Bicampeão 25 anos depois

| dom, 13/05/2012 - 18:20
Compartilhar:

Ao levantar a taça de Bicampeão Pernambucano neste domingo (13), o Santa Cruz repetiu um feito que não realizava havia 25 anos: o de conquistar dois campeonatos estaduais seguidos. A última vez que isto tinha acontecido foi justamente na Ilha do Retiro, palco da última decisão, em 1987.

De 87 até 2010, o Tricolor conquistou mais quatro títulos estaduais, porém nenhum em sequência. A diferença daquele bicampeonato para o biênio atual é que os dois títulos foram conquistados no reduto rubro-negro. Uma curiosidade do primeiro campeonato, em 86, é que o então presidente tricolor, Zé Neves, fincou uma bandeira coral no gramado da Ilha, deixando aquela cena na história do futebol pernambucano.

No bicampeonato de 87, o elenco tricolor contava com Athayde no meio campo. Atualmente, o ex-jogador tricolor é gerente de futebol do clube. Ele lembra muito bem daquele ano e se sente lisonjeado em poder participar, mais uma vez, desta conquista tricolor. “Eu não nego que para mim é um privilégio e uma honra estar no Santa Cruz e ser abençoado desta forma”, disse Athayde.

O gerente de futebol tricolor diz ainda que lembra de tudo o que aconteceu naquela conquista coral, inclusive da escalação utilizada pelo Santa Cruz na decisão contra o Sport. “Eu lembro perfeitamente, porque foi uma equipe que ficou na memória do torcedor tricolor. Além disso, foi o ano que eu cheguei no Recife. O Santa Cruz já havia sido campeão em 86 e buscava este bicampeonato em 87”, afirmou o dirigente coral.

Antes de 2012 e 1987, o Santa Cruz já havia conquistado dois campeonatos seguidos em outras três oportunidades. A primeira foi no tricampeonato de 1931/32/33, depois veio o bicampeonato de 1946/47 e, em seguida, o pentacampeonato de 1969/70/71/72/73.

Santa Cruz campeão em 86: Birigui; Marco Antônio, Lula, Ivan e Lotti; Zé do Carmo, Rommel e Neto; Marlon, Jarbas e Tiziu.

Santa Cruz bicampeonato em 87: Birigui; Orlando, Ragner, Ivan e Lotti; Zé do Carmo, Athayde e Sérgio China; Edson, Dadinho e Gílson Gênio.