Projeto desenvolvido dentro da Funase tem destaque na ONU

A iniciativa proporcionou a troca de experiências entre os socioeducandos e estudantes franceses

qui, 17/01/2019 - 10:51
Funase/Divulgação Em sala de aulas, socioeducandos compartilharam conhecimento sobre a produção de detergente caseiro Funase/Divulgação

Propor a discussão e reflexão sobre assuntos importantes como mudanças climáticas, reciclagem no ambiente doméstico, reutilização de água e equilíbrio no consumo de energia foram alguns dos assuntos abordados no projeto desenvolvido em uma escola que funciona dentro de uma unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

Nele, estudantes brasileiros e franceses trocaram experiências sobre desenvolvimento sustentável e aprenderam a fabricar materiais de limpeza não agressivos ao meio ambiente.

A iniciativa foi realizada entre alunos secundaristas do Lycée Sainte Marie, situado em Aire-sur la Lys, na França, e alunos da Escola Estadual Frei Jaboatão, que é da rede administrada pela Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco e tem um anexo dentro do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Jaboatão dos Guararapes, da Funase.

Desenvolvendo atividades com o auxílio de um aplicativo tratutor e do twitter, o intercâmbio de vivências foi destaque na edição mais recente da Revista PEA-Unesco e em postagem feita no perfil da ONU France no Twitter.

Para Vera Braga, gestora de Educação Inclusiva e Direitos Humanos da Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco, o reconhecimento da ONU é muito importante, pois valoriza o trabalho dos profissionais e estudantes envolvidos. “São profissionais que se esforçam diariamente para que esses adolescentes sejam reintegrados na sociedade”, afirma.

Já o coordenador geral do Case Jaboatão, Mozat Lourenço, destaca que “a realização desse projeto e a repercussão que ele tomou mostram o compromisso com que fazemos a socioeducação. Os adolescentes estudam, participam de diversas atividades pedagógicas, têm habilidades reconhecidas e, cada vez mais, dão passos seguros para terem todas as condições de se reintegrar à sociedade”.

A unidade da Funase atende adolescentes com idades entre 12 e 15 anos e é a única instituição de ensino para adolescentes em privação de liberdade do Brasil a participar do rol de 583 associadas à Rede PEA-Unesco.

*Com informações da assessoria de imprensa

COMENTÁRIOS dos leitores