Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

A crise que desemprega

Magno Martinssab, 26/09/2015 - 09:53

Em meio à maior crise que o País enfrenta a comprovação oficial de que os empregos voam pela janela: o Brasil registrou em agosto o quinto mês seguido de perda de vagas de empregos formais. No mês, as demissões superaram as contratações em 86.543, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O resultado de agosto foi o pior para este mês desde 1995, quando foram fechadas 116 mil vagas.

No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, ainda segundo dados oficiais, foram fechados 572.792 postos com carteira assinada no País. Apesar do País ter continuado a perder vagas com carteira assinada, o número de vagas fechadas em agosto ficou abaixo das 157 mil vagas perdidas no mês anterior.

Na véspera, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, tinha afirmado que os dados oficiais sobre o mercado de trabalho iriam mostrar desaceleração das demissões no mês. "O resultado ainda é negativo. A nossa expectativa e a nossa esperança é que a recuperação ocorra em 2016", disse. O fechamento de vagas formais acontece em meio a um fraco nível de atividade econômica, com o Brasil oficialmente em recessão técnica.

Isso sem deixar de ressaltar a alta da inflação e do endividamento das famílias, além de um ajuste nas contas públicas, implementado pela equipe econômica, principalmente com aumento de impostos e corte de investimentos. No acumulado nos últimos 12 meses, foram eliminados 985.669 postos de trabalho no País, o que corresponde a uma redução de 2,37% no contingente de empregados celetistas.

Com a redução de vagas formais em julho deste ano, o número de trabalhadores com carteira assinada, em todo o País, também tem recuado. No fim de agosto de 2014, um ano atrás, 41,62 milhões de pessoas tinham emprego com carteira no Brasil. No mês passado, o número de trabalhadores empregados já tinha recuado para 40,63 milhões.

Ao comentar o resultado, o ministro Manoel Dias disse que é um fato concreto a possibilidade de o País perder mais de 1 milhão de postos de trabalho em 2015. “Mas estamos capacitados a recuperar. Com a inclusão social que foi feita, o Governo terá condição de recuperar os empregos, de fazer a correção de rumos da economia. Vamos recuperar a capacidade de gerar emprego”, afirmou.

Dias destacou que o governo vai investir R$ 68 bilhões na área de construção civil, o que poderá reduzir o fechamento de postos de trabalho no País. Segundo disse, até setembro foram assinados contratos de R$ 36 bilhões, o que poderá significar 3,6 milhões de novos postos de trabalho ainda em 2015.

INVESTIGAÇÃO – O Ministério Público Federal abriu inquérito para "apurar a notícia de possível irregularidade na tramitação, na Câmara de Vereadores do Recife, do Projeto de Lei do Executivo 36/2014, que visa a legalizar operações para captação de recursos em troca de recebíveis da dívida ativa. O procedimento aberto pelo MPF visa investigar a recém-criada RECDA, empresa da Prefeitura do Recife que tem como objetivo vender cerca de R$ 1 bilhão em créditos da dívida ativa do município oferecendo em garantia títulos públicos.

Bicudos afinam a viola – O gabinete do secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, virou centro de verdadeira romaria de políticos do Interior da mesma base governista, mas que não conseguem se entender. Na última quarta-feira, por exemplo, o hábil auxiliar do governador Paulo Câmara colocou lado a lado o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), e o ex-prefeito Totonho Valadares, também do PSB, que não têm falado a mesma linguagem quando se trata da discussão das eleições municipais ano que vem.

Meses decisivos – Os meses de outubro e novembro serão decisivos para um eventual impeachment da presidente Dilma, segundo o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, um dos principais articuladores da oposição. O Governo já enfrenta turbulências políticas e econômicas, mas na avaliação do parlamentar tanto o quadro político como o econômico podem se agravar e reforçar os argumentos para eventual impedimento da presidente. "Os próximos 60 dias serão decisivos. Até novembro saberemos", afirmou.

Razão da nova paralisação – As obras da PE-292, trecho que liga o distrito de Albuquerquené a Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, voltaram a parar mais uma vez, mas desta vez a culpa não é do Governo. Segundo o secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, a Esse Engenharia, empresa responsável pela estrada, sofreu uma ação judicial tendo suas contas sido bloqueadas para recebimento de faturas. “O dono da empreiteira nos informou que ganhou um recurso na justiça e vamos retomar a obra”, disse.

PSD engorda em Serra – Em Serra Talhada, o prefeito Luciano Duque (PT) fechou acordo para abrir a vaga de vice na chapa da sua reeleição ao PSD diretamente com o presidente estadual, André de Paula, com o aval de Rodrigo Novaes (PSD), também votado no município. Duque já reforçou o partido aliado com o ingresso de três vereadores – Dedinha Inácio (ex-PMDB), Barbosa Net0 (ex-PSB) e Edmundo Gaya (ex-PMDB) – e a comissão provisória municipal entregou ao pai, o empresário João Duque. A novidade nas adesões pode ser a filiação de mais um vereador, Marquinhos Oliveira, hoje no PR.

CURTAS 

CAINDO NA REDE – Dois dias após a oficialização da sua Rede de Sustentabilidade pelo TSE, a ex-senadora Marina Silva ganhou, ontem, o primeiro senador em suas fileiras: Randolfe Rodrigues, egresso do Psol. Também está ingressando no partido três deputados federais que a sigla vem fazendo mistério, além do deputado distrital Chico Leite, ex-PT do Distrito Federal.

REVOADA - Em Pernambuco, o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, um dos fundadores do PV, já pediu desfiliação do partido para ingressar na Rede de Marina Silva. Também deve ingressar na Rede o ex-deputado Roberto Leandro, um dos fundadores do PV no Estado e extremamente ligado a ex-senadora.

 

Perguntar não ofende: O que vai acontecer neste País nas duas próximas semanas? 

COMENTÁRIOS dos leitores