window._taboola = window._taboola || []; _taboola.push({article: 'auto'}); !function (e, f, u, i) { if (!document.getElementById(i)) { e.async = 1; e.src = u; e.id = i; f.parentNode.insertBefore(e, f); } }(document.createElement('script'), document.getElementsByTagName('script')[0], '//cdn.taboola.com/libtrc/leiaja/loader.js', 'tb_loader_script');
Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

A Bolsa-estiagem

Magno Martinssab, 25/03/2017 - 11:08

Sem apelo para o nordestino, de viés extremamente lulista, o presidente Michel Temer (PMDB) tem feito algumas tentativas para conquistar a simpatia de quem sempre o olha com desconfiança. Acelerar as obras da Transposição foi o seu maior feito. A água, finalmente, chegou a dois Estados – Pernambuco e Paraíba - e em breve pode molhar o chão seco e matar a sede de mais dois Estados – Ceará e Rio Grande do Norte.

A investida na Transposição do São Francisco provocou ciumeiras no PT, que abriu um precedente histórico e preocupante no País, fazendo um ex-presidente, no caso Lula, inaugurar uma obra sem ter mais autoridade nem legitimidade para tal. Em ato na cidade de Monteiro, domingo passado, Lula e Dilma disseram que Temer quer pegar carona na obra que tem o DNA deles.

Temer sabe que, em qualquer projeto que esteja na sua cabeça para 2018, minar as bases de Lula no Nordeste não é meta, mas obrigação seja ele candidato à reeleição ou o nome que venha a apoiar. Saíram dos bolsões de miséria da região os votos que elegeram Lula, carimbaram seu passaporte para reeleição e, consequentemente, elegeram o poste Dilma.

Por isso, algo tem que ser feito em favor dessa gente fiel, eleitora de cabresto de Lula. Reunido com Temer na semana passada, o senador Fernando Bezerra Coelho, líder do PSB no Senado, aliado de primeira hora do Governo, colocou na mesa aquela que pode ser a grande cartada do Governo para o presidente mostrar seu apreço aos nordestinos: a Bolsa Estiagem.

Trata-se de um complemento de R$ 70 ao valor recebido pelos agricultores cadastrados no programa Bolsa Família. Vigoraria entre maio a dezembro, sendo suspenso mediante a chegada das primeiras chuvas no Nordeste. Fernando disse que Temer está convencido de que algo precisa ser feito para minorar os estragos causados ao semiárido pela frustração das chuvas. Esperava-se um bom inverno, com chuva em abundância, mas as expectativas não estão sendo confirmadas.

Diante disso, o Governo será fortemente cobrado a criar um amparo, uma tábua de salvação. Se a bolsa estiagem vingar, o que ainda depende da boa vontade da equipe econômica de Henrique Meireles, estará assegurado ao criador de gado o mecanismo para comprar o milho subsidiado da Conab, por R$ 35 a saca, metade do preço praticado no mercado.

A ajuda emergencial pode até ser encarada como mais uma esmola da União, que trata o Nordeste como um enteado desde o Império, mas certamente fará a alegria e a felicidade de muita gente humilde, que não aguenta mais tamanho prejuízo provocado pelo mais longo período de seca no Nordeste, completando sete anos consecutivos.

DESINFORMAÇÃO – Em meio aos discursos na etapa Petrolândia – Sertão de Itaparica – do seminário regional Pernambuco em ação, o senador Fernando Bezerra (PSB) teve que rebater as críticas do deputado Rodrigo Novaes (PSD). Numa fala anterior, Novaes afirmou que a Codevasf, que os Coelhos exercem forte influência, teria que chegar com presença mais robusta no Sertão de Itaparica, sendo hoje um órgão com ações restritas a Petrolina. De imediato, o senador disse que a Codevasf está perfurando mais de 60 poços em regiões além do São Francisco, sendo mais de 20 em Itaparica. FBC não chegou a tanto, mas deixou a entender que o deputado estava desinformado.

A vaia da claque – Aliado fiel acaba pagando um preço caro em algumas ocasiões. Na quinta-feira passada, na inauguração da estrada que liga Flores ao distrito de Fátima, o secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira, provou deste fel. Por uma questão de lealdade, citou que a ex-prefeita Soraya Murioka (PR), do seu grupo, teria tido papel importante para a pavimentação sair do papel, mas a reação não foi boa. Uma claque do prefeito Marconi Santana e, por tabela ligada ao deputado Danilo Cabral, atores que insistem em assumir sozinhos a paternidade do projeto, vaiou o secretário.

Prefeito ficou de fora – O prefeito de Floresta, Ricardo Ferraz (PRP), recebeu, ontem, em seu gabinete, o governador Paulo Câmara. A visita foi incluída na agenda de Câmara porque o prefeito faltou ao seminário Pernambuco em ação pela manhã, em Petrolândia, alegando que teria dificuldades em dividir o mesmo ambiente com seus adversários – o grupo da ex-prefeita Rorró Maniçoba, hoje liderado pelo deputado federal Kaio Maniçoba – e o grupo do deputado Rodrigo Novaes (PSD). Floresta, aliás, é sempre uma dor de cabeça para o governador. Ele teve que almoçar na casa de Rodrigo e lançar na casa de Rorró.

Em maus lençóis – O ex-executivo da Odebrecht José de Carvalho Filho disse em depoimento ao TSE que negociou pessoalmente com Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, a distribuição de R$ 4 milhões para o PMDB em 2014. Segundo Carvalho, parte dos R$ 4 milhões que Padilha distribuiria seria entregue ao deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). E que a entrega seria feita no escritório do advogado José Yunes, em São Paulo. Esse montante era parte de uma doação maior, de R$ 10 milhões, que a construtora destinaria para o partido naquele ano. Carvalho disse que esteve pessoalmente com o ministro quatro ou cinco vezes para pegar endereços e distribuir senhas. Na semana passada, Padilha decidiu manter silêncio sobre denúncias.

Dinheiro tem, apesar da crise – Na passagem, ontem, pelo Sertão de Itaparica, o governador Paulo Câmara liberou recursos da ordem de R$ 35 milhões para os sete municípios que integram a região. Só na área do secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota, foram R$ 7 milhões para fortalecer programas de agricultura familiar. “O PAA Alimentos garante também segurança nutricional à população. Serão adquiridos 262 mil quilos de alimentos de 240 agricultores familiares, beneficiando 6.550 pessoas. Já o PAA Leite prevê a distribuição de 620.500 litros diariamente, para atendimento a 1.724 famílias”, disse Mota.

CURTAS

NORONHA – O projeto da Administração de Fernando de Noronha na área de Meio Ambiente denominado “Jogue Limpo com Noronha – Coleta Seletiva e Compostagem” - foi aprovado pela Fundação Banco do Brasil. A iniciativa tem como objetivo estimular a separação e destinação dos resíduos sólidos pela população para um local ambientalmente adequado, além de estabelecer o desenvolvimento sustentável do arquipélago.

FIASCO – Os prefeitos da região de Itaparica, especialmente o anfitrião Pastor Ricardo (PR), ficaram mal na foto, ontem, com o governador Paulo Câmara: não mobilizaram as lideranças políticas para o seminário Pernambuco em ação. Diferentemente do primeiro em Afogados da Ingazeira, o de Petrolândia estava esvaziado. Foi preciso recorrer aos alunos do ensino médio para fazer plateia.

Perguntar não ofende: Se Arcoverde bombar hoje, Petrolândia vai virar o patinho feio do seminário “Pernambuco em ação” ?


Lista fechada é casuísmo

Magno Martinsqua, 22/03/2017 - 12:44

O Congresso, que só legisla do umbigo para baixo, está querendo dar um golpe na democracia: impedir que o eleitor possa escolher, de forma livre e independente, o seu deputado nas eleições de 2018. Pela proposta da lista fechada, já em discussão na Câmara dos Deputados, se vier a ser aprovada no arremedo de reforma política, não haverá sequer campanha para deputado.

 

Nesse modelo, os eleitores votam no partido em vez de escolherem candidatos avulsos, e os votos são depois distribuídos de acordo com uma ordem de candidatos previamente definida pela legenda. Os defensores da mudança dizem que ela é necessária para tornar as campanhas mais baratas e mais fáceis de fiscalizar, tendo em vista que as doações de empresas - alvo de escrutínio na Operação Lava Jato - estão proibidas por decisão do STF.

O modelo é adotado em 29 países no mundo, segundo o cientista político e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Jairo Nicolau, referência no assunto. Entre eles estão Espanha, Portugal, Israel, Turquia, África do Sul, Argentina e Uruguai. Para opositores da ideia, no entanto, a proposta tem como objetivo facilitar a reeleição dos parlamentares, muitos desgastados pelas denúncias da Lava Jato, evitando assim a perda da prerrogativa de foro.

Essa percepção foi reforçada pelo fato de alguns congressistas terem defendido que políticos que já tenham mandato sejam os primeiros nas listas dos partidos. As conversas em torno da proposta começaram no último fim de semana, tendo sido debatida em um almoço na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que comemorou o aniversário do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB).

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, participou da comemoração e, em seguida, se reuniu no Palácio do Jaburu com o presidente Michel Temer. O tema do encontro foi reforma política. Temer, Mendes, Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, se reuniram oficialmente no Palácio do Planalto. Na saída do encontro, os participantes defenderam a lista fechada.

Mas eles estão pensando, claro, na tábua de salvação. Sabem que se forem ao julgamento das urnas serão reprovados, porque há um sentimento de mudança no perfil do Congresso brasileiro para as eleições de 2018. A lista fechada, defendida ardorosamente agora pelos que foram contra no passado, promove a impunidade da turma da Lava Jato que não quer perder foto privilegiado.

CPI DA PREVIDÊNCIA– O senador Paulo Paim (PT-RS) protocolou, ontem, junto à Secretaria-Geral da Mesa do Senado, um requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a apurar eventuais desvios de dinheiro da Previdência Social. O pedido de criação da CPI da Previdência foi assinado por 47 senadores e recebeu apoio informal de outros três parlamentares. Paim protocolou o requerimento acompanhado de líderes de sindicatos e de movimentos sociais, que gritavam palavras de ordem contra as reformas da Previdência, trabalhista e contra o projeto que regulamenta a terceirização.

A força de Sebastião– O secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira, deu uma demonstração de força e prestígio com o governador Paulo Câmara, cancelando a programação extra do seminário regional do Sertão do Pajeú, que começaria amanhã pela manhã em Itapetim, e no seu lugar incluindo uma visita da comitiva governamental ao terreno onde será construído o Hospital Geral do Sertão, em Serra Talhada, sua principal base política. Sebastião também abre as portas da sua casa naquela cidade, no início da noite, para um jantar em torno do governador, com direito a soltar a voz como cantor de sofrência.

Batalhão de Caruaru– O governador Paulo Câmara enviou, ontem, à Assembleia Legislativa, Projeto de Lei Complementar que cria o Batalhão Integrado Especializado (BIE) de Caruaru, na estrutura orgânica da Polícia Militar de Pernambuco. O objetivo é aperfeiçoar, quantitativa e qualitativamente, as ações voltadas à promoção da segurança pública e do bem-estar da população do Interior do Estado. A nova estrutura desempenhará suas atribuições no combate à criminalidade em Caruaru e  no Agreste, reforçando o policiamento ostensivo em grandes eventos, praças desportivas, unidades prisionais e demais espaços públicos.

Recife na lista – O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou que os aeroportos de Goiânia, Recife e Vitória deverão fazer parte de uma nova oferta para a concessão de dez novos terminais da Infraero para a iniciativa privada. A oferta ainda está em estudo e deve ocorrer apenas em 2018. O ministro também confirmou que os aeroportos de Congonhas em São Paulo, Santos Dumont no Rio de Janeiro, Curitiba e Manaus continuarão sob o guarda-chuva da Infraero.  A inclusão de novos terminais se dá, segundo ele, pela bem sucedida concessão em Porto Alegre, Florianópolis, Salvador e Fortaleza, realizada recentemente.

O primo de Pinóquio– O prefeito de Santa Cruz da Baixa Verde, Tassio Bezerra (PTB), farrapou na palavra empenhada com os servidores da saúde, não pagando o salário da categoria na última segunda-feira, data limite anunciada. Além de matar de fome os profissionais que cuidam da saúde da população, o trabalhista não deu a menor satisfação. O que a rádio corredor da Prefeitura divulgou é que ele não pagou a quem deve alegando que não tem recursos, mas o Portal da Transparência comprova que o prefeito é mesmo primo de Pinóquio: lá, consta que foi feito uma transferência no valor de R$ 37.556,00. Não paga, portanto, porque não quer.

CURTAS

PROCESSADO – O Ministério Público Federal processou o ex-prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, nas esferas penal e cível, por irregularidades na prestação de contas de recursos federais recebidos por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Segundo consta nos processos, o município de Olinda recebeu, em 2011, R$ 1,437 milhão para aplicar no Programa Nacional de Inclusão de Jovem (Projovem) Urbano, mas não cometeu irregularidades.

NOVO PARTIDO– Um grupo de deputados começou a se movimentar para criar uma nova legenda para as eleições de 2018: o Podemos. Como está muito em cima para coletar assinaturas de apoio à criação de uma nova legenda, o movimento é para mudar o nome do Partido Trabalhista Nacional (PTN), atualmente com 14 deputados. Presidente nacional do PTN, a deputada Renata Abreu (SP) articula pessoalmente a mudança de nome do partido com o objetivo de formar um novo grupo político.

Perguntar não ofende: A Polícia Federal deu de fato uma grande derrapada na operação a Carne é Fraca?


A mão que afaga é a mesma...

Magno Martinster, 21/03/2017 - 09:00

Independente de ter bancado ou não o ato da Transposição em Monteiro, domingo passado, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), ficou em maus lençóis. Seu discurso, rasgando o verbo para amaciar o ego de Lula, Dilma e o PT, é uma peça contraditória para não classificar de oportunista. Se não, vejamos.

Há 40 dias, no mesmo local em que Lula esteve ontem, o presidente Michel Temer (PMDB) foi elogiado pelo governador ao inaugurar, oficialmente, a chegada das águas do Velho Chico ao seu Estado. Agradeceu pela decisão política do seu Governo de priorizar a retomada das obras do projeto e que isso seria com o tempo reconhecido e valorizado.

Já ontem, diante de Lula e Dilma, Coutinho mudou o tom. Numa recaída petista – hoje é filiado ao PSB – o governador se inspirou no ditado que diz que a mão que afaga é a mesma que apedreja. Como se passasse uma borracha no que saiu da sua boca em tão pouco tempo atrás, carimbou o Governo Temer de golpista e voltado para as elites do centro-sul maravilha.

Coutinho, certamente querendo agradar a Lula e ao PT, afirmou que ninguém, com exceção dele e Dilma, poderia se apresentar ao povo nordestino como padrinhos da Transposição. O governador quis roubar a cena. Não permitiu que ninguém falasse depois dele, a não ser Lula. Até a ex-presidente Dilma foi obrigada a discursar antes, por imposição dele ao cerimonial.

E quando discursou, além de trair as palavras de elogios a Temer no evento anterior, mentiu ao afirmar que seu Governo não deu um tostão para fazer o ato maior do que Lula esperava. “Aqui, no território livre da Paraíba, o povo sabe o que é verdade, o povo tem a coragem de ir às ruas. […] Eu agradeço aos meus companheiros, prefeitos aqui da região. Botaram a mão na massa. Fizeram, efetivamente, de burro, de carroça, de carro, de ônibus, de qualquer jeito criaram as condições para que muita gente estivesse aqui. Não foi gasto um centavo de dinheiro público, não foi gasto nada, a não ser o sentimento de gratidão que o nosso povo tem”, disse. Dá para acreditar?

CAMPANHA– O PMDB começou a exibir, ontem, 15 inserções na TV com foco em medidas econômicas tomadas pelo Governo Michel Temer e dirá que a reforma da Previdência é "sem dúvida a de maior importância". Sem fala nem aparição do presidente, umas das peças publicitárias, a que o blog teve acesso, diz que, sem a reforma, o sistema pode entrar em "colapso". "A reforma não é uma imposição, é uma necessidade. E o presidente não vai fugir a ela", diz a inserção. O marqueteiro Elsinho Mouco, responsável pelo conteúdo, nega que Temer tenha evitado gravar para fugir de vaias ou das "panelas". "Ele vai gravar para o programa do PMDB no final do mês, e o programa tem dez minutos", disse.

Itapetim recebe R$ 10 milhões– Antes de abrir o novo modelo de seminários regionais em Afogados da Ingazeira na próxima quinta-feira, às 14 horas, o governador Paulo Câmara (PSB) cumpre agenda em Itapetim, o berço imortal da poesia. Lá, ao lado do prefeito Adelmo Moura (PSB), assina ordem de serviço, no valor de R$ 10 milhões, para obras de saneamento no município e inaugura uma ponte com recursos do FEM. A programação começa às oito da manhã, 40 minutos após o governador pousar na cidade paraibana de Patos.

Lista fechada– Políticos investigados e citados na Operação Lava Jato ocupam cargos de destaque no comando de nove dos dez partidos com maiores bancadas na Câmara dos Deputados. Esses dirigentes terão influência na definição dos candidatos que integrarão as listas partidárias fechadas, caso essa forma de votação para eleição de deputados federais, estaduais e vereadores seja aprovada pelo Congresso. Todos negam qualquer irregularidade. A lista fechada vem sendo articulada pelos presidentes da Câmara e do Senado, com aval do presidente Temer e do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes.

Santa Misericórdia – O deputado federal Fernando Monteiro (PP) visitou, ontem, a Santa Casa de Misericórdia do Recife. Após reunião com o superintendente executivo, Fernando Costa, o parlamentar se comprometeu a liberar recursos para a entidade junto ao Ministério da Saúde. "O trabalho filantrópico feito pela Santa Casa ajuda muita gente. Vou batalhar para que essa instituição continue cuidando dos pernambucanos", pontuou Fernando, que é do mesmo partido do ministro Ricardo Barros, o PP.

PT ou movimentos sociais?– O deputado Sílvio Costa (PTdoB), que esteve presente na comitiva do ex-presidente Lula em Monteiro, disse que as despesas do mega evento foram pagas pelo diretório nacional do PT. Na Paraíba, o secretário de organização estadual do PT, Jackson Macedo, deu outra versa, livrando a cara do partido e do Governo da Paraíba. Segundo ele, quem bancou foram os movimentos sociais, entre os quais a CUT e o MST. Quem está falando a verdade?

CURTAS

VIOLÊNCIA – Em muitos Estados do País a problemática da falta de segurança está em alta. E, infelizmente, no sertão esta realidade não é diferente. Para ajudar os prefeitos no combate à violência, o deputado federal Kaio Maniçoba (PMDB) pediu ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, a criação de um Plano de Ações voltado para vários municípios do Sertão.

FILIADO– Na manhã de ontem, o escritor e advogado Antônio Campos recebeu um informativo, assinado pelo presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Domingos Meirelles, sobre a aprovação da sua proposta de filiação ao órgão. Agora, Campos é colaborador da ABI, categoria que lhe confere amplos direitos sociais, como votar na eleição que a Associação promove anualmente.

Perguntar não ofende: Fundo partidário pode bancar festa com o perfil eleitoral que se deu em Monteiro?


O lulismo estava saudoso

Magno Martinsseg, 20/03/2017 - 09:09

O pretexto foi a Transposição. Mas na verdade, o que se viu, ontem, em Monteiro, cidade paraibana que virou um mar de gente vermelha, a cor do PT, foi o reencontro do povo nordestino com o ex- presidente Lula. As manifestações, desde a mais simples com uma foto dele na camisa, traduziram um único objetivo: ver Lula. “A saudade estava grande”, resumiu dona Maria Madalena Freitas, para quem Lula é o patrono nordestino.

E para vê-lo valeu todo tipo de sacrifício, desde levar sol escaldante na cara numa espera de mais de seis horas, que parecia não ter fim, até mesmo arriscar tocá-lo enfrentando o cordão de isolamento feito pela Polícia. Homens e mulheres de todas as idades, crianças no colo e desidratadas pelo sol forte encheram às margens do canal da Transposição, num primeiro momento, e a praça, depois, para ouvir o ídolo.

Não dá para fazer prognósticos quantitativos. Para não errar ou ser acusado de chute, prefiro falar num formigueiro de gente. Uma massa humana compacta, que foi ao delírio quando Lula botou seus pés em Monteiro. "Nem Frei Damião seria capaz de juntar tanta gente", resumiu o agricultor Antônio Oliveira, da longínqua Serrita, em Pernambuco, falando ao celular.

O ato foi convocado em nome da Transposição, que tinha quer ser entregue por Lula e não por Michel Temer, atual presidente. O que se viu na pequena Monteiro, no entanto, foi um verdadeiro desagravo. Os lulistas de carteirinha deixaram transparecer isso nas ruas, com gestos e palavras. No palanque, o desagravo ficou mais latente ainda por parte dos aliados de Lula.

A começar pelo padre da cidade, que chamou Lula de “predestinado”. O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, pediu para a elite bater mais nele. “Quanto mais batem, mas Lula cresce”, afirmou. Entre os artistas, o cantor paraibano Chico César fez uma música especial para a ocasião, levando Lula às lágrimas.

Em toda parte, o sentimento de agradecimento pela água transportada do rio São Francisco estava presente. Em algumas faixas, o Governo da Paraíba deixou claro que o pai da Transposição era Lula e também Dilma. Muitas frases emocionantes traduziram a alegria do povo. “Velho Chico, um rio que agora passa em minha vida”, dizia uma delas, carregadas com muito orgulho por um grupo de jovens.

CARA DE PAU– A ex-presidente Dilma fez um duro discurso em Monteiro classificando seus adversários, especialmente o presidente Temer, de cara de pau por tentarem vender a ideia de que são os verdadeiros responsáveis pela obra da Transposição. “Lula iniciou e eu deixei praticamente pronta, porque este era o nosso compromisso com o Nordeste”, disse. Dilma criticou ainda a proposta da reforma da Previdência encaminhada pelo Governo e disse que estão tentando um segundo golpe, que traduziu pelo esforço de impedir que Lula seja candidato a presidente.

Socialista de coração vermelho– Filiado ao PSB, partido que rompeu com o PT, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, foi tratado como aliado de coração vermelho por Lula, Dilma e os petistas de medalhões presentes ao ato da Transposição. Coutinho afagou o ego de Lula. Depois de chamá-lo de querido companheiro, Coutinho afirmou que quanto mais batem nele mais crescem as suas chances de ser eleito presidente da República. Coutinho chamou o Governo Temer de cínico e afirmou que é voltado para atender aos interesses da elite.

Pouso dificil– Tinha tanta gente, ontem, esperando Lula na beira do canal da Transposição, em Monteiro, que o helicóptero que o conduzia não conseguiu pousar onde estava previamente programado. Depois de duas tentativas, teve que arremeter pousando bem distante. De lá, Lula chegou num ônibus com toda a comitiva sendo aclamado como padrinho da Transposição e pai dos pobres. Muita gente ensaiou ainda a música da primeira campanha presidencial de Lula, com o refrão “Lula lá”.

Já havia vazado – Antes mesmo de a Operação Carne Fraca ser deflagrada pela Polícia Federal, um delator da Lava Jato já havia revelado ao Ministério Público detalhes de uma história que demonstrava como funciona a busca por influência no setor de fiscalização do Ministério da Agricultura. Essa história envolvia o ex-deputado Eduardo Cunha, o doleiro Lucio Funaro e o empresário Joesley Batista. Na última sexta, a Carne Fraca revelou um esquema envolvendo a corrupção de fiscais do ministério que, em troca de propina, liberavam licenças sem realizar a fiscalização adequada nos frigoríficos.

Entrando para ganhar– Na sua fala, ontem, em Monteiro, o ex-presidente Lula foi comedido quando tratou de 2018. Disse que não sabe ainda se será candidato, porque candidaturas só se definem em convenções, que estariam muito longe. Mas afirmou que se vier mesmo a disputar o Palácio do Planalto será eleito. “Seu eu entrar vai ser para ganhar”, afirmou, mandando um recado aos adversários que se tentarem impedir sua candidatura terão que se acertar com o povo.

CURTAS

AGRESSÃO – Tão logo o comício começou, ontem, em Monteiro, os animadores começaram a incitar a plateia a gritar “Abaixo a Rede Globo”, numa crítica à postura da televisão no noticiário da Lava Jato. Os militantes vermelhos agrediram com palavrões todos os veículos de comunicação, inclusive o meu blog.

FATURA ALTA– Nunca os donos de restaurantes, bares e hotéis de Monteiro faturaram tanto com a invasão que se deu na cidade, ontem, em função do ato da Transposição com a presença do ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma. Nas ruas, uma água era vendida a R$ 3 e não dava para ninguém. Refrigerante, R$ 4. Todos os restaurantes acabaram seus estoques de comida.

Perguntar não ofende: Lula fez o maior evento político do Nordeste para mostrar que tem a força do povo?


Só Armando pelo fim de privilégio

por sab, 18/03/2017 - 10:00

Um grupo formado por 41 senadores de diversos partidos, entre elas apenas um pernambucano – Armado Monteiro Neto (PTB) - assinou um requerimento para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que põe fim ao foro especial por prerrogativa de função, o chamado foro privilegiado, seja incluída na pauta de votações do plenário do Senado. 

Os parlamentares que assinaram o requerimento podem, eventualmente, retirar as assinaturas, o que poderia inviabilizar a inclusão da proposta na pauta de votações do Senado. A PEC foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em novembro do ano passado e, para ir a votação em plenário, precisa incluída na pauta pelo presidente, Eunício Oliveira (PMDB-CE), em acordo com os líderes partidários.

A proposta foi apresentada por Álvaro Dias (PV-PR) e extingue o foro privilegiado nos casos em que as autoridades – presidente da República, senadores e deputados, entre outras – cometerem os chamados crimes comuns, como, por exemplo, roubo e corrupção. O foro privilegiado prevê a essas autoridades o direito de serem processadas somente no Supremo Tribunal Federal. No caso dos governadores, por exemplo, os processos ficam a critério do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Na prática, com o fim do foro privilegiado, as autoridades que hoje têm o direito de serem julgadas somente nos tribunais superiores passariam a responder a processos na primeira instância da Justiça. Segundo o relator da PEC, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o requerimento assinado pelos 41 senadores será apresentado na próxima terça (21) e, com o documento, o senador espera que o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), inclua a PEC na pauta e agende as datas para a análise da medida.

Isso porque, por se tratar de uma alteração na Constituição, a proposta precisa ser aprovada pelos senadores em dois turnos de votação e receber o apoio de pelo menos três quintos dos parlamentares (49 dos 81 senadores). Se a PEC passar pelo Senado, vai para a Câmara, onde também deverá ser aprovada em dois turnos e receber o apoio, nas duas votações, de pelo menos 308 deputados.

Os senadores Humberto Costa (PT) e Fernando Bezerra Coelho (PSB) não assinaram e devem, portanto, uma explicação à sociedade. A discussão sobre o foro privilegiado ganhou força nas últimas semanas no Senado em meio ao envio, ao Supremo Tribunal Federal, da lista da Procuradoria-Geral da República (PGR) com 83 pedidos de abertura de inquérito para investigar políticos citados nas delações de ex-executivos da empreiteira Odebrecht no âmbito da Lava Jato.

PARTIDOS ENVOLVIDOS – O delegado da Polícia Federal (PF) Maurício Moscardi Grillo afirmou que os partidos PP e PMDB eram beneficiados com propina envolvendo o esquema ilegal de vendas de carnes. "Dentro da investigação ficava bem claro que uma parte do dinheiro da propina era sim revertida para partido político. Caracteristicamente já foi falado ao longo da investigação dois partidos que ficaram claros: que é o PP e o PMDB", disse durante a coletiva de imprensa realizada em Curitiba na manhã de ontem, dia em que a Operação Carne Fraca foi deflagrada pela PF. A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

Intruso na comitiva – Entre as lideranças nordestinas que confirmaram presença na visita do ex-presidente Lula, amanhã, a Monteiro (PB), para “inaugurar” um dos trechos da Transposição, o ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato do PDT, não deve ser bem tratado pelos petistas. Recentemente, numa entrevista, Ciro disse que Lula não poderia ser candidato em 2018 à Presidência da República porque estava com o nome sujo na operação Lava Jato. De Brasília se especulou, ontem, a possibilidade de Ciro ser o vice de Lula. Quem administrará a incontrolável língua do cearense? 

Invasão em Monteiro – As informações que chegam de Monteiro (PB) dão conta de que a cidade sofrerá uma verdadeira invasão amanhã durante a passagem de Lula. Hotéis e pousadas estão lotadas e tem até muita gente alugando casas particulares. O evento começa por volta das 14 horas e deve se estender até o final da tarde. Só de jornalistas há um batalhão. E olha que a pré-campanha presidencial está apenas dando o seu start. 

Banho descartado – Quanto ao suposto banho que o ex-presidente tomaria no canal da Transposição, o senador Humberto Costa, líder da oposição no Senado, disse, ontem, que foi apenas um comentário em tom de brincadeira. “Lula está tão entusiasmado com as águas do Velho Chico chegando pelos canais da Transposição que brincou, em determinado momento, dizendo que estava com vontade de mergulhar no canal. Mas isso ficou descartado para não ser explorado negativamente pela mídia”, disse o líder da oposição no Senado. 

Inauguração popular – Conforme programação liberada, ontem, pelo Instituto Lula, o ex-presidente não desembarcará em Monteiro, como estava previsto, mas em Campina Grande, a 171 km. De lá, a comitiva seguirá de carro até Monteiro levando em média duas horas de viagem. Na chegada a Monteiro, ao lado da ex-presidente Dilma e de três governadores – PB, CE e PI – Lula irá direto para o canal da Transposição para um ato rápido e simbólico que o PT denominou de “Inauguração popular da Transposição: a celebração das águas”. Antes de um comício em palanque armado no centro da cidade, haverá uma carreata. 

CURTAS 

ALUNOS – Cerca de 480 alunos de Sertânia tiveram a chance de descobrir como o Projeto da Integração do Rio São Francisco está mudando a vida dos nordestinos. Situada no município, um dos beneficiados pelas águas do Eixo Leste, o local escolhido para ter palestras informativas foi a Escola Olavo Bilac. As atividades foram feitas pela equipe da Comunicação Itinerante e esclareceram dúvidas sobre o empreendimento hídrico, principalmente orientando a respeito da proibição do uso das estruturas para brincar, pescar, descartar resíduos sólidos e outros.

CONTAG – Mais de dois mil delegados do 12º Congresso Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares elegeram a nova Diretoria, Conselho Fiscal e Suplências da Contag para o período de 2017-2021. Foi eleito presidente o pernambucano Aristides Santos, atual secretário de Finanças e Administração da entidade.

Perguntar não ofende: O PT tirou da agenda o banho de Lula no canal da Transposição para ser a surpresa da visita? 


Banho eleitoral condenável

Magno Martinssex, 17/03/2017 - 11:21

Li, ontem, na internet, que o ex-presidente Lula está tão entusiasmado com a viagem programada para o próximo domingo a Monteiro (PB), para inaugurar, extraoficialmente, a chegada das águas da Transposição à Paraíba, que pode tomar banho no canal transbordante. Se isso ocorrer, por excesso de euforia, estará dando um péssimo exemplo.

Há pouco, imagens de um grupo de sertanejos tomando banho no canal em Sertânia geraram protestos e indignação. As águas transpostas do Velho Chico chegam para matar a sede de 12 milhões de nordestinos, segundo estimativa do Ministério da Integração, e não para amenizar o calor brutal ou servir de lazer para quem quer que seja.

Além de poluir, o banho é proibido. Ao longo dos canais, o Governo instalou placas de advertência sobre o risco de afogamento. Às margens do trecho da Transposição em Monteiro, Lula fará um ato político, avocando para si a paternidade do projeto. Ao seu lado estará a ex-presidente Dilma e três governadores do Nordeste – Ceará, Piauí e o anfitrião Paraíba.

Está prevista, ainda, uma carreata pelas principais ruas da cidade paraibana para que Lula possa gravar cenas que, provavelmente, serão exibidas pelo PT no horário da propaganda eleitoral. Delegações de várias cidades próximas estão sendo organizadas pelos sindicatos atrelados ao PT para bater palmas para o ex-presidente e carimbá-lo como o pai da Transposição.

Mesmo com quatro processos da Lava Jato nos ombros, já na condição de réu, Lula usa a estratégia eleitoral própria do futebol, de que a melhor defesa é o ataque. Mais do que isso, apresenta-se como vítima para o grande público e eleitorado cativo, perseguido pela mídia. O ex-presidente usou, recentemente, o depoimento da 10ª Vara Federal em Brasília como palanque, num teatro deplorável. Monteiro não será diferente.

FISCALIZAÇÃO– Técnicos do Governo da Paraíba estão fiscalizando as águas do rio São Francisco no trecho entre as cidades de Monteiro e Camalaú. As equipes também cadastram usuários e instalam plataformas de coleta de dados. Moradores ribeirinhos recebem orientações sobre a necessidade de permitir o fluxo normal da água. “Não admitiremos construções de cercas transversais no leito do rio, pequenas barragens ou qualquer outro impedimento. A água só poderá ser usada para consumo humano e animal. A nossa prioridade é garantir a chegada dela no açude Epitácio Pessoa”, alertou o presidente da Agência estadual de Águas, João Fernandes.

Caveira de burro em Goiana– A pindaíba é de tamanha magnitude em Goiana que o prefeito Osvaldo Rabelo Filho (PMDB), eleito como o “salvador da lavoura”, teve que cortar até o transporte dos universitários para o Recife. Sabendo que não contariam mais com a boa vontade do poder público, os estudantes passaram a bancar o custo se cotizando. Próximo a completar 100 dias de gestão, Osvaldinho, como é mais conhecido o prefeito, não disse a que veio. Goiana é, literalmente, uma cidade sem sorte, azarada.

Confiança zero– A Apac – Agência Pernambucana de Águas e Clima – virou objeto de piada e gozação na rádio corredor do Parque da Jaqueira. Tudo porque não acerta uma só previsão de chuvas no Recife. Na semana passada, quando caiu uma verdadeira tromba de água na capital, em torno de 100 mm, a Apac previu apenas 2 mm. Em tempo: trata-se da empresa que recebeu o maior investimento em termos de equipamento ainda na gestão do ex-governador Eduardo Campos. Dá para confiar?

Carta fora do jogo – Ao aparecer isolado entre os nomes pernambucanos na lista da Lava Jato do procurador geral da República, Rodrigo Janot, o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), desidratou-se. Perdeu o entusiasmo no eleitorado que enxergava nele uma renovação política em 2018. E há quem diga que tende a se complicar. Se isso ocorrer, aos olhos dos analistas políticos da província, já pode se considerar carta fora do baralho para qualquer projeto majoritário nas eleições do próximo ano.

Josinaldo será reeleito– Os aliados do vereador André Valença (PSD), candidato da oposição na disputa pela presidência da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), em eleição marcada para o próximo dia 24, em Bonito, já jogaram a toalha. “É quatro por um”, prevê o vereador Gilvan da Malhadinha, de Cumaru (PSC), referindo-se à votação que terá o atual presidente da instituição, Josinaldo Barbosa (PTB), cuja reeleição, para ele, só tem riscos de dar errado se ocorrer uma hecatombe. “Josinaldo está fortíssimo porque seu adversário não tem apelo nem a confiança da categoria”, afirma Gilvan.

CURTAS

VIOLÊNCIA– Em apenas 28 dias, um total de 497 pessoas foram assassinadas em Pernambuco. Esse foi o número anunciado na tarde de ontem pela Secretaria de Defesa Social. O resultado deixa a população assustada mais uma vez. Os números refletem que quase 18 pessoas foram mortas por dia no estado. Ainda, segundo o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, no mês de janeiro foram contabilizados 480 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em Pernambuco.

DEFESA– O Senai está prestes a inaugurar a sua mais nova unidade do Estado, em Ipojuca. A previsão é de que o prédio esteja pronto até o final de abril e comece a atender ao público já no próximo semestre. A novidade é que, além da boa estrutura, a unidade será a única de Pernambuco a abrigar o curso de Polímeros, estudo das macromoléculas, um dos componentes do plástico e seus derivados.

Perguntar não ofende: Será que Lula sabe que tomar banho no canal da Transposição polui a água que servirá para o consumo humano?


Uma justa e bela homenagem

Magno Martinsqui, 16/03/2017 - 07:38

Afogados da Ingazeira, minha terra natal, estava devendo, há muito tempo, uma homenagem a um homem simples, que nasceu na roça e da roça viu seu pai, com as mãos calejadas, rosto enrugado, tirar o sustento para manter uma família que a advocacia, nobre missão dos grandes homens, bateu como destino: José Virgínio Nogueira, pai dos meus amigos Alberto e Cláudio Jean, desembargadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Doutor José Virgínio, juiz de Direito aposentado, arrastado para a eternidade pelo sopro divino em 2006, passa a ser eternizado, hoje, com a aposição do seu nome à placa do prédio do Fórum Eleitoral de sua pátria, que tanto amou, num ato com a presença do presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Antônio Carlos Alves da Silva. Ilustres de toga, entre os quais seus dois filhos, dividirão a emoção com conterrâneos de um homem que amou e defendeu a sua gente nos tribunais.

O valor dos grandes homens mede-se pela importância dos serviços prestados à humanidade. Antes de ingressar no mundo Judiciário, o homenageado foi comerciário, viveu neste segmento o auge da mamona e do algodão, o ouro branco do Nordeste, como dizia Luiz Gonzaga. Após a conclusão do curso de Contabilidade, trabalhou na Cagep, a Companhia de Armazéns Gerais do Estado. Mais tarde, acadêmico de Direito, virou professor com uma missão jesuítica, abrindo mentes e corações com o seu saber.

Na comarca de sua terra, virou referência e foi reverenciado no mundo jurídico, sendo um dos grandes notáveis em juris que entraram para a história da região. O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por viver de forma tão intensa, o mestre teve seus méritos reconhecidos mais tarde pelo povo, elegendo-se vereador.

Embora vocacionado para servir sem servir-se do cargo, José Virgínio sabia que seu destino estava no Direito e não na tribuna popular. Em 1970, sua dedicação aos estudos e o seu talento o transformaram em Juiz, fazendo sua estreia na Comarca de Aroeiras, na Paraíba, Estado que fixou residência por muito tempo em Campina Grande. Como Juiz de Direito passou pelas comarcas também de Queimadas, Umbuzeiro, Souza e Guarabira, além de juiz titular da 1ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, cidade que o adotou como filho.

Se existem pessoas incomparáveis, José Virgínio é uma delas, que entram em nossa vida por acaso, mas não é por acaso que permanecem em nossa lembrança. Já li em algum lugar que as únicas pessoas que nunca fracassam são as que nunca tentam. Não foi o seu caso. Que o digam aqueles que com ele conviveram, como o meu pai Gastão Cerquinha.

Ao ser informado da homenagem, que engrandece Afogados da Ingazeira e envaidece sua gente, fiquei a matutar: cada pessoa que passa em nossa vida é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas que conheceram José Virgínio e sua doçura não se encontraram com ele por acaso.

José Virgínio prestou grandes e relevantes serviços a sua terra, a Paraíba, a Pernambuco, ao Nordeste e ao País como educador, político do povo, advogado defensor dos oprimidos e sem voz, juiz justo. Sua lição de vida faz lembrar o insubstituível Charles Chaplin, que dizia que a vida é maravilhosa se não se tem medo dela.

O novo prédio do Tribunal Regional Eleitoral de Afogados da Ingazeira ganha o nome de um homem que nunca teve medo de nada, a não ser dos castigos de Deus. Altivo, correto e justo. Na vida, conhecemos pessoas que vêm e que ficam. Outras que vêm e passam. Existem aquelas que vêm, ficam e depois de algum tempo se vão. Mas existem aquelas que vêm e se vão com uma enorme vontade de ficar. José Virgínio Nogueira era uma delas.

SEM PERDA DOS DIREITOS– O presidente Michel Temer garantiu, ontem, após ser informado das manifestações contra a reforma da Previdência em todo País, que a proposta do Governo não vai tirar direito de ninguém. "Nós apresentamos um caminho para salvar a Previdência do colapso, para salvar os benefícios dos aposentados de hoje e dos jovens que se aposentarão amanhã. Isso parece ser coisa 'será que é para tirar direitos de pessoas? Em primeiro lugar, não vai tirar direito de ninguém. Quem tem direito já adquirido, ainda que esteja no trabalho, não vai perder nada do que tem", disse.

A face oculta do Governo– O secretário estadual de Planejamento, Márcio Stefanni, que tem se debruçado nos últimos dias sobre a organização do novo modelo dos seminários regionais, o “Pernambuco em ação”, que começa na próxima quinta-feira por Afogados da Ingazeira, arrisca em afirmar que o volume de investimentos do Governo Paulo Câmara no Interior, mesmo diante da crise nacional, só pode ser comparável ao primeiro mandato da gestão Eduardo Campos. “São obras e ações que precisam ser mostradas, um dos objetivos dos encontros”, afirmou.

Três regiões na largada– O governador Paulo Câmara abre os novos fóruns regionais pelo Sertão do Pajeú. O evento está previsto para começar às 14 horas devendo se estender até por volta das 20 horas. No dia seguinte, o palco da discussão se remete para o Sertão de Itaparica, na cidade de Petrolândia. No sábado, por fim, Arcoverde, que agrega todos os municípios do Sertão do Moxotó. Antes de entrar no Agreste, em data ainda a ser marcada, a caravana encerra a região sertaneja com o encontro de Petrolina, abrangendo todos os municípios banhados pelo Rio São Francisco.

Cadê a lista? – Ao chegar ao Supremo Tribunal Federal (STF) para participar da sessão de ontem, o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Tribunal, preferiu não responder às indagações dos jornalistas sobre a nova "lista do Janot". O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou, na última terça-feira, ao STF 83 pedidos de abertura de inquérito para investigar políticos citados nas delações de executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht. Caberá a Fachin decidir se autoriza a abertura dos inquéritos e a retirada do sigilo dos depoimentos dos delatores, outro pedido feito pelo procurador.

O papel de cada um– Num discurso corajoso e oportuno, o senador Armando Monteiro (PTB) afirmou da tribuna do Senado que ninguém pode se apresentar como pai da Transposição do Rio São Francisco, cujas águas já começaram a chegar ao Estado e na Paraíba. Para ele, o mérito da obra deve ser atribuído aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Destacou, entretanto, que ninguém pode deixar de se congratular com o presidente Michel Temer (PMDB), por não haver contingenciado as verbas para o projeto nos últimos dez meses e por ter ampliado em 23% o volume dos repasses para o Eixo Leste, “garantindo a entrega dos trechos dentro do cronograma”.

CURTAS

MILHO– O deputado estadual Claudiano Martins (PP) pediu, ontem, ao superintendente da Conab, Antonio Elizaldo de Vasconcelos e Sá, a instalação de dois polos do Programa Venda de Balcão nas cidades de Garanhuns e Itaíba, programa este que repassa o milho subsidiado para os agricultores afetados pelas estiagens com um valor bem abaixo do mercado.

DEFESA– Ouvido, ontem, como testemunha de Lula, o ministro José Múcio, do TCU, afirmou que nunca houve orientação para utilização de recursos ilícitos para aprovação de projetos de interesse do Governo, ou para ampliação da base parlamentar. "Isso chama a base, porque o deputado está sempre vinculado, ou linkado, com a sua base política. O fato de o presidente Lula ter uma aprovação muito grande na base fazia com que, gradativamente, sua base [parlamentar] aumentasse também", afirmou.

Perguntar não ofende: Não vai aparecer um só nome novo na famigerada lista de Janot? 


Recurso de Lula foi vitimização

Magno Martinsqua, 15/03/2017 - 09:13

No primeiro depoimento em um dos processos que pesam contra ele, de obstruir as investigações da operação Lava Jato, o ex-presidente Lula recorreu, ontem, à estratégia da vitimização, afirmando que vem sofrendo um massacre da justiça pela mídia. Lula se preparou longamente para passar pelo seu primeiro interrogatório como réu, mas quando entrou na sala de audiência da 10ª Vara Federal de Brasília, parecia bastante nervoso.

Vestindo terno escuro, camisa lilás e sua habitual gravata com as cores da bandeira do Brasil, Lula tirava e colocava a tampa da caneta azul que estava em suas mãos, passava a língua sobre os lábios secos e penteava o bigode com o dedo indicador direito. Quem o conhece sabe que esses são sinais particulares do nervosismo do petista. Logo nos primeiros minutos do depoimento, fez um desabafo e afirmou que acordava todos os dias com medo de jornalistas estarem na porta de seu apartamento, em São Bernardo do Campo (SP), esperando sua prisão.

"Você sabe o que é levantar todo dia achando que a imprensa está na porta de casa porque eu vou ser preso? É porque não sei quem delatou, 'o Lula vai ser preso'. Eu tenho dito, antes, durante e depois, os [acusados] que estão presos e os que vão ser presos, que tenha um empresário, um político que tenha coragem de dizer que um dia me deu R$ 3, que tenha coragem de dizer que um dia o Lula pediu cinco centavos para ele", disse ao juiz Ricardo Augusto Soares Leite.

Ele disse, textualmente, que sofre "perseguição" nas investigações que apuram o esquema de corrupção da Petrobras e que há alguém "instigando" que delatores falem seu nome nos acordos de colaboração com a força-tarefa da Lava Jato. "Por tudo o que eu vejo na imprensa, eu acho que tem alguém instigando [delatores] para falar do meu nome. Fico sabendo dos blogs, colunistas, 'cita o nome do Lula, cita o nome do Lula'."

O ex-presidente pediu ainda ao juiz que sejam apresentadas "provas" de supostos crimes cometidos. "Chamar o PT de organização criminosa. Se dependesse de mim, cada parlamentar abriria um processo para provar qual é a quadrilha. Eu estou cansado, 71 anos de vida, eu cansei. As instituições que eu ajudei a valorizar [são agora] desprestigiadas por comportamento pessoal”, afirmou.

Lula também ironizou o comportamento do ex-senador Delcídio do Amaral, que concedeu diversas entrevistas após ter assinado um acordo de delação premiada na Lava Jato. "Parecia que ele tinha recebido o 'Prêmio Nobel da Delação'. Ele foi no [programa de TV] 'Roda Viva'. Depois que faz a bobagem que faz, se é que fez, ele queria jogar no colo de alguém", disse Lula.
Sem citar o nome do presidente Michel Temer, Lula também brincou sobre a baixa popularidade do peemedebista. "O presidente não tem coragem de ir à Bolívia. O país que era motivo de alegria."

RENAN RIFADO– Os advogados do ex-presidente Lula desistiram do depoimento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) em um dos processos relacionado à Operação Lava Jato. Renan havia sido arrolado como testemunha de defesa do ex-presidente na ação que apura supostas irregularidades na compra de um tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. O ex-presidente responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O processo tramita na Justiça Federal no Paraná, e o parlamentar seria ouvido, hoje, por videoconferência com Brasília. O depoimento das outras testemunhas deve ocorrer normalmente.

Palanque da Transposição– Responsável pela organização da visita de Lula a Monteiro (PB) no próximo domingo, o senador Humberto Costa, líder da oposição no Senado, incluiu uma carreata do aeroporto até o canal da Transposição, onde o ex-presidente gravará um depoimento já para a campanha de 2018 assumindo de fato a paternidade da obra. Lá, também será armando um palanque para uma saraivada de discursos tendo no fundo o espelho da água puxada do Rio São Francisco.

Só três governadores– Além de cuidar da logística do evento em Monteiro, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), está mobilizando governadores para recepcionar o ex-presidente Lula. Até ontem, entretanto, só os dois governadores do Nordeste haviam confirmado presença – Wellington Dias, do Piauí, e Camilo Santana, do Ceará. É pouco provável que os demais governadores do Nordeste atendam ao convite do anfitrião paraibano, porque a visita de Lula tem caráter de antecipação da campanha presidencial.

Emendas previdenciárias – O deputado Danilo Cabral (PSB) protocolou, ontem, na Comissão Especial da Reforma da Previdência, quatro emendas para aprimorar a proposta do Governo: manutenção da aposentadoria especial para professores e trabalhadores rurais, proibição do gasto dos recursos previdenciários em outras despesas do Governo e continuidade do vínculo ao salário mínimo do pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para idosos a partir de 65 anos e deficientes físicos. “Nossa luta é para modificar a proposta do Governo, que penaliza os trabalhadores, e garantir os direitos da população a uma aposentadoria justa”, disse.

Nova chance aos municípios– O secretário estadual de Turismo, Felipe Carreras, conseguiu com o ministro do Turismo, Marx Beltrão, modificar o prazo da inscrição para o Programa de Regionalização do Turismo. Com isso, será reaberta a inscrição para os municípios que ainda não participam do Mapa do Turismo. A boa nova foi anunciada, ontem, durante encontro da Associação dos Secretários de Turismo dos Municípios de Pernambuco, no Centro de Convenções. Junto com o presidente da Astur, o secretário de Turismo de Agrestina, Josenildo Santos, Felipe reuniu representantes de 36 municípios para debater a portaria. “É importante que os secretários saibam que a verba do Ministério só virá para quem fizer parte do Mapa do Turismo e para isso será necessária a inscrição para que os municípios sejam aprovados”, disse o secretário.

CURTAS
CARROCEIROS– A Prefeitura de Jaboatão iniciou, ontem, por ocasião do Dia Nacional dos Animais, ação de cadastramento e de conscientização de carroceiros e empresários (donos de armazéns de construção) sobre bem-estar e cuidados com a saúde dos equinos usados em veículos de tração para transporte de carga. A atividade foi realizada em Barra de Jangada e terá continuidade nas próximas semanas. 

CONAB– A prefeita de Itaíba, Regina Cunha (PTB), assumiu, ontem, em Recife, com o superintendente da Conab Pernambuco, Antonio Elizaldo de Vasconcelos e Sá, o compromisso de viabilizar a instalação do Polo da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) no município. O encontro foi na sede da superintendência. O polo de Itaíba foi fechado no governo passado e a meta da nova prefeita é reabrir o mais rápido possível.

Perguntar não ofende: Diante de Sérgio Moro, no dia 3 de maio, Lula fará o mesmo teatro de ontem?


Petrolina, a top do Nordeste

Magno Martinsseg, 13/03/2017 - 09:47

Com pouco mais de 400 mil habitantes, a cidade de Maringá, no Paraná, foi eleita a primeira na lista das melhores grandes cidades do Brasil, segundo estudo da consultoria Macroplan divulgado na revista Exame. Para chegar a esta conclusão, a consultoria analisou os municípios com mais de 266 mil habitantes em 16 indicadores divididos em quatro áreas distintas: saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade. No Nordeste, de acordo com o levantamento, Petrolina disparou no ranking das melhores cidades para se viver, subindo 46 pontos, a única que cresceu na Região.

Os pesos dos indicadores e das áreas que compõem o índice foram divididos da seguinte forma: 35,3% para educação e cultura; 35,3% para saúde; 20,6% para infraestrutura e sustentabilidade e 8,8% para segurança. O ranking foi formado por um índice que vai de 0 a 1 – quanto mais próximo de 1, melhor é a condição de vida no local.

Na área de saúde, por exemplo, Maringá ficou na 5ª posição entre as 100, com um índice de 0,686. O que, segundo a análise da Macroplan, significa que a cidade tem elevada cobertura de atendimento básico, baixa taxa de mortalidade infantil e elevada proporção de bebês nascidos vivos. De acordo com Gláucio Neves, diretor da consultoria, Maringá sempre se destacou em gestão pública.

“A primeira posição no ranking não foi uma surpresa. Afinal, a cidade tem indicadores muito equilibrados em quase todos os setores”, diz. Quando o assunto é segurança, no entanto, a cidade deixa a desejar: nessa área, Maringá aparece em 39º lugar entre os 100 maiores municípios do país. Por lá, segundo o levantamento da Macroplan, a proporção de assassinatos a cada grupo de 100 mil pessoas, por exemplo, é maior do que na cidade de São Paulo, que concentra mais de 12 milhões de habitantes.

Juntas, de acordo com o levantamento da Macroplan, as cem cidades mais populosas do Brasil representam 39% da população brasileira, produzem 50% do PIB (Produto Interno Bruto) e respondem por 54% dos empregos formais do país. A região Sudeste é a que concentra a maior parte delas: 49 municípios, sendo oito deles entre os dez melhores ranqueados.

Ananindeua (PA), Belford Roxo (RJ) e Macapá (AP), por outro lado, estampam os piores resultados entre as 100 maiores. Ananindeua, que aparece na 100ª posição no ranking da consultoria, ficou nas últimas posições em todas as quatro áreas analisadas: 96ª em educação, 64ª em saúde, 99ª em infraestrutura e sustentabilidade e 100ª em segurança.

Nos últimos dez anos (2005-2010), três cidades sofreram queda abrupta no ranking desenvolvido pela Macroplan. Feira de Santana, na Bahia, por exemplo, caiu 50 posições ao longo da década. Gravataí, no Rio Grande do Sul, perdeu 32, e São Luís, no Maranhão, 27. Em contrapartida, no mesmo período, Petrolina, em Pernambuco, ganhou 46 posições. Hoje aparece no 45º lugar, com índice de 0,615. Já Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, cresceu 30 posições, e Campina Grande, na Paraíba, 24.

SEM PROVAS– Após a acareação entre Marcelo Odebrecht e Cláudio Mello Filho, ex-diretor de Relações Institucionais do grupo no TSE, assessores de Temer criaram convicção de que não há elemento de prova contra o presidente e esperam que a dúvida suscitada pela contradição entre os dois delatores pese em favor dele. Na acareação, Odebrecht e Mello mantiveram versões conflitantes a respeito de um jantar no qual estiveram com Temer no Palácio do Jaburu, em 2014, no qual foi acertada doação de R$ 10 milhões para o PMDB. Se não aparecerem novos fatos, os assessores acreditam que o caso é o de que, na dúvida, a decisão tem que ser tomada em favor do réu, princípio conhecido no direito como "in dúbio pro reo".

As provocações de Lóssio– De Londres, onde faz um intensivo na Escola de Economia e Política, a LSE, o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), comemora pesquisa apontada em reportagem da revista Exame revelando que a capital do São Francisco é a melhor para viver no Nordeste, tendo crescido 46 pontos na sua graduação nos últimos dez anos. “Parece que passou um bom prefeito por lá”, brinca Lóssio, provocando o prefeito Miguel Coelho (PSB), que o acusou de ter deixado uma verdadeira herança maldita. “Não dá para reclamar de herança. Deixei para ele a melhor cidade do Nordeste”, disse ao blogueiro numa mensagem da Inglaterra, primeira etapa de uma incursão de seis meses ao Exterior, culminando em Boston, nos Estados Unidos, com um curso sobre educação infantil e desigualdade.

Caixa-preta– Os recursos públicos repassados aos partidos brasileiros pelo Fundo Partidário representam uma "caixa-preta" de R$ 3,57 bilhões e financiam gastos obscuros e, em muitos casos, questionados pela Justiça Eleitoral. Entre as despesas estão viagens de jatinho, bebidas alcoólicas, jantares em churrascaria e até contas pessoais de dirigentes. O valor se refere ao total recebido pelos partidos entre 2011 e 2016, corrigido pela inflação, e está nas prestações de contas à espera de julgamento do TSE. As legendas costumam apresentar notas fiscais sem especificar como, quando, onde e para qual finalidade foi gasto o recurso público.

O clamor da realidade– O senador Armando Monteiro, pré-candidato a governador nas eleições e 2018, vai fazer encontros regionais no mesmo período da nova modalidade do Governo nos Municípios, que será instalado pelo governador Paulo Câmara (PSB) no próximo dia 20. “Não se trata de governo paralelo. A nossa pauta é bem diferenciada e diz respeito, basicamente, ao clamor da população interiorana frente a um Governo inoperante”, explica o líder trabalhista.

Prefeito suspeita do TCE– Em Araripina, uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado, suspendendo a convocação de professores aprovados em concurso público, provocou a ira do prefeito Raimundo Pimentel (PSL). “Causa estranheza que, em 2016, igual processo seletivo simplificado fora realizado com a comprovação de diversas irregularidades e o Tribunal de Contas de Pernambuco em nenhum momento solicitou a sua suspensão”, disparou. Com a palavra o relator da matéria no TCE, conselheiro Marcos Antônio Rios da Nóbrega.

CURTAS

PREVIDÊNCIA– A Câmara de São Lourenço da Mata fechou posição contrária à reforma da Previdência e está encaminhando a decisão à bancada pernambucana na Câmara dos Deputados. “Estamos fazendo nossa parte para impedir que essa proposta passe, mas é preciso que todos lutem pelos seus direitos”, diz o líder da oposição na Casa, Antônio Manga (PSB), autor da proposição.

SEM TAXA– O administrador de Fernando de Noronha, Luis Eduardo Antunes, comemora a decisão da companhia aérea Azul de não cobrar taxa extra de bagagem despachada para a ilha. “A não cobrança da franquia mínima foi uma grande vitória para quem vive ou trabalha no arquipélago”, diz ele, que esteve com a direção da Azul para pleitear a exclusão da taxa a pedido da comunidade.

Perguntar não ofende: Nordestino hostiliza quem leva água para quem tem sede no Sertão ou os protestos contra Temer são dirigidos?


Temer é um animal político

por sab, 11/03/2017 - 10:44

Em discurso, ontem, na Paraíba, o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou, em tom categórico, que não deseja nem quer a paternidade da Transposição do Rio São Francisco, obra que encontrou praticamente paralisada e que está tocando com a mais absoluta prioridade. Apropriação de obra pega mal para quem quer que seja, mas como Temer bem disse o projeto não pertence a ninguém, mas ao povo brasileiro, porque saiu do papel graças aos impostos pagos por todos os brasileiros.

Temer quis passar muita modéstia. Na verdade, como comentei ontem neste espaço, a Transposição tem o DNA de Lula, mas Dilma, sua sucessora, paralisou suas obras. Nunca teve compromisso com o Nordeste nem com nada neste País. Foi a pior governante dos últimos anos, uma barata tonta, sem interlocução política, sem tato político, sem rumo. A pior herança deixada por Lula ao povo brasileiro.

Na mesma fala, Temer pediu o apoio e o empenho da bancada nordestina no Congresso para operar as reformas priorizadas no  seu Governo, especialmente a da Previdência. Este é o mote e a razão da sua passagem pelo Palácio do Planalto. Tirar do papel o que os seus antecessores não foram capazes passa por uma estratégia que Temer deve conduzir de forma exitosa, porque ninguém faz reformas se não tiver jogo de cintura e capacidade de articulação política.

E isso são atributos que Temer possui em demasia. Ninguém conhece o Congresso melhor do que ele. Como presidente da Câmara em três oportunidades, o peemedebista sabe como as duas Casas - Senado e Câmara - funcionam. Seu oxigênio são o bom trato, a conversa tête-à-tête e o saco para suportar as demandas intermináveis e insaciáveis dos parlamentares.

Ontem, um deputado me revelou que recebeu um telefonema do presidente na véspera de uma votação importante para o Governo. "Estava decidido a votar contra, mas ele me ligou direto, sem a interferência de secretária ou assessor, pedindo meu voto. Estou no meu quarto mandato e nunca tinha visto um presidente agir desta forma, com simplicidade e humildade", disse o mesmo parlamentar.

O depoimento deste deputado tira qualquer sombra de dúvida sobre as chances de sucesso que o Governo tende a ter nas reformas em discussão no Congresso. Nos cinco anos e meio em que despachou no mesmo gabinete, Dilma nunca recebeu um do senador ou deputado em audiência protocolar. Com nariz empinado de igual magnitude, imagina se Dilma pegaria um dia um celular para falar com um deputado da sua base! Ela se achava uma deusa! Por isso, deu no que deu. O mundo da política foi feito para os animais da política. Temer é um deles.

FALTA SEGUNDO EIXO– Os debates para realizar a Transposição começaram no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As obras tiveram início em 2007. A previsão inicial era que todo o projeto fosse concluído em 2012, ao custo de R$ 4,5 bilhões. Entretanto, somente agora o primeiro eixo está sendo inaugurado, e os investimentos já passaram dos R$ 8,2 bilhões. Nos últimos dez meses, por exemplo, foram injetados mais R$ 602 milhões nas obras, segundo as informações divulgadas ontem no ato em Sertânia pelo ministro da Integração, Helder Barbalho. 

Queiroz de olho no Senado– Nos bastidores, os primeiros encontros promovidos pelo presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz, com vistas às eleições de 2018, sinalizam para articulação da pré-candidatura do seu pai, o ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz, ao Senado. Queiroz é aliado do governador Paulo Câmara, mas as chances de o PDT ter um nome na chapa da sua reeleição seriam mínimas, tendo em vista que uma vaga já foi prometida para Jarbas Vasconcelos, pelo PMDB, e a outra tende a ser do PSB. Restaria a Queiroz uma postulação no campo da oposição. 

No acampamento– O líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT), visitou, ontem, a ocupação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), no bairro do Barro, na Zona Oeste do Recife, para acompanhar de perto as negociações do grupo para a construção de casas no terreno de 10 mil metros, onde mais de 1,5 mil famílias do MTST estão acampadas.  Recentemente, integrantes do MTST foram detidos após um protesto dentro da Cehab. Um dos presos foi o advogado do grupo, Caio Moura, que havia sido atingido por bala de borracha atirada pela Polícia.

Fortaleza em colapso– Com mais de 3,5 milhões de habitantes, a Região Metropolitana de Fortaleza poderá enfrentar um colapso de abastecimento hídrico no ano em 2018, algo que não acontece desde o fim dos anos 90. Se mais um período de chuvas fracas se repetir entre fevereiro e maio, confirmando o sexto ano consecutivo de seca no Nordeste, a capital cearense ficará dependendo exclusivamente da conclusão da Transposição do São Francisco. 

Bruno sonha alto– Prefeitos que estiveram com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, ao longo desta semana em Brasília, saíram convencidos de que as articulações do tucano para 2018 não se dão em torno do Senado. “Ele quer ser mesmo candidato a governador”, disse um prefeito em reserva. Com um Ministério bombado de recursos para conveniar com prefeituras, Bruno está com a faca e o queijo nas mãos para sonhar com um projeto majoritário. 

CURTAS 

ESPERANÇA– O senador Fernando Bezerra Coelho comemorou a chegada das águas do “Velho Chico” ao município de Monteiro (PB). “É mais que a concretização de um grande projeto. É a chegada de esperança ao povo nordestino”, destacou. Bezerra foi ministro da Integração Nacional e um dos gestores do chamado Projeto de Integração do São Francisco. 

SIGILO – Advogados de dirigentes e ex-dirigentes da Odebrecht que firmaram acordos de delação premiada entraram com pedidos no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, mantenha sob sigilo os depoimentos dados em vídeo no âmbito dos acordos. Até ontem, 18 pedidos haviam sido protocolados no Supremo. São iniciativas individuais de advogados dos executivos, e não um pleito único da empresa.

Perguntar não ofende: Nordestino hostiliza quem leva água para quem tem sede no Sertão ou os protestos contra Temer são dirigidos?