Danilo Cabral quer criar Frente em Defesa do Nordeste

Deputado federal disse que as primeiras manifestações do presidente Jair Bolsonaro ampliam a necessidade de defender a região

por Giselly Santos ter, 08/01/2019 - 10:50
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo Danilo condenou fala de Bolsonaro sobre os governadores da região Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Depois de Jair Bolsonaro (PSL) afirmar que o “presidente [dos governadores do Nordeste] está em Curitiba”, referindo-se a aliança deles com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, iniciaram algumas mobilizações de políticos. O deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE) anunciou que pretende criar no Congresso Nacional a Frente Parlamentar em Defesa do Nordeste.

Na ótica do pessebista, os primeiros movimentos de Bolsonaro apontam para a necessidade de aprimorar os mecanismos de diálogos do governo federal com a região. “O Nordeste precisa ser respeitado. Ele é presidente de todos os brasileiros, inclusive daqueles que não votaram nele”, afirmou o deputado.

Danilo Cabral também considerou que a ausência de um representante do Norte e Nordeste na equipe ministerial foi um indicativo de que faltará ao governo uma pessoa com “leitura local” e sensibilidade para os interesses da região.

“Além disso, o presidente inaugurou uma nova forma de interlocução política do governo com o Congresso Nacional, priorizando as frentes temáticas ao invés dos partidos políticos, o que nos leva a introduzir o tema Nordeste nesse formato”, observou o pessebista.

De acordo com o pernambucano, o Congresso Nacional conta com 151 deputados e 27 senadores nordestinos. E a intenção é de mobilizar esses parlamentares para criar um espaço de diálogo entre o parlamento, o governo e a sociedade para que a região tenha acesso as políticas públicas e os interesses atendidos.

“Estamos falando de uma região que tem 54 milhões de habitantes, responsável por 14% da economia brasileira e onde estão presentes as marcas mais profundas das desigualdades sociais do nosso país. Precisamos reduzir desigualdades regionais, gerar oportunidades de emprego e fazer os investimentos necessários para a melhoria da nossa infraestrutura, como garantir o acesso a água, bem como garantir as políticas sociais”, declarou.

Na mesma entrevista em que fez referência a Lula como o presidente dos governadores do Nordeste, Bolsonaro disse que esperava que os chefes dos Executivos Estaduais não fossem “pedir nada”. Na avaliação de Danilo, a postura do capitão da reserva é inadmissível.

“Essa fala do presidente foi trágica. O Nordeste pode e deve reivindicar suas demandas mesmo tendo escolhido outro presidente”, considerou o deputado. “Não vamos admitir que o Nordeste volte a ser visto de forma discriminatória e preconceituosa. Diferentemente do que pensam muitos, o Nordeste é parte da solução do Brasil”, acrescentou.

Apesar da postura negativa de Bolsonaro, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou nessa segunda-feira (7) que faria uma solicitação formal de audiência com o comandante do Palácio do Planalto para apresentar as necessidades do Estado.

COMENTÁRIOS dos leitores