Aldo Vilela

Aldo Vilela

Jornalista

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Enquanto as pessoas torcem pelos jogos da Copa do Mundo, alguns deputados federais e senadores acabam com o Brasil

Aldo Vilelaqui, 12/07/2018 - 11:12

Eis que os nosso nobres deputados e senadores aprovaram uma série de projetos que aumentam gastos ou abrem mão de receitas para beneficiar setores específicos, cujo impacto pode ultrapassar os R$ 100 bilhões nas contas públicas nos próximos anos. Esta semana, por exemplo, o Senado manteve benefícios tributários à indústria de refrigerantes da Zona Franca de Manaus, revogando um decreto presidencial. A medida provoca um impacto de R$ 1,78 bilhão por ano no orçamento, outros projetos já foram aprovados pelas duas Casas, como o perdão de dívidas tributárias de produtores rurais, que custará R$ 13 bilhões só este ano. Enquanto as votações avançam no Congresso, o governo tenta uma compensação, com medidas que aumentam receita e reduzem gastos na tentativa de, pelo menos, fechar as contas de 2019. O esforço é para que elas não sejam votadas antes do recesso parlamentar, que começa na semana que vem, e fiquem para agosto, para dar mais tempo de negociar um impacto menor, mesmo em meio à campanha eleitoral. Diante de um governo fragilizado e às vésperas das eleições, o trabalho é praticamente de enxugar gelo: a cada medida que manda para o Congresso, o resultado, depois das modificações dos parlamentares, é mais gastos e renúncias. A área econômica tem até o final de agosto para fechar o Orçamento do ano que vem e já avisou que vai propor novamente o adiamento do reajuste dos servidores em 2019 e a tributação dos fundos exclusivos para clientes de alta renda. A primeira medida poderia economizar de R$ 6 bilhões, servidores civis, a R$ 11 bilhões se incluir os militares. Já a tributação dos fundos renderia outros R$ 6 bilhões só para a União. Neste país em que políticos bandidos insistem e ficam no comando da nação cada dia que passa vão afundando o país. Uma pena, cada dia eles ficam com mais e o povo perdendo tudo.

Miguel Ricardo recebe, em Igarassu, lideranças e políticos pernambucanos

O pré-candidato a deputado estadual por Pernambuco, Miguel Ricardo reúne lideranças de todo o estado, nesta quinta-feira (12), às 17h, no Centro Mariápolis Santa Maria, localizado na avenida Alfredo Bandeira de Melo, em Igarassu. Presenças confirmadas do prefeito da cidade, Mario Ricardo, dos pré-candidatos ao Governo Estadual Armando Monteiro e ao Senado Federal, Mendonça Filho, entre outros políticos. Durante o encontro será apresentado um novo projeto de futuro para Pernambuco, com apresentação da pré-campanha de Miguel Ricardo.  

Cabo em ação de saúde

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho modernizou o atendimento à população, passando a oferecer os resultados de exames laboratoriais pela internet. Dessa maneira, os pacientes que antes tinham que se deslocar até a unidade de saúde, agora têm a facilidade de obter o resultado de maneira rápida e de qualquer lugar, acessando um computador. 

 

Sistema com agilidade

“O sistema de entrega de exames vai gerar uma comunidade para o paciente”, disse o coordenador do Laboratório Central, Roberto Alexandre. Ao fazer a coleta, o usuário receberá um protocolo com localizador e senha, assim poderá ingressar no endereço www.cabo.pe.gov.br, na página inicial através do menu Laboratório Central – Visualizar Resultado de Exames, para ter acesso as respostas dos procedimentos. Em média, o prazo para a liberação do resultado do exame é de até 8 dias úteis.

População assistida

“As coletas dos exames são feitas nos hospitais municipais, nos atendimentos de urgências e emergências, além das policlínicas. E para exame de rotina, no próprio laboratório central, no Vicente Mendes e no Jamaci de Medeiros”, explica Roberto Alexandre. Caso o paciente não consiga ter acesso aos resultados, precisará se dirigir ao Laboratório Central, localizado na Rodovia BR 101 Sul, 94 – Centro, no horário das 10h às 17h, portando documento oficial de identificação.

Mais um

O prefeito de Ribeirão, na Mata Sul, Marcelo Maranhão, é o primeiro prefeito do PSB em Pernambuco a declarar apoio à candidatura de Bruno Araújo (PSDB) ao Senado, caso ele decida entrar na disputa.

Ficando mais complicado pra Lula

A juíza Carolina Moura Lebbos, titular da 12ª Vara Federal de Execuções Penais (VEP) de Curitiba, negou, nesta quarta-feira, pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para gravar vídeos, conceder entrevistas e fazer, por meio de videoconferência, atos de pré-campanha, além de participar "presencialmente" da convenção do PT. Filmagens na sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba também estão vedadas. É lá que o petista cumpre, desde 7 de abril, pena de 12 anos e um mês de prisão pela condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Pancada no PT

A decisão é mais um revés no caminho do petista. No último domingo, após uma série de desentendimentos judiciais, foi negado um habeas corpus apresentado por três deputados federais petistas para que o ex-presidente deixasse a prisão.

Políticos parecem mesmo que vivem em outro planeta

A Folha de São Paulo retratou em matéria abaixo a qualidade dos nossos deputados federais, definitivamente esses senhores e senhoras vivem em outro planeta.

No último dia de trabalho antes do início das campanhas eleitorais, deputados fizeram uma manobra para tentar liberar a indicação de parentes e aliados para cargos em empresas estatais. A prática foi proibida há dois anos, mas parlamentares aprovaram uma mudança na lei que pode retomar o aparelhamento das companhias. O veto à contratação de apadrinhados políticos foi uma das poucas práticas moralizadoras de um Congresso que caiu no precipício do descrédito.

Relembrando

Desde 2016, uma lei impede a nomeação de caciques partidários e parentes de ministros, secretários, deputados e senadores. Aparentemente, os políticos se arrependeram e, agora, querem recuperar seus postos. Deputados da comissão que discutia a composição de agências reguladoras aproveitaram a sessão desta quarta (11) para incluir no texto uma mudança que desfigura a legislação sobre as estatais.

Ação de bandido

Foi um típico contrabando: não satisfeitos em liberar o aparelhamento das agências de fiscalização, os políticos conseguiram aprovar a derrubada da restrição à contratação de parentes e aliados nas estatais.  Os deputados tentaram ser discretos. Aproveitaram que o tema seria votado em caráter terminativo, ou seja, discutido por 30 parlamentares numa comissão, e não por 513 no plenário. Agora, o Senado decidirá se aprova ou rejeita as mudanças.

Tem quem defende, claro são eles

Defensor da alteração, José Carlos Araújo (PR-BA) disse que as proibições à contratação de parentes e apadrinhados comprometiam “o preenchimento de cargos nas empresas” como se faltassem nomes qualificados fora de partidos e das árvores genealógicas dos políticos. Relator do projeto das agências, Danilo Forte (PSDB-CE) era contrário à manobra, mas foi derrotado. Cargos em estatais são cobiçados porque ampliam a influência dos parlamentares em seus redutos e atendem aos interesses de grupos políticos. É sintomático que os deputados busquem a força da máquina pública antes de uma eleição marcada pela escassez de recursos.

Compromisso

O presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Danilo Cabral (PSB/PE) entregou a Carta-Compromisso ao pré-candidato à Presidência da República senador Álvaro Dias (PV/SP). O documento, que foi apresentado e aprovado no colegiado, busca estabelecer uma responsabilidade dos presidenciáveis com a educação.

COMENTÁRIOS dos leitores