Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

A nova fase da Bolsa-Família

Magno Martins sab, 23/09/2017 - 14:05

O Governo Federal deve lançar na próxima semana um novo programa social, cujo objetivo é elevar a renda de 1 milhão de famílias para que elas possam deixar o Bolsa Família em 2 anos, segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra. Batizada de Progredir, a ação oferecerá cursos de qualificação profissional, ajudará na seleção de oportunidades de trabalho e disponibilizará R$ 3 bilhões em microcrédito para famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal, explicou Terra.

“É um programa vinculado ao público do Bolsa Família, a população mais pobre do Brasil, que visa criar oportunidade de emprego e renda para essa população. Não é um programa para tirar as pessoas do Bolsa Família”, disse o ministro. Apesar disso, o ministro trata o novo programa do governo como uma “forma de emancipação” do Bolsa Família. “Ninguém pode passar fome, mas o Bolsa não deve ser um projeto de vida”, afirmou Terra ao G1.

Terra fechou detalhes do programa, ontem, em reunião com Temer, após o retorno do presidente de Nova York. Segundo ele, o programa será voltado para jovens e adultos da cidade e do campo. O universo de pessoas que poderão ser atendidas pode ir além das 13,4 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família atualmente, já que há mais de 28,2 milhões de famílias inscritas no Cadastro Único.

"Ninguém pode passar fome, mas o Bolsa não deve ser um projeto de vida. "A expectativa de Terra é lançar o Progredir na próxima semana, em cerimônia no Palácio do Planalto com Temer. A solenidade está pré-agendada para a próxima terça-feira. Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o Progredir terá ações conjuntas com outras pastas, como Educação; Trabalho; Indústria, Comércio Exterior e Serviços; e Ciência e Tecnologia, e será dividido em três eixos.

EMANCIPAÇÃO– Os beneficiários do Bolsa Família terão prioridade nas ações do Progredir, garante o secretário-executivo do MDS, Alberto Beltrame. De acordo com ele, é uma discussão corrente nas Nações Unidas (ONU) o “próximo passo” dos programas de transferência de renda. "Especialmente em momentos de crise econômica, é preciso ir além da transferência de renda pura e simples, modelo que se esgota. É preciso buscar no desenvolvimento humano, na qualificação profissional, no emprego e na geração de renda repostas para o combate à pobreza e a emancipação das pessoas”, disse o secretário-executivo.

O grito de Tavares – O presidente da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) e da Compesa, Roberto Tavares, participou em Brasília da primeira reunião realizada pelo Ministério das Cidades com vistas a revisão do Plano Nacional de Saneamento Básico. Apesar de parabenizar a iniciativa, Tavares fez duras críticas à falta de enfrentamento aos problemas estruturais do setor de saneamento por parte do Governo Federal. Dentre os pontos abordados, Tavares destacou o cenário exageradamente otimista que foi adotado pelo plano nacional, que previu um crescimento anual do PIB de 4% anuais, quando os índices registrados foram de -3,8% e -3,6 %, nos dois últimos anos, e a falta de previsão legal para a garantia de recursosonerosos e não onerosos para investimento perene que viabilize a melhoria e a universalização dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário.

Só a Prefeitura emprega– Na pacata Bom Jesus da Serra, no interior da Bahia, 9 em cada 10 trabalhadores com carteira assinada são funcionários da Prefeitura. Com renda fixa e estabilidade, eles são a pequena elite da cidade de apenas 10,5 mil habitantes. Quem não tem emprego na gestão municipal, trabalha no comércio ou tem como principal fonte de renda o Bolsa Família ou o Bolsa Safra, concedido aos agricultores que não conseguem fazer sua plantação, de feijão ou milho, vingar. O comércio é pequeno, formado por padarias, botecos, pequenas lojas de roupas e mercados. Para conseguir uns trocados, tem estabelecimento que vende até Wi-Fi: R$ 1 por 24 horas.

Tudo pela Chesf– O governador Paulo Câmara (PSB) está capitaneando uma ação contra a privatização da Eletrobrás. Câmara prepara o lançamento de uma campanha de comunicação com o mote “Não vamos ficar calados”, em que contesta a desestatização proposta por Michel Temer. O ponto central defendido por ele é a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), de grande importância para o Estado. Câmara afirma que a venda da companhia irá prejudicar os cofres pernambucanos. E que o esforço fiscal para colocar as contas do Estado em dia terá sido em vão.

Lula só pensa nele – Lula ainda mexe no tabuleiro como se acreditasse que será candidato ao Palácio do Planalto no ano que vem. No momento, ele se concentra na montagem de seus possíveis palanques. O ex-presidente já avisou a Gleisi Hoffmann que deseja vê-la candidata à reeleição ou à Câmara. Ela cogitava dedicar-se exclusivamente à presidência do PT. Outros parlamentares que planejavam voos mais tímidos também já estão sendo encorajados a sonhar grande. A estratégia revela que Lula não está preocupado com o futuro dos aliados, ameaçados de ficar desempregados em 2019. Lula pensa apenas em si próprio, como sempre.

CURTAS

FEIRA DO LIVRO– A Secretaria da Mulher de Pernambuco está presente na III Feira Nordestina do Livro (Fenelivro) que acontece até, amanhã, das 9h às 21h, no Centro de Convenções, em Olinda, com entrada franca. O estande oferece cultura e empreendedorismo. A Secretaria está disponibilizando para o público uma exposição com todo seu acervo. Para acessar as obras, basta entrar no site: www.secmulher.pe.gov.br e baixar o livro de sua preferência, gratuitamente. No estande também estão sendo comercializados livros com a temática de gênero.

DESFECHO– Está marcada para a próxima quarta-feira, em Brasília, a reunião da executiva nacional do PMDB que selará o destino do diretório pernambucano. Em pauta, a proposta da sua dissolução pedida por um aliado do senador Fernando Bezerra Coelho. O relator da matéria é o deputado Baleia Rossi (SP), que deve dar seu parecer favorável, o que, na prática, leva FBC a tomar o comando do partido no Estado do deputado Jarbas Vasconcelos.

Perguntar não ofende: A dissolução do diretório do PMDB pernambucano será por unanimidade dos integrantes da executiva nacional?


Lula sondado para vice

sex, 22/09/2017 - 12:35

Dentro do arco da aliança que está sendo concebida no chamado G-4, o grupo dos quatro partidos que se unirão num projeto de oposição ao governador Paulo Câmara, dois importantes prefeitos da Região Metropolitana já fecharam um prévio entendimento: Anderson Ferreira (PR), de Jaboatão, e Lula Cabral (PSB), do Cabo. Em encontro recente, depois de terem recebido em seus gabinetes o senador Fernando Bezerra Coelho, que saiu do PSB para o PMDB, eles decidiram caminhar juntos em 2018.

 

Anderson já integra o bloco oposicionista, embora ainda tenha cargos no Governo Câmara. Lula seria a grande novidade em termos de debandada da base governista. Fazendo a travessia para o outro lado do balcão, o prefeito do Cabo seria tratado a pão de ló, com o tapete vermelho estendido pelas principais lideranças do G-4. A ele, segundo o blog apurou, seria oferecida a vaga de vice na chapa do candidato a governador. Tanto poderia ser ele próprio o candidato quanto indicar um nome do seu grupo.

Já o prefeito de Jaboatão seria contemplado com a prerrogativa de indicar um dos dois nomes para o Senado. Na sua cabeça, seria o seu irmão, deputado estadual André Ferreira, do PSC. Sentindo que Lula está dando sinais de rebeldia, o governador Paulo Câmara escalou esta semana quatro secretários para o Cabo. Num despacho coletivo, anunciaram várias obras para o município no gabinete do prefeito que, mesmo assim, não ficou satisfeito.

Lula tem consultado muitos aliados nos últimos dias depois da longa conversa com o senador Fernando Bezerra Coelho. Fora do PSB, com chances reais de assumir o comando do diretório estadual do PMDB, FBC investe fortemente na busca de aliados na Região Metropolitana do Recife para fortalecer seu projeto de disputar o Governo do Estado.

A pessoas da sua confiança, revelou ter saído muito satisfeito do encontro com Lula Cabral, tendo colocado claramente que sua adesão ao G-4 seria extremamente valorizada. Em português claro, FBC disse que Lula seria o nome ideal para fechar a sua chapa como candidato a vice-governador. Mas o gestor cabense não tem pressa para decidir, seguindo a máxima do ex-senador Marco Maciel, que dizia em que política quem tem prazo não pode ter pressa.

REFORÇO POLICIAL– Agosto teve o maior número de homicídios, na comparação com o mesmo mês, nos últimos sete anos, segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS). Sobre os índices da criminalidade, o governador Paulo Câmara reconhece que o Estado está com “muitos desafios na segurança”, mas descarta a necessidade de atuação da Força Nacional, pedida por deputados de oposição. “Ninguém está escondendo que nós estamos com muitos desafios na segurança, os números mostram isso. Nosso efetivo está sendo reforçado. Não é assim, chamando Força Nacional, que não tem nem esse contingente, que vamos resolver”, afirmou. Câmara participou, ontem, da cerimônia de formação de mais 1,5 mil policiais militares para reforçar o policiamento nos grandes focos da violência.

A força de Sebastião – O ministro dos Transportes, Maurício Quintella, assina, hoje, em Petrolina, a ordem de serviço para a adequação da travessia urbana da cidade na rodovia BR-428 e faz o anúncio da certificação operacional do aeroporto. O ato está marcado para às 10 horas no antigo Centro de Abastecimento de Petrolina, com a presença do governador Paulo Câmara (PSB) e do secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira (PR), além do prefeito Miguel Coelho e do senador Fernando Bezerra Coelho. Mais tarde, por volta das 15 horas, já no Recife, o ministro assina a ordem de serviço do início das obras de contorno da BR-101, no Km 55,6, em frente à distribuidora Disbec. Quintella é do mesmo partido de Sebastião, na foto, que teve um papel decisivo para alavancar recursos para ambos os projetos. Só na requalificação da BR-101, ele conseguiu investimentos da ordem de R$ 198 milhões. A buraqueira, enfim, está com os dias contados num dos trechos mais movimentados da BR-101.

Carro pipa em Pombos– O deputado Jorge Côrte Real (PTB) conseguiu com o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Renan Newton Ramlow, a continuidade da Operação Carro Pipa em Pombos. O serviço iria ser encerrado no início do próximo mês. De acordo com o parlamentar, manter carros pipas, neste momento, é de extrema importância para a região, que ainda sofre com os efeitos da seca. “É minha obrigação, como deputado, cuidar dos interesses dos pernambucanos e a continuidade do fornecimento de água é de total interesse da população. Quando o prefeito de Pombos, Dr. Marcos, me informou que a operação seria cancelada, prontamente solicitei a reunião com o secretário", disse o parlamentar.

Boa notícia– O Brasil abriu 35.457 vagas de emprego formal em agosto, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados, ontem, pelo Ministério do Trabalho. O resultado decorre de 1.254.951 admissões e 1.219.494 demissões. Este foi o 5º mês de saldo positivo do indicador. O número apresentado pelo Ministério ficou abaixo da mediana das estimativas positiva de 60.600 postos, apurada pela pesquisa do Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo da pesquisa, que ia da criação de 16.718 vagas a 80 mil postos. No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, foram abertas 163.417 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, no entanto, o resultado ainda é negativo, com o fechamento de 544.658 vagas.

Alckmin no Recife – Após Lula (PT), Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PSC) e João Dória (PSDB), agora é a vez do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pré-candidato ao Palácio do Planalto em 2018, vir a Pernambuco, segundo maior colégio eleitoral do Nordeste. O tucano participa, na próxima segunda-feira, às 8h30, do Fórum Nordeste 2017 – Desafios e Oportunidades nos Setores de Biocombustíveis, Etanol e Energias Limpas, que acontece no Arcádia Paço Alfândega, no bairro do Recife, promovido pelo Grupo EQM, do empresário Eduardo Monteiro. No Recife, o tucano vai poder se reunir com políticos e empresários. A princípio, estarão presentes os governadores Paula Câmara (PSB) e Renan Filho (PMDB), de Alagoas, além dos ministros Mendonça Filho (Educação), Bruno Araújo (Cidades) e Fernando Filho (Minas e Energia).

CURTAS

MELHORAS– Novo boletim médico com o estado de saúde de Alexandre Farias mostrou que o jornalista está apresentando "evolução satisfatória". A informação foi divulgada na manhã de ontem. O apresentador está internado desde o sábado quando foi vítima de bala perdida no Alto do Moura, em Caruaru. Conforme consta no boletim, os médicos começaram a reduzir os sedativos que mantém Alexandre em coma induzido, e ele segue apresentando reações espontâneas, "como respiração voluntária".

MORTE– O prefeito de Dormentes, no Sertão do São Francisco, Geomarco Coelho (PSB), de 51 anos, morreu no início da noite de ontem, em Recife. De acordo com familiares, o prefeito morreu durante uma cirurgia cardíaca, realizada no Real Hospital Português. Grande liderança política na região, Geomarco governou o município por quatro mandatos.

Perguntar não ofende: Quantos prefeitos vão aderir ao PMDB depois que Fernando assumir o comando do partido?

 

 


De onde veio a bala que atingiu o jornalista?

qui, 21/09/2017 - 09:37

A violência chegou a níveis absurdos. Em Pernambuco e no Brasil inteiro. Leio notícias de jornais do Ceará que apontam aumento assustador nos homicídios em Fortaleza (74% de fevereiro a junho e continua crescendo). Natal é a cidade mais violenta do Brasil e a décima mais violenta do mundo. Belém e Aracaju vêm logo em seguida. O Rio de Janeiro, nem se fala. É chocante olhar o noticiário da televisão e constatar que se tornou natural os jornalistas irem às ruas vestindo coletes à prova de bala - imagem antes vista apenas em coberturas de guerra.

 

Esse preâmbulo foi para me associar a todos que lamentam o sofrimento do companheiro Alexandre Farias, da TV Asa Branca, atingido por uma bala disparada por bandidos em fuga na cidade de Caruaru, no último final de semana. Alexandre não estava trabalhando, nem se vestia para guerra. Voltava para casa dirigindo seu carro quando foi alvejado. Os bandidos dispararam várias vezes contra a viatura que os perseguia. Acertaram o jornalista, que continua entre a vida e a morte numa UTI.

Pelo menos, a polícia já prendeu quatro homens envolvidos no crime. Outro foi morto em confronto. Os policiais que perseguiam os bandidos estavam apenas realizando seu trabalho. Identificar um carro roubado e abordá-lo é o que se espera das autoridades. A bala que atingiu o jornalista Alexandre Farias não foi culpa da ação dos policiais, como alguns querem fazer crer. A culpa é tão somente desses marginais, que por sinal não são sequer pernambucanos, vieram do Rio Grande do Norte assaltar em Caruaru.

Tudo Isso que falei só demonstra que o problema da segurança é nacional. O Brasil não produz o crack, essa droga que é uma verdadeira praga. O Brasil não produz fuzis AR15, modelo preferido por traficantes, assaltantes a banco e crime organizado em geral. Tudo isso vem de fora, pelas imensas porteiras abertas na nossa fronteira. A violência no Brasil todo só vai ser reduzida quando o Governo Federal assumir seu papel na defesa das nossas fronteiras. E quando estados e municípios se unirem para combater a criminalidade na ponta, cada um fazendo o que pode e deve ser feito.

MELHORAS– O novo boletim médico com o estado de saúde de Alexandre Farias mostrou que o apresentador apresentou "ótima evolução clínica". A informação foi divulgada na manhã de ontem. O jornalista está internado desde o sábado passado quando foi vítima de bala perdida no Alto do Moura, em Caruaru. Conforme consta no boletim, os médicos começaram a reduzir os sedativos que mantém Alexandre em coma induzido, e o apresentador apresentou reações espontâneas, "como soluços e respiração voluntária". As pressões intracranianas (PIC) e de perfusão cerebral (PPC) permanecem normais, assim como as funções renais, pulmonares, hepáticas e cardíacas.

Poderia ter sido pior – Se a pesquisa de avaliação da gestão municipal de Caruaru tivesse isso a campo terça-feira e quarta-feira últimas, depois das declarações desencontradas da prefeita Raquel Lyra (PSDB) sobre o episódio da bala perdida que atingiu o jornalista Alexandre Farias, certamente o Instituto Opinião teria identificado um quadro muito mais adverso para a tucana do que os apresentados no levantamento postado abaixo, no qual sua gestão tem reprovação da maioria do eleitorado, sendo a questão da segurança pública o ponto mais reclamado por parte dos entrevistados. Na avaliação geral da pesquisa, seu Governo não está agradando nem mesmo aos então mais devotados eleitores e até aliados.

Fundo eleitoral– O líder do governo no Senado, senador Romero Jucá (PMDB-RR), entregou, ontem uma proposta alternativa para a criação de um fundo eleitoral com dinheiro público. Pelo texto, que seria votado ainda ontem no Senado, Jucá inclui a previsão de utilizar, "no mínimo", 50% do valor destinado no Orçamento às chamadas emendas de bancada para custear as campanhas. Neste ano, foram destinados R$ 6,1 bilhões neste tipo de emenda. Além das emendas de bancadas, a proposta de Jucá tem outras duas fontes de recursos. A primeira prevê a transferência para o fundo dos valores da compensação fiscal cedidos às emissoras de rádio e televisão que transmitem os programas partidários. Ou seja, esses programas deixam de existir e os recursos são destinados para as campanhas.

Violência em Itapetim– O prefeito de Itapetim, Adelmo Moura (PSB), foi recebido em audiência, ontem, no Palácio do Campo das Princesas, pelo secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, a quem reivindicou reforço policial para o município. Durante a audiência, que foi acompanhada pelo prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira (PSB), pela prefeita de Brejinho, Tânia Maria (PSB), pelo deputado estadual (e secretário de Agricultura) Nilton Mota (PSB) e pelo chefe de gabinete do governador Paulo Câmara, João Campos, o prefeito fez um relato para o secretário sobre o aumento da violência em seu município, onde já foram registrados assaltos às agências do Banco do Brasil, Bradesco e Sicoob (Cooperativa de Crédito)  “Todas elas estão fechadas, sendo que o gerente da Sicoob, Evaldo Campos, já nos informou na Prefeitura que só irá reabri-la se houver aumento do efetivo policial”, declarou.

Avanço na Educação – O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Educação, foi um dos vencedores do Ranking de Competitividade dos Estados 2017, anunciado, ontem, em São Paulo, pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Tendências Consultoria Integrada e a Economist Intelligence Unit, uma empresa do grupo controlador da revista britânica The Economist. O programa pernambucano vencedor da categoria “Boas Práticas” foi o Pacto Pela Educação. O prêmio foi recebido pelo governador Paulo Câmara. “Temos que olhar para o futuro e não olhar apenas para a agenda do presente, que é a agenda financeira. Sei que todos os governadores, nos últimos três anos, têm feito o dever de casa. Pernambuco, por exemplo, manteve o padrão de despesas no mesmo nível”, afirmou.

CURTAS

FILIAÇÃO– O Avante, novo partido, acolheu, ontem, o deputado federal e candidato à reeleição, Adalberto Cavalcanti (ex-PTB), uma das lideranças políticas do Sertão do São Francisco. Ex-prefeito de Afrânio, por dois mandatos (2000 e 2004), ex-deputado estadual (2010), nas eleições de 2014 Adalberto foi eleito deputado federal. O seu ingresso foi oficializado em reunião conduzida pelos também deputados federais, Sílvio Costa (PE) e Luis Tibé (MG), respectivamente presidentes estadual e nacional do partido.

RELATORIA– O senador Armando Monteiro (PTB) foi escolhido relator do projeto de lei criando o fundo de financiamento de campanha eleitoral do próximo ano, que se estima deve ficar em torno de R$ 3,5 bilhões, e disciplinando a propaganda das eleições na Internet. Pelo projeto, que substitui o projeto de lei 206/2017, de autoria do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), o Fundo Especial de Financiamento de Campanha será formado por duas fontes: metade das emendas das bancadas ao Orçamento da União e o valor da compensação fiscal dada às emissoras de rádio e tevê pela propaganda eleitoral veiculada em 2016, corrigido pela variação do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Perguntar não ofende: Quanto vai custar ao contribuinte a rejeição pela Câmara da segunda denúncia contra Temer?


A influência de Anderson no G-4

qua, 20/09/2017 - 08:51

A consolidação do G-4, o grupo dos quatro partidos que estão na oposição ao Governo Paulo Câmara (PTB-PSDB-DEM e PMDB, se este ficar de fato sob o controle do senador Fernando Bezerra Coelho), passa pela inserção de uma liderança na Região Metropolitana do Recife. É por isso que o senador Armando Monteiro, os ministros Bruno Araújo e Mendonça Filho, além do próprio Fernando Bezerra, investem fortemente para atrair o PSC, do grupo Ferreira, liderado pelo prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, que está tentando, também, retomar o controle do PR, hoje com o secretário de Transportes, Sebastião Oliveira.

Além de administrar o segundo maior colégio eleitoral do Estado, Anderson é produto do segmento evangélico, o que mais cresce no País. Quando deputado federal, dois anos antes de ser eleito prefeito, teve mais de 150 mil votos e seu irmão André Ferreira, mais de 74 mil votos para deputado estadual. A família elegeu ainda o vereador Fred Ferreira, com mais de 14 mil votos. Votações e tanto, diga-se de passagem, em se tratando de uma única família.

São fatores que numa discussão para montagem da chapa majoritária do G-4 devem influenciar bastante. Por isso, não está descartada a possibilidade do deputado André Ferreira ser indicado candidato a senador. Atuando no bloco de oposição, tendo na sua eleição em 2016 o apoio do senador Armando Monteiro, Anderson já pode ser considerado, desde já, a noiva mais cobiçada do pleito de 2018, sendo paparicado por ambos os lados da disputa.

Afinal, não está descartada a possibilidade de o governador Paulo Câmara buscar o seu apoio e, consequentemente, de olho também do mundo evangélico. Mas como tem sido tratado a pão e água pelo Governo, segundo aliados fazem questão de enfatizar, a tendência nacional é ficar onde está, trabalhando para o fortalecimento da oposição no Grande Recife.

Interlocutores do prefeito garantem que Anderson já vem assumindo um papel preponderante na consolidação do G-4. “Na verdade, as costuras para montagem e ampliação deste grupo começaram no gabinete do prefeito”, garante um aliado do gestor, adiantando que as chances do grupo Ferreira indicar um dos candidatos a senador são reais. 

LULA NA LIDERANÇA– O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria as eleições presidenciais em todos os cenários, segundo pesquisa CNT/MDA divulgada, ontem, pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) aparece em segundo lugar em todos os cenários testados. Segundo o levantamento, Lula teria hoje com 20,2% das intenções de voto espontânea para presidente, ante 16,6% no levantamento CNT/MDA divulgado em fevereiro deste ano. Em seguida, aparecem Bolsonaro, com 10,9% (ante 6,5% em fevereiro); seguido pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), com 2,4% (ante 0,3% em fevereiro).

Paraíba na frente - O Estado da Paraíba está entre os dez finalistas do Ranking de Competitividade dos Estados 2017, realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), que analisa 66 indicadores, agrupados em 10 pilares. Em 2016, a Paraíba já havia ficado em segundo lugar na categoria infraestrutura, ficando atrás apenas de São Paulo, e em sexto lugar no quesito potencial de mercado. O governador Ricardo Coutinho (PSB) participou, ontem, em São Paulo, do evento no qual será divulgado o ranking dos estados brasileiros que estão conseguindo melhorar os serviços públicos, mesmo em condições adversas. O secretário de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão, Waldson Souza, aponta como principal responsável pela melhoria dos índices a solidez fiscal da Paraíba, mesmo em tempos de crise.

Mudança na Lava Jato– A nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, oficializou em portarias a troca no grupo de trabalho da Operação Lava Jato.  A nova equipe composta por Raquel para conduzir as investigações na PGR é formada por oito procuradores, sendo que apenas dois já estavam no grupo do ex-procurador-geral Rodrigo Janot. Além disso, Raquel estabeleceu um prazo de 30 dias de transição nos quais cinco integrantes do grupo de Janot ajudarão nos trabalhos da Lava Jato, entre eles o último coordenador da equipe, promotor Sérgio Bruno.  As portarias foram publicadas no Diário Oficial de ontem. 

Dória se aproxima do DEM– O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), convidou integrantes da cúpula do DEM para um jantar, amanhã, em sua residência, na capital paulista. O convite é mais um gesto político do tucano em busca de apoio para viabilizar uma eventual candidatura sua à Presidência da República em 2018. O presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (RN), confirmou o convite. "Esse jantar está previsto, sim", afirmou. O parlamentar potiguar, porém, disse que não poderá comparecer, pois está de licença do Senado para tratamento médico. Outros democratas, como o prefeito de Salvador, ACM Neto, porém, já confirmaram presença.

Crescendo feito rabo de cavalo – O presidente Michel Temer (PMDB) registrou a pior aprovação pessoal e de governo da série histórica da pesquisa CNT/MDA, divulgada, ontem, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Do ponto de vista de avaliação de governo, a série histórica da pesquisa começou a ser registrada pela CNT em julho de 1998, durante o segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De lá para cá, Temer é o presidente da República com a pior avaliação. Segundo os dados do levantamento, a avaliação negativa do peemedebista alcançou 75,6% neste mês de setembro. Até então, o pior desempenho era da ex-presidente Dilma Rousseff, que teve índice de 70,9% em julho de 2015.

CURTAS 

PRISÃO– Foi preso na tarde de ontem o quinto homem suspeito de envolvimento no crime que vitimou o jornalista e apresentador da 2ª edição do ABTV Alexandre Farias, 39 anos. O homem estava escondido em uma casa no bairro José Carlos de Oliveira. Com o suspeito foram apreendidos um revólver e uma pistola. O preso foi levado para a Diretoria Integrada do Interior 1, em Caruaru, no Agreste, onde os delegados deram explicações à imprensa sobre a prisão.

PROTESTO- Taxistas do Recife realizaram protestos, na manhã de ontem, para pedir que o aplicativo de transporte Uber seja regularizado pelo poder público. Dois sindicatos que representam a categoria promoveram duas carreatas, uma saindo do Centro de Convenções, em Olinda, e a segunda do Cais José Estelita, na área central da capital. 

Perguntar não ofende: Lula será candidato, mesmo sendo condenado em segunda instância? 


Em PE, o PMDB minguou

seg, 18/09/2017 - 08:47

Os aliados de Jarbas Vasconcelos promovem, hoje, um ato de desagravo contra a decisão do PMDB nacional de interferir na executiva estadual, passando o seu controle para o senador Fernando Bezerra Coelho. Independentemente do que o grupo do senador possa fazer, o fato é que o PMDB em Pernambuco encolheu na última década, atingindo patamares que não refletem a grandeza nacional da legenda. Os números falam por si mesmos.

 

Em 2006, último ano da segunda gestão de Jarbas Vasconcelos, o partido elegeu três deputados federais: Carlos Eduardo Cadoca, Raul Henry e Edgar Moury Fernandes. Quatro anos mais tarde, o mesmo Jarbas disputaria sua quarta eleição para governador. O PMDB saiu das urnas como o grande derrotado em nível estadual, conseguindo eleger apenas um representante para a Câmara Federal, entre as 25 vagas existentes.

Já em 2012, aliado à Frente Popular, Jarbas tentou eleger o filho vereador do Recife. Mesmo tendo sido prefeito da cidade por duas vezes, não conseguiu sucesso eleitoral. Em 2014, mais um desempenho pífio, com a eleição de um único deputado federal, exatamente Jarbas. O PMDB de Pernambuco, que sempre teve uma forte presença metropolitana e já chegou a contar com as prefeituras de Recife, Olinda, Jaboatão e Paulista, minguou na cena política.

No ranking das prefeituras estaduais está na quinta posição, atrás de legendas como PR, PSD e PTB. Entre as principais cidades da RMR apresentou candidato apenas em Olinda, o deputado estadual Ricardo Costa, onde contou com míseros 3,91% dos votos. Uma distância abissal em relação ao desempenho nacional do PMDB, que ficou no segundo lugar no ranking brasileiro.

Tudo isso comprova que o PMDB de Pernambuco está em declínio. Do ponto de vista eleitoral, o desempenho dos atuais peemedebistas é notoriamente insuficiente. Não passa hoje de um satélite do PSB cujo propósito na reação à chegada de Fernando Bezerra e seu grupo é o de apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara, exercitando, portanto, a posição de satélite socialista. Muito pouco para uma sigla do tamanho do PMDB.

DESAGRAVO– Amigos e admiradores do deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) estão organizando, hoje, no Empresarial JCPM, às 18h, um ato de desagravo ao parlamentar, punido pelo partido por ter votado pelo prosseguimento das investigações contra o presidente Michel Temer. Com isso, acabou perdendo o controle do PMDB em Pernambuco para o senador Fernando Bezerra Coelho. O governador Paulo Câmara (PSB) confirmou presença no ato. Na convocação, é dito que a “atuação séria, coerente e transparente na política de Pernambuco e do País” de Jarbas não pode ser “desrespeitada”.

A cata de aliados – Mesmo sem ter a certeza de que vencerá a batalha contra o grupo jarbista, o senador Fernando Bezerra Coelho faz movimentação de pré-candidato a governador para atrair forças das mais diversas tendências para o seu palanque. Na sexta-feira passada, além de ter uma longa conversa com o prefeito do Cabo, Lula Cabral, que é do PSB, mas não está satisfeito na legenda, recebeu no seu escritório político no Recife o prefeito de Agrestina, Thiago Nunes (PMDB), que que saiu de lá informando que a pauta seria administrativa, mas, na verdade, está ligada ao pleito de 2018.

Violência em Caruaru– O deputado Wolney Queiroz, presidente estadual do PDT e o seu pai José Queiroz, ex-prefeito de Caruaru, foram, ontem, ao governador Paulo Câmara relatar o drama da violência no município e pedir rigor na apuração do episódio em que o apresentador da TV Asa Branca, Alexandre Farias, foi vítima de bala perdida quando voltava para casa. Socorristas do SAMU também foram atingidos na perseguição entre bandidos e polícia. “O governador se comprometeu a anunciar nos próximos dias medidas de emergência e de grande impacto para combater a violência”, afirmou Wolney.

Com Sarney– O presidente Michel Temer chamou, ontem, o ex-presidente José Sarney no Palácio do Jaburu para discutir o cenário político em meio à segunda denúncia de Rodrigo Janot contra o presidente e a cúpula do PMDB. A conversa ocorreu após Temer se reunir nos últimos dois dias com aliados e advogados, em São Paulo e em Brasília, para discutir a estratégia jurídica contra a nova denúncia por obstrução de justiça e organização criminosa. Temer se aconselha com Sarney desde que assumiu a presidência e passou a enfrentar graves crises políticas.

Homem-bomba – Sob a ótica de amigos do presidente Michel Temer – que hoje dividem com ele a acusação de integrar uma organização criminosa – Geddel Vieira Lima vai delatar. Mas, se falar, vai delatar o quê? E quem? Geddel Vieira Lima é descrito por aliados como um político que aponta o dedo sempre que está encurralado em alguma situação delicada, no melhor estilo "eu posso até ter feito, mas ele também fez". Estratégia parecida com a de outro ex-político encrencado – e hoje preso – Eduardo Cunha. Quando Cunha estava na iminência de perder o mandato, encontrou-se com Michel Temer, então presidente em exercício, para pedir ajuda.

CURTAS

CAMARAGIBE– O senador Armando Monteiro (PTB) participou, ontem, dos desfiles cívicos dos municípios de Camaragibe e São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana. Ao lado dos prefeitos Demóstenes Meira (PTB) e Bruno Pereira (PTB), e dos deputados Jorge Corte Real (PTB) e Júlio Cavalcanti (PTB), o líder petebista acompanhou as comemorações e destacou a importância de exaltar o espírito patriótico, sobretudo para as futuras gerações. As celebrações marcaram os festejos do Dia da Independência.

POSSE- A nomeada procuradora-geral da República, Raquel Dodge, toma posse, hoje, às 8h. Ela substitui Rodrigo Janot, que deixa o cargo após quatro anos na chefia do Ministério Público Federal (MPF). Inicialmente, a posse estava prevista para às 10h30, mas o horário foi alterado para garantir a presença do presidente da República, Michel Temer, na cerimônia.

 

Perguntar não ofende: O Palácio treme com uma possível delação de Geddel?  


PT não reduziu desigualdades

Magno Martins seg, 11/09/2017 - 09:00

Caiu mais uma falácia da era petista: a desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015 e permanece em níveis "chocantes", de acordo com um estudo feito pelo World Wealth and Income Database, instituto de pesquisa codirigido pelo economista Thomas Piketty, conhecido por seus estudos sobre desigualdade com a obra "O Capital no Século 21". Segundo a pesquisa, os 10% mais ricos da população aumentaram sua fatia na renda nacional de 54% para 55%, enquanto os 50% mais pobres ampliaram sua participação de 11% para 12% no período.

Esse crescimento foi feito às custas de uma queda da participação de dois pontos percentuais dos 40% que estão entre os dois extremos (de 34% para 32%). O crescimento econômico observado no Brasil no período teve pouco impacto na redução da desigualdade porque foi capturado principalmente pelos 10% mais ricos, que ficaram com 61% da expansão observada no período. Já a metade mais pobre da população foi beneficiada com apenas 18% desses ganhos.

"Em resumo, a desigualdade total de renda no Brasil parece ser muito resiliente à mudança, ao menos no médio prazo, principalmente em razão da extrema concentração de capital e seus fluxos de renda", conclui o estudo. O estudo do World Wealth and Income Database, assinado pelo economista Marc Morgan, vai na contramão de indicadores como o índice de Gini, que mostra a desigualdade, o qual indicou que houve uma melhora do cenário no Brasil, atribuída às políticas de redistribuição de renda dos governos do PT, como o Bolsa Família, e à política de valorização do salário mínimo, cujo valor real aumentou cerca de 50% no período.

Com base nesses indicadores, os governos Lula e Dilma defenderam que houve redução na desigualdade durante suas gestões –o que o estudo questiona. Os resultados mais recentes estão em linha com os observados pelos pesquisadores Marcelo Medeiros, Pedro Souza e Fábio de Castro, da Universidade de Brasília, que identificaram uma estabilidade no nível de desigualdade entre 2006 e 2012.

"A redistribuição que houve nos anos 2000 foi sobretudo na base da pirâmide, pelo aumento do salário dos trabalhadores menos qualificado por meio da valorização do salário mínimo e demanda maior por esses trabalhadores nos setores de serviços e construção naqueles anos", diz a economista da USP e colunista da Folha Laura Carvalho. "Os mais ricos continuaram se apropriando de uma parcela muitíssimo elevada da renda, que pode ser explicada pela alta concentração de riqueza financeira e não financeira no Brasil, além dos juros altos", completa.

Segundo o estudo, a participação do Bolsa Família e do Benefício da Prestação Continuada (BPC) na renda total nacional foi de 1%, em média, nesses 15 anos. Apesar da contribuição total pequena, esses programas elevaram a taxa de crescimento da fatia dos 50% mais pobres de 9% para 21%. Uma das explicações para a discrepância é a metodologia adotada. O estudo do World Wealth and Income Database leva em conta dados da Receita Federal e das contas nacionais no cálculo, o que minimiza o problema de pesquisas com base em declarações de entrevistados, como a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad, do IBGE), nas quais os mais ricos tendem a omitir sua renda.

Esther Dweck, assessora econômica do Ministério do Planejamento entre 2011 e 2016, afirma que não é possível medir se a situação de quem estava abaixo da linha da pobreza melhorou pelo estudo. "A renda dos mais miseráveis não é medida pelo Imposto de Renda, porque eles não declaram. Esse é um estudo que capta bem a situação do 1%, que não ganha com trabalho."

"De fato, pela Pnad, os números pareciam melhores. O estudo mostra que, no Brasil, não conseguimos fazer uma política de redistribuição na riqueza de forma mais estruturante", diz Dweck. Assim, o levantamento chegou a uma média de renda anual de US$ 541 mil (R$ 1,6 milhão) entre o 1% mais rico da população (cerca de 1,4 milhão de pessoas) em 2015 —superior à renda média do top 1% francês (US$ 450 mil a US$ 500 mil). Ao mesmo tempo, a renda média dos 90% mais pobres no Brasil equivale à média dos 20% mais pobres da França.

Os mais ricos no Brasil têm, então, uma renda superior aos mais ricos da França, enquanto a maioria dos brasileiros têm renda equivalente aos franceses mais pobres. Para Carvalho, são os dados comparativos com outros países os resultados mais chocantes da pesquisa. Outra diferença é que a renda considerada no estudo é aquela antes da incidência do Imposto de Renda. Em geral, estudos sobre desigualdade consideram a renda efetivamente disponível, portanto aquela após ser tributada. A justificativa de Morgan pela renda antes da incidência de impostos é que ela captaria melhor recursos de capital e propriedades recebidos.

Um exemplo são os lucros não distribuídos de empresas fechadas, que cresceram a uma taxa três vezes superior à remuneração de empregados entre 2000 e 2015 (231% vs. 74%). Isso mostra que embora tenha ocorrido uma melhora na igualdade salarial, os recursos concentrados entre a população mais rica expandiram-se a uma velocidade muito maior. "Nossos resultados levam a uma revisão acentuada para cima das estimativas oficiais de desigualdade no Brasil, ao mesmo tempo em que as tendências de queda na desigualdade são revertidas de acordo com a nossa série de dados", afirma Morgan no estudo.

DEFESA PETISTA– Na avaliação do PT, legenda que esteve no comando do País durante a maior parte do período coberto pelo levantamento, o estudo subestima a redistribuição de renda durante o período. Isso porque os cálculos foram feitos com base no IR, que, na avaliação do secretário de comunicação nacional do partido, Carlos Henrique Árabe, não é um bom indicador da renda da população mais pobre, pois boa parte da população pobre nem sequer declara. Na resposta, Árabe diz que o sistema tributário "espelha uma dinâmica de desigualdade". "O sistema tributário espelha uma dinâmica de desigualdade em grande medida alimentada pelo próprio sistema tributário". 

Batom na cueca – O procurador chefe do Ministério Público Federal, Rodrigo Janot, não tem como explicar o encontro com o advogado de Joesley Batista, Pierpaolo Bottini. O local não poderia ser mais apropriado: um botequim. Janot tem sérios problemas com bebidas alcoólicas e se aparecer algum áudio do encontro, o procurador vai justificar dizendo ”conversa de bêbado”. A imagem é esclarecedora e revela os interesses obscuro do Judiciário e MPF.

G-4 no Agreste– Pré-candidato a governador, o senador Armando Monteiro (PTB) prestigiou, ontem, a tradicional Missa do Vaqueiro de Canhotinho, que atraiu também outras lideranças que estarão no campo da oposição ao Governo estadual em 2018, como o ministro das Cidades, Bruno Araújo, do PSDB; o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do PSB, e seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, além dos deputados estaduais Álvaro Porto (PSD), Silvio Costa Filho (PRB) e Priscila Krause (DEM). Na prática, se deu ali uma reunião do G-4, o grupo dos quatro partidos de oposição que podem se unir para enfrentar o governador. Eles foram recepcionados pelo prefeito Felipe Porto (PSD), sobrinho de Álvaro Porto.

De propósito– Na galeria dos ex-prefeitos de Flores, no Sertão do Pajeú, a 400 km do Recife, inaugurada no último fim de semana pelo prefeito Marconi Santana (PSB), a pequenez política se sobrepôs à história do município: a ex-prefeita Soraya Murioca (PR) foi “esquecida” propositadamente da relação. É sabido que o radicalismo político nos embates no município não pode ser ignorado por quem conhece a história de Flores, mas incluir todos os ex-prefeitos numa área pública omitindo a antecessora é algo tacanho e beira ao ridículo.

PSB a um passo de se unir ao PT - De passagem, ontem, por Serra Talhada, o secretário-geral do PSB, Adilson Gomes, teve uma longa conversa com o prefeito Luciano Duque, principal liderança do PT no Sertão. Em pauta, a retomada da aliança estadual PSB-PT. Duque resiste. “Adilson sondou o prefeito sobre a possibilidade do realinhamento do PT ao PSB”, confirma o chefe-de-gabinete do prefeito, Ronaldo Melo, uma das principais lideranças do PSB no município. “Duque está reticente, mas pelo que percebi de Adilson, o governador está muito confiante e certo de que o PSB e o PT vão caminhar juntos. Contudo, não acredito que haverá essa união devido a oposição de Sebastião Oliveira”, disse Melo.

CURTAS

AGRESTINA– Funcionários da Prefeitura de Agrestina e seus parentes de primeiro grau terão desconto de 30% em cursos de graduação e pós-graduação da Uni Nassau, graças a convênio assinado pela autarquia de ensino superior com o prefeito Thiago Nunes. Também serão dados 15% de descontos no ensino a distância e 20% de descontos para pós-graduação com aulas presenciais.

POSSE - O Palácio do Planalto solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR) para antecipar o horário de posse da nova procuradora-geral, Raquel Dodge, no próximo dia 18, que ocorrerá na sede do órgão. Dodge vai substituir Rodrigo Janot no comando do Ministério Público. Temer quer participar ainda no dia 18 de um jantar nos Estados Unidos com o presidente Donald Trump e outras autoridades, antes da data de abertura da Assembleia Geral da ONU, no dia 19 de setembro, tradicionalmente feita pelo Brasil. Após a consulta do Planalto, a cerimônia de posse de Dodge foi antecipada das 10h30 para às 8h.

Perguntar não ofende: Aliados PT e PSB no plano estadual, Humberto Costa disputa a reeleição para o Senado?

 

 


Alívio no caixa dos municípios

Magno Martinssex, 08/09/2017 - 09:50

As prefeituras recebem, hoje, o repasse do 1º decêndio do mês de setembro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O valor será de R$ 2.128.554.107,33, já descontada a dedução do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa que, em valores brutos, isto é, incluindo a dedução do Fundeb, o montante repassado será de R$ 2.660.692.634,16.

 

De acordo com os dados do FPM, quando comparado o 1º decêndio de setembro de 2017 com o mesmo período do ano passado, o valor repassado apresentou crescimento de 14,80% em termos nominais, ou seja, levando em conta os valores sem considerar os efeitos da inflação. Na situação em que é considerada as consequências da inflação, o valor real da transferência do 1º decêndio de setembro em relação ao mesmo decêndio de 2016 apresentou crescimento de 12,14%.

Ainda de acordo com o que foi repassado ao longo de 2017, a CNM destaca que o montante do FPM transferido aos Municípios de janeiro até o 1º decêndio de setembro totaliza R$ 66,316 bilhões. Esse valor corresponde a um aumento de 11,65% em relação ao montante transferido aos Municípios no mesmo período do ano anterior, sem considerar os efeitos da inflação.

A entidade reforça que no cálculo desse montante é levado em consideração o repasse de 1% de julho, previsto na Emenda Constitucional 84/2014 que foi de R$ 3,999 bilhões repassados aos Municípios. No caso de considerar os efeitos da inflação, o Fundo acumulado em 2017 apresenta crescimento de 7,60 % em relação ao mesmo período do ano anterior.

Diante disso, a CNM ressalta que apesar dos números positivos para esse primeiro decêndio de setembro comparado com o mesmo decêndio do ano passado, os gestores devem ficar atentos às previsões nominais da Secretária do Tesouro Nacional (STN). Ela estima queda de 16% do FPM para o mês de setembro em relação ao mês de agosto deste ano. Essas previsões são nominais e, por isso, não consideram os efeitos da inflação. Contudo, como a sazonalidade do FPM no segundo semestre é inferior em relação aos resultados obtidos no primeiro semestre, a Confederação reitera que os prefeitos precisam ter cautela e boa gestão com os recursos municipais.

INQUÉRITO– O Supremo Tribunal Federal autorizou abertura de inquérito para investigar o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) e o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), em razão das delações premiadas da JBS. As suspeitas são de corrupção passiva e caixa dois, ou seja, fraude na prestação de contas ao deixar de declarar valores recebidos, crime previsto no artigo 350 do Código Eleitoral. O pedido foi feito no fim de junho pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que também solicitou ao ministro Luiz Edson Fachin, responsável pela homologação das delações da JBS, sorteio para novo relator por não ter relação com a Lava Jato.

Unidade da oposição – Dos líderes do chamado G-4, alinhamento dos partidos de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), apenas o senador Armando Monteiro Neto (PTB) e o ministro das Cidades, Bruno Araújo, prestigiaram a filiação do agora potencial aliado Fernando Bezerra Coelho, também pré-candidato a governador. Na conversa com este blogueiro, o presidente nacional do PMDB, Romero Jucá (RR), reafirmou que Fernando é o candidato a governador, mas não descartou que possa ser analisado outro nome, como o de Armando, que vem insistindo na unidade do G-4.

Fumaça e espuma– Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliam que ainda há muito "fumaça e espuma” impedindo o entendimento, com precisão, da reviravolta desta semana na delação da JBS. Para esses magistrados, ainda não está explicado o porquê de a nova gravação mostrando irregularidades na colaboração ter sido entregue, se por erro ou por ação deliberada.  Na avaliação desses magistrados, outra questão que precisa ser aprofundada é a compreensão de todo o papel realizado pelo ex-procurador Marcelo Miller na "produção" do acordo da JBS e em outras colaborações. Daí a importância dos depoimentos a serem realizados com os delatores da JBS e a oitiva do procurador Marcelo Miller, investigado agora pelo Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público.

Grito dos Excluídos– Como acontece todos os anos no feriado de 7 de setembro, entidades populares, sindicatos, igreja católica e outras igrejas cristãs e não cristãs realizaram, ontem, o Grito dos Excluídos pelas ruas do Recife. A concentração se deu na Praça do Derby. De lá, os integrantes cruzaram a Avenida Conde da Boa Vista até a Praça da Independência. “Nosso objetivo é convocar a população para lutar pelos seus direitos e garantir os direitos conquistados. Estamos no momento mais difícil do País e a saída está nos mais pobres. Se não investir na base da sociedade, se não tiver diálogo com a população, certamente teremos dias piores”, disse Sandra Gomes, uma das organizadoras do ato.

Em defesa do São Francisco-  Para a deputada Laura Gomes (PSB), os governadores nordestinos deram o “Grito do São Francisco” e disseram não à privatização da Chesf com a carta divulgada após o encontro da última terça-feira, encaminhada ao presidente Michel Temer (PMDB) com posição contrária à entrega da instituição ao controle de grupos privados. “Tenho a convicção de uma forte atitude da população contra essa medida equivocada do Governo Federal, na medida em que as pessoas entendam com clareza os enormes prejuízos embutidos nessa descabida privatização. Ninguém vai aceitar, se bem conheço meu povo, a ameaça de aumento das contas de luz, venda apressada e barata de um patrimônio público e, o pior, a possibilidade concreta de entregar a grupos privados o controle das águas do Rio São Francisco, que são de múltiplo uso para milhões de nordestinos”, afirmou.

CURTAS

CRISE HÍDRICA– Sob a presidência do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), a Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas, do Congresso Nacional, discute medidas para o enfretamento à crise hídrica no Vale do São Francisco e na região do reservatório da Usina Hidrelétrica de Sobradinho. Além de soluções de curto e médio prazos – como o uso de flutuantes e bombas de captação de água da barragem da usina, se necessário – Bezerra e especialistas defendem ações estruturantes e planejadas, como a preservação, recuperação e revitalização das nascentes dos rios que formam a bacia do São Francisco.

CICLOFAIXA - Começou, ontem, o trabalho de sinalização da ciclofaixa que está sendo implantada em Jardim São Paulo, na Zona Oeste do Recife. Os serviços serão feitos pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). A pista exclusiva para bicicletas entra em operação hoje.  A ação terá início na Rua Senador Alberto Pasqualini, perto da Praça Jardim São Paulo.

Perguntar não ofende: Palocci também é golpista?


PSB e PT vão reatar casamento

por seg, 04/09/2017 - 10:17

Com o ingresso do PMDB no bloco de oposição reforçando o chamado Grupo dos 4, o G-4, o cenário que se deslumbra em Pernambuco para o PSB é o realinhamento ao PT. Não será surpresa em relação aos acordos fechados para 2018 se o governador Paulo Câmara abrir espaços na sua chapa em busca da reeleição reeditando a coligação montada pelo ex-governador Eduardo Campos, que elegeu o petista Humberto Costa para o Senado.

Aos que acham que o eleitorado não compreenderá este entendimento, o governador já tem o discurso na ponta da língua: dirá apenas que reproduz a aliança nacional, que tende a ser remontada com Lula candidato ou não à Presidência da República. PT e PSB estarão juntos com Jacques Vagner ou Fernando Haddad no lugar de Lula. O próprio Haddad já esteve no Recife num almoço reservado com o governador.

Quando passou recentemente pelo Recife, Lula deu prosseguimento ao reatamento da aliança. Jantou com Câmara e o prefeito Geraldo Júlio na casa da viúva Renata Campos. Terça-feira passada, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, jantou com Humberto Costa em Brasília e trataram de aprofundar as negociações para se dar um casamento perfeito não apenas no plano nacional, mas principalmente no estadual.

Ao longo da entrevista que concedeu para tratar do ingresso de Fernando Bezerra no PMDB, quando afirmou que as chances de abandonar o projeto de reeleição do governador Paulo Câmara beiravam a zero, o deputado Jarbas Vasconcelos admitiu, pela primeira vez, uma composição com o PT, o que causou surpresa em todos os segmentos partidários no Estado. Os que fazem oposição a Câmara no PT tomaram um grande susto, sem conseguir entender nada.

Mas tudo isso decorre da mudança de comando do PMDB, que sai das mãos de Jarbas e passa para o grupo do senador Fernando Bezerra. Na contramão do que afirmou Jarbas, o senador tem dito e repetido que não existe a menor possibilidade de o novo PMDB em Pernambuco apoiar a reeleição do governador. Na Assembleia Legislativa, até as paredes sabem que PT e PSB andam bem próximos e podem compor uma aliança em nome da volta de Lula e do partido ao poder nas próximas eleições. 

Por Lula, os petistas em Pernambuco são capazes de se abraçarem a Paulo Câmara, mudando o discurso crítico em relação à sua gestão. Outro ponto a considerar, por fim, é que, além do discurso de que PT e PSB sempre estiveram juntos - e se desagregaram por uma circunstância - os dois partidos precisam de tempo na televisão para compensar a perda do PMDB, um gigante em termos de tamanho na chamada propaganda eleitoral no rádio e na TV.

NEM UM PIO– Embora tenha dito que sua postura iria mudar, sendo mais ágil e vigilante na defesa das questões envolvendo o PSB, o presidente reeleito do diretório estadual, Sileno Guedes, administra um silêncio muito estranho em relação ao rastro de prejuízo que a saída do PMDB trará à aliança oficial. É sabido que a movimentação do senador Fernando Bezerra Coelho em direção ao seu novo partido arrasta deputados do PSB, prefeitos e vereadores, mas Guedes ainda não acordou. Quem conseguir arrancar dele uma frase sobre o assunto terá feito uma grande façanha, antes que seja tarde. 

E aí, Marília? - Se o desenho do realinhamento do PSB ao PT se concretizar, a mais prejudicada será a vereadora Marília Arraes, líder da oposição na Câmara do Recife e tratada como pré-candidata do partido ao Governo do Estado. Oriunda do PSB, com laços familiares na legenda e no Governo, a parlamentar não tem a menor chance de avalizar o entendimento e neste caso só lhe sobrará a alternativa de procurar outra legenda dentro do arco partidário de oposição. 

Caindo fora– Entre os poucos prefeitos que ainda restam no PT, o primeiro a cair fora selado o acordo PSB-PT será Luciano Duque, de Serra Talhada, segundo maior colégio eleitoral do Sertão. Ali, a questão é muito localizada: a pedra no meio do caminho é o secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira. Sebá, como é mais conhecido, e Duque, são como água e óleo: não se misturam. O prefeito já telegrafou à direção estadual do PT para avisar a sua indisposição em tolerar qualquer entendimento que vislumbre dividir um palanque com o secretário. 

Desafiando o PMDB– Em entrevista à Folha, o deputado Estadual Tony Gel, líder do PMDB na Assembleia Legislativa, contrariou a orientação nacional do partido, que anunciou candidatura própria ao Governo do Estado, reafirmando sua lealdade no apoio à reeleição do governador Paulo Câmara. "Meu candidato a governador é Paulo Câmara. Eu faço questão de deixar muito claro”, disse. Para ele, o senador Fernando Bezerra Coelho e seu grupo serão muito bem-vindos ao PMDB, mas não contarão com seu apoio nem entusiasmo para um projeto de candidatura própria ao Palácio das Princesas. 

Biografia de Marco Maciel- A Companhia Editora de Pernambuco (CEPE) agendou para o próximo dia 2 de outubro, na Academia Pernambucana de Letras, o lançamento do livro biográfico sobre Marco Maciel, de autoria do jornalista e biógrafo Ângelo Castelo Branco, intitulado "Um Artífice do Entendimento".  O sociólogo e ex-presidente Fernando Henrique Cardoso escreveu o prefácio e o escritor Marcos Vilaça deseja fazer em seguida um lançamento na Academia Brasileira de Letras, no Rio, onde Marco Maciel ocupa a cadeira vaga desde a morte do ex-presidente das Organizações Globo, jornalista Roberto Marinho. Também haverá lançamento no Senado, em Brasília. 

CURTAS 

CISÃO– Aliados em torno da gestão Michel Temer, PMDB e PSDB não devem repetir a dobradinha na maior parte das disputas estaduais em 2018. Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que, hoje, a tendência é de que tucanos e peemedebistas fiquem separados em 18 Estados, contra nove nos quais a parceria nacional pode se repetir. Em campos opostos nas eleições de 2014, quando PMDB era o principal aliado do PT no governo federal, os peemedebistas se uniram aos tucanos em maio de 2016, em meio ao impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT).

EM SERRA– O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), incluiu na programação cultural da festa da padroeira do município o lançamento do meu livro Histórias de Repórter. A noite de autógrafos está marcada para amanhã, às 20 horas, no Centro de Artes e Desportos – CEU. Espero contar com a presença dos leitores deste blog na região, assim como os ouvintes do Frente a Frente, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 97,7 FM, no Recife. 

Perguntar não ofende: O ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, fica no PMDB depois do ingresso do seu principal rival, o senador Fernando Bezerra Coelho?


O recado das urnas amazônicas

Magno Martinster, 29/08/2017 - 11:37

A eleição suplementar para governador do Amazonas, domingo passado, traz um dado estarrecedor que pode ser um aviso do eleitorado para se repetir nas eleições do próximo ano em todo o País: o número de eleitores que não compareceram às urnas, somados aos votos brancos e nulos, foi de mais de um milhão de pessoas, o que significa quase 50% das pessoas aptas para votar no Estado.

A soma do total de abstenções, brancos e nulos é superior às votações do governador eleito, Amazonino Mendes (PDT), e do candidato derrotado, Eduardo Braga (PMDB). No total, foram 70.441 (4,06%) votos brancos, 342.280 (19,73%) nulos e 603.914 (25,82%) abstenções, somando 1.016.635 (49,61%). Amazonino teve 782.933 votos (59,21%) e Braga, 539.318 (40,79%).

Nas eleições de 2016, o número de eleitores que não compareceram às urnas no segundo turno das eleições municipais, somado aos votos brancos e nulos, foi de aproximadamente 10,7 milhões de pessoas - ou 32,5% do eleitorado. À época, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, disse que não se deve supervalorizar o número de ausentes, já que “impropriedades” podem ser encontradas na contagem dos eleitores.

“Onde tem biometria, temos índice menor de abstenção. Pessoas que mudam de cidade sem mudar o domicílio eleitoral, isso acaba contaminando os dados”, afirmou. De acordo com o ministro, o cadastro da Justiça Eleitoral não excluía eleitores que faleceram desde maio daquele ano. “Não está atualizado”, explicou Mendes. Para ele, é equivocada a avaliação de que o elevado índice de abstenções se deve ao fato de o voto ser obrigatório. “Não há dificuldade para fazer justificativa. A multa que se aplica é quase simbólica, está em R$ 3”, afirmou.

Gilmar, na verdade, não quer enxergar uma dura realidade: o desencanto do eleitorado com o processo politico brasileiro. O que ocorreu no Amazonas, fruto da apatia, do desapontamento e da enorme frustração do eleitorado daquele Estado com a classe política, tende a ser repetir com igual intensidade nas eleições para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual em 2018.

O povo cansou de ser enganado, não tem mais paciência de ligar a televisão e só se deparar com escândalos, com verdadeiros assaltos aos cofres públicos. Raros são os políticos, hoje, que ainda merecem crédito neste País. Estes, infelizmente, acabam pagando um preço caro, porque o nojo se generaliza. O Amazonas pode ser apenas um pingo de água no oceano de insatisfação que deve brotar das eleições 2018. O brasileiro perdeu não apenas a crença nos políticos, mas, sobretudo, o respeito, o que é muito mais grave.

DE CABO A RABO – O governador eleito do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), venceu em todas as 13 das zonas eleitorais de Manaus. Ele retorna ao poder após cinco anos longe da vida pública - seu último cargo havia sido o de prefeito de Manaus (2009-2012). Amazonino não tentou a reeleição ao fim do mandato. Já ocupou outras três vezes o cargo de governador (foi eleito em 1986 e em 1994, sendo reeleito em 1998). Também foi prefeito de Manaus em outras três oportunidades, além de ter conquistado o mandato de senador da República.

Avanço na educação - Na gestão Paulo Câmara, Pernambuco obteve, mais uma vez, a maior média no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica do País, saindo de 3,9 no ano de 2015 para 4,1 neste ano. Isso supera a média nacional, de 3,5. “Nós não poderemos resolver a agenda do presente sem pensar e desenvolver a educação. É com a educação que vamos transformar o futuro das próximas gerações”, disse, ontem, o governador, ao entregar prêmios aos gestores, professores e estudantes que mais se destacaram no Idepe, o índice estadual da educação básica.

Piora social – A Grande Recife ganhou mais um título negativo: o de região metropolitana que mais piorou sua qualidade de vida entre os anos de 2011 e 2015. De dez locais pesquisados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) para a construção do novo Atlas da Vulnerabilidade Social, quatro apresentaram aumento do índice. A capital pernambucana e seu entorno dispararam e estavam 16,3% mais vulneráveis em 2015 do que em 2011. A piora no índice foi bem maior do que outras capitais que também tiveram índices de vulnerabilidade pior em 2015, como São Paulo (2,4%), Fortaleza (3,9%) e Porto Alegre (0,4%). O índice demonstra uma reversão na tendência observada na primeira série histórica do Atlas. Entre 2000 e 2010, o Grande Recife reduziu a vulnerabilidade social em 23,9%, época em que todas as outras regiões metropolitanas também reduziram.

Privatizando São Paulo – Um dos nomes do PSDB lembrados para entrar na disputa presidencial em 2018, o prefeito de São Paulo, João Doria, é privatista. Encaminhou à Câmara Municipal, ontem, o projeto de privatização do complexo do Anhembi, na Zona Norte da cidade, e da São Paulo Turismo (SPTuris, empresa oficial de turismo e eventos da capital). A medida faz parte do pacote de privatizações e concessões de Doria, que prevê a desestatização do Estádio do Pacaembu, além de mercados, parques e sacolões municipais.

A caminho do novo DEM - O senador Fernando Bezerra Coelho tem encontro agendado com o governador Paulo Câmara. Na pauta, seu desconforto no PSB. FBC não foi ao encontro estadual da legenda que reconduziu Sileno Guedes à presidência da executiva, domingo passado. Ele aguarda apenas o desfecho da votação da reforma política para decidir seu futuro partidário. Sua tendência, hoje, é fazer a travessia para o novo DEM, mas não está descartado o seu ingresso no PMDB, alternativa mais complicada, tendo em vista que envolve o controle da legenda no Estado, hoje nas mãos do deputado Jarbas Vasconcelos, recentemente punido pela direção nacional por ter votado pela abertura da investigação do presidente Temer. O senador não aterrissa sozinho na nova legenda. Leva todo o seu grupo e mais os deputados João Fernando Coutinho e Marinaldo Rosendo.

CURTAS

EM AFRÂNIO – A comunidade de Afrânio deve ficar atenta para a realização das plenárias do Plano Plurianual (PPA), que estabelece as diretrizes para nortear as ações do governo no período de 2018 a 2021, para distritos da zona rural e para a cidade de Afrânio. As plenárias acontecem a partir de hoje em Arizona, amanhã em Extrema e quinta em Poção. A primeira, no distrito de Arizona, acontece na escola municipal Rui Barbosa. Toda a comunidade das localidades Coração de Maria, Vila Maria, Canafístula e Volta Grande deve participar.

EM RIBEIRÃO – O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco realiza, hoje, audiência pública em Ribeirão, às 10 horas, na Câmara de Vereadores, localizado na Praça Elizeu Lins de Andrade, Centro. O evento conta com a presença do juiz da 28ª Zona Eleitoral de Ribeirão, Antônio Carlos dos Santos, e também com o chefe de cartório Bráulio Gomes da Silva. A audiência pública tem o objetivo de divulgar e tirar dúvidas da comunidade em geral sobre o recadastramento biométrico.

Perguntar não ofende: Temer deveria ficar de vez lá na China?


Pernambucano na Anvisa

Magno Martinsseg, 28/08/2017 - 10:47

O administrador pernambucano Roberto Campos Marinho foi indicado para assumir uma das diretorias da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. E já deve ser sabatinado esta semana no Senado. Pelo seu currículo e a vasta experiência no setor público, com certeza passará tranquilo pelo crivo dos senadores. Formado em Administração de Empresa, Marinho tem também sólida base acadêmica, com pós-graduação em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas.

Servidor aposentado da Câmara dos Deputados, tendo na passagem pela Casa assumido diversas funções, entre elas a de assessor técnico da Diretoria Geral, assessor técnico da Primeira-Secretaria, assessor técnico da Segunda-Secretaria, assessor da Presidência da CPI da Capemi, assessor da liderança do PSDB, assessor da Executiva Nacional do PSDB e, por fim, técnico da Primeira-Secretaria.

Dentre outros órgãos públicos, passou pelo Deterpe – Departamento de Terminais Rodoviários de Pernambuco, ocupando a função de subdiretor-executivo. Foi também diretor da Coordenadoria de Articulação com Municípios, da Secretaria de Planejamento de Pernambuco; diretor-administrativo e financeiro da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado de Pernambuco; diretor de Administração e Finanças da Conab, instituição que assumiu também a Diretoria de Desenvolvimento Empresarial e a Presidência, interinamente, por diversas vezes.

Roberto Marinho trabalhou ainda na Eletrobrás como assessor da Diretoria de Administração e foi diretor-geral de Administração do DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral. Tem ainda uma ampla visão das questões nacionais, com artigos publicados em vários jornais do País, como o JB, Correio Braziliense, Gazeta Mercantil, Jornal do Commércio e Diário de Pernambuco. Mais do que isso, transita fácil no Congresso, sendo respeitado por ter sido bem-sucedido em todos os cargos que já ocupou no parlamento e na administração pública federal.

PROTESTO DO SERTÃO – Vereadores do Sertão do Araripe estão programando uma verdadeira invasão ao Recife nos próximos dias para protestar contra o aumento da onda de violência naquela região. “A população está aflita”, relata o vereador Luciano Nunes, da bancada do PSB na Câmara de Santa Cruz. Segundo ele, os parlamentares estão sendo cobrados e farão o ato no Recife numa articulação da Associação dos Vereadores do Araripe. “A cada dia a criminalidade aumenta com a impressão de que o Governo perdeu completamente o controle”, acrescenta Nunes.

Lula acena para Renata - Os petistas deixaram vazar que o ex-presidente Lula gostaria de ter a ex-primeira do Estado, Renata Campos, filiada ao PSB, como sua candidata a vice, caso posso de fato entrar na disputa pela Presidência da República em 2018. Mas a viúva do ex-governador Eduardo Campos, embora atue nos bastidores da cena política, já reiterou, por diversas vezes, que não tem projeto político. O que lhe move hoje é à candidatura do seu filho João Campos a deputado federal. Pelos prognósticos de todos os que entendem da matemática eleitoral do Estado, o herdeiro político de Eduardo deve ser o mais votado para a Câmara federal.

Parceria mexicana – Em sua agenda na XXl cúpula de Prefeitos da América Latina e Caribe, onde esteve representando a Confederação Nacional dos Municípios, o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), celebrou convênios com universidades mexicanas e recebeu o prêmio de boas práticas em gestão pública. O convênio celebrado entre a Amupe, entidade que preside, e a Universidade Politécnica de Tulacingo. Visa promover estudos conjuntos, estabelecer intercâmbios e a cooperação universitária no campo da pesquisa, ensino e extensão, com ações conjuntas nos campos da ciência, cultura, saneamento e desenvolvimento sustentável.

Descaso em Betânia – Vereadores da oposição em Betânia, no Sertão, espalharam pelas redes sociais que a educação está abandonada no município. Relataram que, recentemente, na escola do sítio Bredos a merenda de baixa qualidade, servida aos alunos, provocou revolta e indignação aos pais. Também no sítio Bredos, a escola Guardiato Vitorino passou dois dias sem aula devido à falta de água, sem que a Prefeitura tomasse a iniciativa com o abastecimento por carro pipa. “A escola, por fazer parte do programa de escolas quilombolas, recebe uma verba extra, mas mesmo assim está abandonada. A cada dia novas denúncias aparecem, mostrando a falta de compromisso da atual gestão com os seus cidadãos”, relata um dos vereadores.

Aliança fora do café - Pré-candidato a governador pelo PTB, o senador Armando Monteiro Neto disse que não tratou, em nenhum momento, de sucessão estadual com o ex-presidente Lula, durante o café que tomaram na sexta-feira passada. Segundo ele, o PT já sinalizou que no plano estadual quer disputar em faixa própria o Palácio das Princesas. “Nós temos que respeitar as decisões partidárias, o PT já tem, inclusive, alguns nomes postos e tende a caminhar nessa direção. Minha conversa com Lula foi de avaliação do plano nacional”, disse Monteiro.

CURTAS

LIQUIDA RECIFE – Pequenos comerciantes da capital pernambucana poderão participar, gratuitamente, do Liquida Recife, período de promoções que integra shoppings e estabelecimentos do comércio tradicional da cidade e da RMR. Parceria da Prefeitura do Recife com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) vai distribuir, a partir de hoje, 400 vouchers para permitir que empreendedores de pequeno porte se cadastrem na promoção sem pagar a taxa. Os kits serão entregues das 8h às 17h, nas unidades da Sala do Empreendedor da PCR situadas no térreo da Prefeitura, no Bairro do Recife, e no número 5600 da Avenida Norte.

SALÁRIO REDUZIDO – O juiz da Vara da Fazenda de Santa Cruz do Capibaribe, Moacir Ribeiro da Silva Júnior, determinou que o salário dos vereadores deve ser de R$ 6 mil. A decisão é de caráter liminar e visa evitar que os edis continuem recebendo R$ 9,8 mil. Em outubro de 2016 foi aprovado um reajuste de 23,8% nos salários dos parlamentares - passando de R$ 8 mil para R$ 9,8 mil a partir de janeiro deste ano.

Perguntar não ofende: Sai, enfim, o arranjo de reforma política esta semana?

Páginas