Inep divulga como funciona a correção da redação do Enem

No dia 28 de maio, os candidatos poderão conferir os espelhos das correções de suas redações por meio da Página do Participante

por Jennifer Buarque qua, 31/03/2021 - 14:30
Freepik . Freepik

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou como funciona o sistema de correção das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com o órgão, os textos válidos passam por até quatro correções, o que totalizou sete milhões de análises.

Os corretores de redação

Os profissionais selecionados para corrigir as redações são avaliados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), seguindo todas as etapas estabelecidas pelo Inep. Dentre os critérios, estão a formação inicial (graduação em Letras e Linguística) e continuada (exigência mínima de mestrado para as funções de supervisores e subcoordenadores). Os profissionais ainda devem comprovar experiência em coordenação de correção de produção textual em avaliação educacional, exames ou concursos.

Como forma de manter o controle de qualidade, os corretores passam por avaliação de desempenho em tempo real e diariamente, através de relatórios enviados ao Inep. Caso algum corretor esteja mostrando resultado insatisfatório, este pode vir a ser substituído ou desligado.

Média de desempenho

A nota de zero a 1.000 pontos é atribuída de acordo com os critérios estabelecidos no edital divulgado pelo Inep, que também podem ser conferidos na Cartilha de Redação do Enem 2020. A cartilha é disponibilizada pelo Inep com dicas de como se sair bem na produção textual e que critérios podem levar a zerar o texto.

A redação é corrigida por, pelo menos, dois corretores, de forma independente, e cada um atribui uma nota entre zero e 200  pontos para cada uma das cinco competências. A nota total de cada corretor corresponde à soma das notas atribuídas a cada uma das competências. Caso haja discrepância entre dois corretores, que é quando suas notas totais diferirem por mais de 100 pontos, se houver diferença de suas notas em qualquer uma das competências que for superior a 80 pontos ou qualquer outra situação semelhante, uma terceira correção será feita por outro corretor.

Quando a discrepância entre as notas persiste, depois da terceira correção, a pontuação final do aluno será corresponde à média aritmética entre as duas notas totais que mais se aproximarem, sendo descartada a outra nota. Em casos em que o terceiro corretor atribui uma nota equidistante das duas primeira, uma banca com três corretores ficará responsável por avaliar e dar a nota final, descartando as anteriores. 

Espelho da redação

O Inep irá divulgar dia 28 de maio o espelho da redação. Os candidatos poderão conferir todas as correções realizadas em suas redações. Para isso, basta acessar a Página do Participante.

COMENTÁRIOS dos leitores