já não era mais presidente. Mas que empreiteira tão generosa para bancar R$ 8 milhões em blábláblá de um ex-presidente!

Como diz um ditado popular, tem mais alguma coisa no ar, além de avião de carreira. Só os petistas empedernidos ou os lulistas cegos para não reconhecer a fortuna da família Silva, a começar pelo filho Lulinha, que virou de uma hora para outra um limpador de cocô de elefante de zoológico num dos novos e prósperos ricaços do País. Basta ver o seu patrimônio.

O juiz Sérgio Moro já deve ter todas as provas para botar Lula, o chefe da quadrilha, no xadrez. As evidências da ladroagem vão aparecendo passo a passo, na medida em que o cerco vai se fechando. Profissional meticuloso e frio, como deve ser todo magistrado num esquema de tal envergadura, Moro vai comendo pelas beiradas.

Não quer deixar brechas para contestações. Sabe ele que a prisão de Lula não é um ato comum nem tampouco involuntário. Envolve mentes e corações. Mexe com o sentimento humano. Como na operação Mãos Limpas, na Itália, o desfecho que se materializa com a prisão do chefão da máfia é a última cartada. Não pode dar errada nem sofrer atropelos.

Certa vez ouvi do advogado Hélio Bicudo, ex-petista, um dos signatários da peça jurídica que fundamentou o impeachment de Dilma, que Lula, antes de virar presidente, morava em um apartamento com dois quartos no ABC paulista, com contas atrasadas de condomínio, sem ter onde cair morto. Com as rédeas do poder nas mãos, construiu um patrimônio sólido, enriqueceu a família.

No mesmo dia em que uma revista traz a prova do crime, Lula desponta na liderança de uma pesquisa para presidente. Normalíssimo! Trata-se do chamado recall, a lembrança do nome mais conhecido pelo eleitorado alienado, que não acompanha nem tem capacidade de avaliar os fatos do dia a dia.  Lula não é candidato nem resistiria a uma campanha sendo réu em cinco processos. Com o desenrolar da campanha, despenca nas pesquisas e vira um zumbi. 

APOSENTADO ESTENDE A MÃO– Aposentado da Polícia Militar, Silvio Romero Barbosa da Silva traz uma sugestão ao governador Paulo Câmara: convocar a tropa já de pijama para trabalhar no Carnaval. “Eu mesmo vou e tenho certeza que muitos colegas meus aposentados também não se furtariam ao desafio”, diz ele. Uma saída bastante polêmica, que deve dividir também o segmento da Polícia Militar já inativo, porque o reajuste que a categoria pleiteia também seria estendido aos que estão vivendo do rendimento previdenciário. 

Passou autoritarismo– No primeiro teste de fogo do novo líder do Governo na Assembleia, Isaltino Nascimento, ex-petista frustrado, neossocialista, ficou a imagem de um radical, que não respeitou sequer o prazo da tramitação da matéria pelas comissões temáticas. “Quis fazer prevalecer o rolo compressor para ficar bem perante o chefe”, diz um parlamentar da oposição, desapontado com o desequilíbrio e a intransigência do líder governista.

Duque elogia Temer– O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), aplaudiu, ontem, o presidente Michel Temer (PMDB) pela decisão de liberar140 mil toneladas de milho, dos estoques do Governo, para salvar o rebanho de pequenos criadores do Nordeste. “Este foi um apelo meu quando Temer esteve aqui em Serra”, disse, destacando também o papel que o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) teve, igualmente, para materializar o pleito dos criadores que, com o prolongamento da seca, estão ameaçados de grandes prejuízos com a morte dos animais. 

Desarmamento em Camaragibe– O prefeito de Camaragibe, Demostenes Meira (PTB), faz a primeira campanha de desarmamento no município ao longo desta semana. Moradores do município com armas sem registro ou com o documento vencido foram estimulados a entregar até hoje o armamento num stand montado em frente à Prefeitura. A Campanha do Desarmamento só foi possível graças à parceria com a Polícia Militar (PM). Como estimulo aos que entregaram suas armas, bonificações entre R$ 150 e R$ 400 por unidade. A coleta foi monitorada por uma equipe especializada da PM.

Cobrando na cara– O prefeito de Lagoa Grande, no Vale do São Francisco, Valmir Cappellaro (PMDB),aproveitou o encontro do secretário de Desenvolvimento, Raul Henry, com os empresários e investidores da região, para culpar o Governo pela falta de projetos estruturadores. “Há necessidade de um olhar mais sério e comprometido com Lagoa Grande, Cabrobó, Orocó e Santa Maria da Boa Vista. Precisamos de mais obras estruturantes. Os empresários precisam de mais incentivos para gerar novos empregos e atrair novos investidores. Precisamos de mais apoio logístico, tanto para a criação de distritos industriais quanto nas rodovias, portos e aeroportos”, afirmou. Em dois anos, o governador Paulo Câmara não fez um projeto estruturador na região, segundo ele.

CURTAS 

REELEIÇÃO– Vereador em Cumaru, Gilvan da Malhadinha (PSD), candidato a tesoureiro na chapa de reeleição de Josinaldo Barbosa, que disputa à reeleição para presidente da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), não tem nenhuma dúvida da vitória. A eleição está marcada para 25 de março. “Os vereadores querem a continuidade de uma gestão que deu certo”, diz ele. 

DESGASTE– Renan Calheiros, líder do PMDB, e Romero Jucá, líder do Governo, tentaram antecipar, na Comissão de Constituição e Justiça, a sabatina do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, indicado para vaga de ministro do STF. A avaliação é que o episódio criou um desgaste desnecessário, já que o cronograma original previa a sabatina na CCJ na próxima semana, com votação em plenário até 22 de fevereiro. 

Perguntar não ofende: Paulo Câmara fez questão de colocar o secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, na foto de um evento em São Paulo para mostrar que o auxiliar é imexível?

Tags:

Antônio com linhagem tucana

Magno Martinster, 14/02/2017 - 08:00

Derrotado na corrida para prefeito de Olinda, o advogado Antônio Campos, que atribui seu insucesso eleitoral aos caciques do PSB, está deixando a legenda socialista atirando. Ele não poupa ninguém. Bate duro no governador Paulo Câmara, em vários dos seus auxiliares, como o chefe da Casa Civil, Antônio Figueira, e descobriu até arapongagem patrocinada pelos seus oponentes socialistas que torciam pela sua derrocada.

Antônio promete em março anunciar, oficialmente, sua nova opção partidária, pela qual disputará um mandato de deputado federal nas eleições de 2018. O que já vazou é que está se preparando para ter bico e plumagem tucana, ingressando no PSDB. É possível. A legenda tucana é, hoje, no Estado um balaio de gatos sem dono. Depois da morte do ex-senador Sérgio Guerra, em 2014, o partido ficou à deriva.

Não conseguiu um sucessor de peso nem de liderança. Quando prefeito de Jaboatão, Elias Gomes e o seu filho Betinho Gomes, deputado federal, detinha o controle de um naco do partido, embora pequeno. Mesmo antes de virar ministro, Bruno Araújo, que poderia ter sido o novo mandachuva tucano pela relação próxima com Aécio Neves, preferiu entregar o diretório estadual ao deputado Antônio Moraes.

Bruno alegou que não tinha vocação nem saco para cuidar de assuntos da província. De olho no controle da legenda para disputar a Prefeitura do Recife, o deputado Daniel Coelho garfou outro naco do partido, mas com a derrota fragilizou-se. Sua voz já foi mais proativa. A quem ficou entregue o partido, então? O PSDB não tem, hoje, uma única voz de comando, que se imponha.

Diz um provérbio português que em casa onde falta pão, todos brigam, mas ninguém tem razão. Se optar de fato pelo PSDB, Antônio Campos não deve chegar cantando de galo, mas com o tempo, percebendo que o partido não tem comando nem liderança no Estado, cuidará de assumir um papel preponderante, principalmente se vier a ser eleito deputado federal.

DIVISOR– Logo após a divulgação de parte da delação ex-vice-presidente da Odebrecht, Claudio Melo Filho, o Palácio do Planalto já havia definido, internamente, o tratamento que seria dado a ministros do Governo que aparecessem nos depoimentos. Um ministro de Temer revelou, um dia após a delação de Claudio Melo vir à tona, que "o divisor de águas" para decidir se um ministro ficaria ou sairia do Governo seriam os pedidos de abertura de inquérito da Procuradoria-Geral da República. Até porque, avaliavam, políticos citados podem não ser alvos de investigação.

Elias abandona governador– Em baixa, vítima de uma dupla derrota – não fez o sucessor em Jaboatão nem tampouco elegeu o filho Betinho prefeito do Cabo – o ex-prefeito Elias Gomes está trocando a plumagem tucana, largando o palanque do governador Paulo Câmara (PSB) e debandando para a oposição. Qualquer nome consensual do bloco oposicionista em 2018 terá o seu apoio. Aos mais próximos, ele tem dito que não acredita na reeleição de Câmara e que pode até apoiar outro nome do PSB. Assume uma torcida, ainda silenciosa, pela candidatura alternativa de Fernando Bezerra Coelho, que, na opinião dele, assumirá o controle do diretório estadual.

Porto quer bombar Bruno– O deputado Álvaro Porto, da bancada do PSD na Assembleia Legislativa, convidou a bancada de oposição para um regabofe na casa dele, hoje à noite. O cardápio é bode assado, mas a sobremesa tem sabor eleitoral: 2018. Adepto da candidatura do ministro Bruno Araújo a governador, Porto já admite até virar tucano se o aliado conseguir unir o conjunto das oposições em torno seu nome para o Palácio do Campo das Princesas. Se isso ocorrer, as juras de fidelidade que Porto fez ao presidente estadual do PSD, André de Paula, viram letra morta.

Panelaço em São João– O prefeito de São João, Genaldi Zumba (PSD), não pagou ainda os salários dos servidores inativos referentes aos meses de dezembro e janeiro. O mais grave disso tudo é que assumiu compromisso de começar a quitar no mês passado e não cumpriu a palavra. Insatisfeitos, os aposentados promoveram, ontem, mobilizados pelo Sindicato dos Servidores Municipais, um grande panelaço pelas ruas da cidade para denunciar que o prefeito está matando muitas famílias de fome.

Barbas de molho – A surpreendente declaração do presidente Temer, ontem, afirmando que afastará ministro que for denunciado na operação Lava Jato, gerou uma grande repercussão. O delator da Odebrecht Claudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht que relatou pagamento de propina ao presidente Michel Temer, foi homenageado em 2012 pelo atual ministro das Cidades, Bruno Araújo, quando ele era líder tucano na Câmara. Em seu acordo de delação, Melo Filho afirma que desenvolveu “uma boa relação profissional e pessoal” com o tucano, chegando a falar de “relação de amizade”.

CURTAS

DÍVIDAS– O ministro da Integração, Helder Barbalho, assinou, ontem, portaria que estabelece novas regras operacionais para a renegociação de dívidas de agricultores em perímetros públicos irrigados da Codevasf e Dnocs. A medida beneficia mais de 12 mil agricultores atingidos pela seca. Os débitos são relativos a vendas de lotes para titulação e uso de infraestrutura de irrigação, conhecidas como K1. O documento regulamenta o artigo 13 da Lei n. 13.340, de 28 de setembro de 2016.

PATINHO FEIO– Não se sabe a razão, mas a direção estadual do PSB ignora a situação deplorável do partido em Triunfo. Ali, a legenda virou o patinho feio do Sertão do Pajeú e até o presidente do diretório municipal, Romildo Johnson, está prestar a pular do barco, jogando a ficha de filiação no lixo. Pelo jeito, não vai sobrar ninguém para juntar os cacos.

Perguntar não ofende: Depois do recado de Temer aos ministros, qual vai cair primeiro?