'Dentista delivery' revela tendência de mercado no Recife

Imagine receber tratamento dentário sem sair de casa? Esse é o serviço que um dentista recifense passou a oferecer há um ano. Os pacientes aprovaram a iniciativa

por Nathan Santos qui, 04/12/2014 - 13:37

Pedir uma pizza por telefone e receber a comida em casa é algo bem comum nas grandes cidades. Nos finais de semana também é tradição que as famílias peçam pratos de restaurantes para comer nas próprias residências. O que não é nem um pouco corriqueiro, mas que promete virar uma tendência de “delivery” no Recife, é o “dentista domiciliar”. Você já imaginou receber tratamento dentário na sala da sua casa e ainda assistindo a um bom filme no aparelho de TV?

Esse é o novo empreendimento do dentista João Henrique de Freitas, morador do Recife e que atua com odontologia há 20 anos. Depois de passar mais de uma década atendendo pacientes no seu consultório localizado no bairro das Graças, Zona Norte da capital pernambucana, João resolveu investir também no “dentista móvel”, um serviço de atendimento dentário realizado na casa dos clientes. De acordo com o doutor, a ideia é da sua esposa, que começou a enxergar uma necessidade de atendimento às pessoas que têm dificuldade de locomoção.



“Existem muitas pessoas com deficiência física ou mental que não podem se locomover ou têm dificuldade. Então, pensamos numa forma de ajudar essas pessoas. Pesquisamos bastante e descobrimos uma empresa no Rio de Janeiro que comercializava o consultório móvel. Eu mesmo fui lá e pude conferir como funcionava. Já estamos com o atendimento móvel há um ano”, conta João Henrique.

Em um carro popular o doutor arruma todos os seus equipamentos, descrito por ele como um consultório móvel. Depois de um agendamento prévio do cliente, o dentista segue para a residência levando todas as ferramentas necessárias. Segundo João Henrique, os tratamentos que podem ser feitos nas casas são limpeza dentária, polimento, raspagem, reestruturação, aplicação de flúor, selante, canal, extrações e principalmente casos de urgência. Em média, a consulta dura uma hora e meia e após a análise o doutor passa alguns exames para a continuação do tratamento. “Por mês, eu atendo em média 20 clientes. Desse total, 70% são pessoas com deficiência. Eu acho que esse tipo de atendimento facilita muito a vida dos pacientes, principalmente pela questão de comodidade. Eu me sinto muito feliz em ver as pessoas sorrirem a aprovarem meu trabalho”, relata o profissional.

O custo para o atendimento móvel depende do endereço dos pacientes. Na Região Metropolitana do Recife, o doutor cobra o descolamento a um valor de R$ 250, além do preço da consulta: R$ 200. Quando o atendimento é em cidades do interior, principalmente no Agreste do Estado, o investimento no deslocamento do dentista é de R$ 400 e o valor da consulta continua o mesmo. São aceitas todas as formas de pagamento. Os interessados podem ligar para os telefones (81) 9963-2885 / 8662-6273 / 9988-1542.

A casa vira consultório

O autônomo Luiz Carlos Quirino é um dos pacientes que resolveu receber o tratamento dentário na sua própria residência. Morador do bairro de Areias, na Zona Oeste do Recife, ele reconhece que nunca havia visto um serviço desse tipo. “Pra mim, é novidade! Mas, toda a experiência é válida e eu acredito que o serviço tem a mesma qualidade que um consultório. Acho que é bem mais trabalhoso para o dentista e mais cômodo para o paciente”, diz Luiz Carlos, aos risos.

O doutor João Henrique tira todos os equipamentos do carro e leva as ferramentas para um dos espaços da residência. Na casa de seu Luiz, o local escolhido foi a sala. Primeiro, o dentista monta a cadeira, logo depois o paciente se acomoda e em seguida os aparelhos vão sendo interligados. Uma garrafa pet serve de recipiente onde são depositados os materiais líquidos do tratamento.



Depois de tudo montado e com a ajuda de uma lanterna que fica instalada na cabeça do dentista, o tratamento segue da mesma forma que ocorre nos tradicionais consultórios. A grande diferença é que o ambiente é a própria residência do paciente e é possível até assistir a um bom filme para manter a calma. Confira no vídeo:

Embed:


De acordo com o dentista, o investimento no consultório móvel foi de R$ 10 mil. Além dessa aquisição, ele comprou dois carros e investiu em propaganda. Ele garante que, daqui a dois anos, caso a demanda de cliente continue crescendo, mais investimentos serão feitos no serviço.

Serviço autorizado

Não há impedimento para a realização de tratamento dentário na casa dos pacientes, desde que as normas de higiene e esterilização sejam respeitadas. A afirmação é da coordenadora de fiscalização do Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco (CRO-PE), Berta Moreno. A dentista explica que é necessário que o profissional siga as normas do CRO e o código de ética da área.

“O atendimento que acontece nas casas dos pacientes é praticamente o mesmo que ocorre nos consultórios. Não é possível fazer, por exemplo, uma cirurgia de maior porte. Qualquer ambiente da casa pode servir para o tratamento. O importante é que o paciente se sinta confortável”, explana Berta.

De acordo com a coordenadora, ainda não há em Pernambuco denúncias de irregularidades sobre o trabalho de dentistas que atendem em domicílio. Porém, ela reconhece que é difícil fiscalizar se os “serviços deliverys” estão sendo feitos da forma correta, uma vez que é “praticamente impossível” saber quando e a que horas o profissional atenderá um paciente em domicílio. Sobre os valores cobrados, Berta ainda afirma que o Conselho não interfere nas quantias pedidas pelos dentistas. “Cada um faz ser preço”, frisa. 

 

   

 

  

COMENTÁRIOS dos leitores