Comissão impõe derrota a Moro e decide transferir o Coaf

Foram 14 votos a favor da mudança do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério de Justiça para o da Economia

qui, 09/05/2019 - 11:20 Atualizado em: qui, 09/05/2019 - 11:26
José Cruz/Agência Brasil José Cruz/Agência Brasil

A comissão mista que analisa a Medida Provisória (MP) da reforma administrativa no governo decidiu, nesta quinta-feira (9), retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério de Justiça e Segurança Pública e transferi-lo para a pasta da Economia.

A decisão impõe uma derrota ao ministro Sérgio Moro que defendia veementemente a permanência do Coaf no ministério que comanda. Foram 14 votos a favor da mudança e 11 contra. 

Tanto o ex-juiz como outros membros do governo passaram a semana discursando contra a transferência e pedindo apoios dos parlamentares. Para Moro, a permanência do órgão na Justiça era crucial para combater a corrupção.

O Coaf é um órgão que, desde 1998, investiga operações bancárias suspeitas no Brasil. Inclusive, recentemente, identificou movimentações atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

De acordo com dados do Coaf, Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão durante um ano, valor que é incompatível com o patrimônio dele. Ações estão sendo investigadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

A mudança para passar a valer ainda precisa ser aprovada, junto com outras questões da MP, nos plenários da Câmara e do Senado. O prazo para a votação é até 3 de junho.

COMENTÁRIOS dos leitores