Detentos disputam concurso de redação

Promovido pela Defensoria Pública da União, 3º Concurso de Redação está aberto para adultos e adolescentes em medida socioeducativa

por Geraldo de Fraga sex, 11/08/2017 - 18:27

"Mais Direitos, Menos Grades!". Esse é o tema do 3º Concurso de Redação, promovido pela Defensoria Pública da União, e destinado a alunos do ensino fundamental e médio, incluindo Educação de Jovens e Adultos (EJA), assim como a adolescentes que estão cumprindo medida socioeducativa e adultos em situação de privação de liberdade, desde que matriculados em escola da rede pública ou de ensino técnico do país. Este ano, o concurso também está aberto para pessoas que estão presas nas penitenciárias federais. 

Os vencedores em primeiro lugar em todas as categorias receberão um tablet. Em relação às pessoas em situação de privação de liberdade e aos alunos em cumprimento de medida socioeducativa, o prêmio será entregue no dia em que forem soltos. Cada uma das três escolas vencedoras receberá um certificado de premiação e R$ 10 mil, a ser aplicado em equipamentos em proveito dos alunos.

O prazo de envio das redações é o dia 5 de setembro. As instituições de ensino, os gestores da área de educação das unidades do sistema prisional estadual, do sistema penitenciário federal e do socioeducativo interessados devem acessar o site da oportunidade. Na página, estão estão disponíveis informações complementares, como material de divulgação, regulamento, formulário de inscrição e participação, formulário para envio de redação e o Guia do Professor.

Entre os pré-requisitos para a participação das escolas e a aceitação das redações estão destacados pontos como originalidade, respeito ao número de linhas (20 a 30 linhas) e referência ao tema. Os trabalhos postados após a data limite não serão recebidos pela comissão julgadora. O resultado final será divulgado até o dia 17 de novembro. A entrega dos prêmios ocorre em 15 de dezembro, em cerimônia na sede da Defensoria Pública da União em Brasília e nas demais unidades nos estados.



COMENTÁRIOS dos leitores